Irlanda Pode ser a Melhor Opção para Intercâmbio

Está pensando em fazer um intercâmbio para a Europa, mas não sabe onde ficar para gastar o menos possível? Que tal ficar em Dublin, na Irlanda, e ainda poder visitar alguns países, como Inglaterra e Alemanha?

Qual o motivo de ir à Irlanda?

intercambio em irlanda

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Isso mesmo. Dublin é a cidade preferida dos intercambistas e tem sido a escolha de muitos brasileiros, pois o custo de vida não é tão alto quanto em Londres, por exemplo. Você ainda pode conhecer muitos lugares históricos do país, além de treinar seu inglês. As paisagens da Irlanda são maravilhosas e, não é por acaso, que ela é conhecida como a Ilha de Esmeralda.

Para quem quer sair do ambiente urbano das grandes cidades, mas ainda deseja fazer parte dele, a Irlanda é o lugar perfeito, pois seus lugares aparentemente inóspitos escondem muita beleza. Por exemplo, o Condado de Claire e o Anel de Kerry são dois lugares para visitar e deixar gravado para sempre na memória. A fábrica Guiness é um ponto turístico a se visitar e também o Museu de Escritores de Dublin, para os apaixonados por palavras. O parque Saint Stephen’s Green é um ótimo lugar para passar a tarde de domingo, por exemplo, calmo e belo para você fazer um piquenique, que tal?

A Irlanda também é conhecida pela música. Responsável por influenciar grandes nomes, como U2 e Van Morrison, a música no país é muito prestigiada. O Saint Patrick’s Day apesar de não ser um evento exclusivamente musical é uma boa escolha se você está procurando um ótimo entretenimento e, ao mesmo tempo, conhece a cultura irlandesa.

Não dá para falar de Irlanda sem falar dos Celtas, não é? Se você é fã de mitologia Nórdica e da cultura Celta, a Irlanda é o local ideal. Poesia e prosa irão fazer você se apaixonar ainda mais pelo país e por esta cultura, pois os nativos não perdem tempo quando o assunto é esse. A literatura é uma importante característica do país e, de fato, James Joyce não é exatamente um nome desconhecido, então que tal conhecer o país do famoso escritor? Além disso, as bibliotecas em Dublin são famosíssimas e se você é fã de livros precisa conhecer pelo menos uma.

Posso trabalhar na Irlanda?

intercâmbio na irlanda

Não é difícil encontrar emprego quando se tem um visto de estudante no país e o pagamento, em geral, vale a pena. Você pode trabalhar de várias formas, porém, o mais comum é como atendente de balcão ou garçom/garçonete. No entanto, isso não quer dizer que você não poderá fazer outras coisas. Tudo depende de você, é claro, mas os nativos são bem hospitaleiros e não será difícil fazer amizades. Os bares e restaurantes são uma boa alternativa, além disso, se você está indo para lá através de uma empresa de intercâmbio e, por acaso, está fazendo um curso de inglês, é claro que irá encontrar grandes amigos na sala de aula. Como mencionado, o custo de vida não costuma ser muito alto, logo, você pode guardar dinheiro e comprar uma passagem para Inglaterra, Alemanha, França e muitos outros lugares para visitar aos fins de semana.

De fato, a Irlanda é um país com muito a oferecer a seus visitantes sejam apenas turistas a passeio ou estudantes em busca de experiência.

Fonte:

http://www.studyabroad.com/programs/europe,ireland/high+school/default.aspx

http://www.tripadvisor.com/Tourism-g186591-Ireland-Vacations.html

Flavonóides – Os Principais Alimentos e seus Benefícios

Flavonóides são compostos químicos que protegem nosso corpo dos radicais livres. Os radicais livres estão presentes na fumaça de cigarro, poluição, álcool, luz ultravioleta, pesticidas, solventes industriais, alimentos industrializados ricos em gordura saturada, atividade física em excesso sem o acompanhamento médico, etc.

Nosso corpo naturalmente consegue lidar com os radicais livres, porém, fatores externos aceleram a produção de toxinas. Alimentos que possuem flavonóides conseguem reforçar nossa defesa neutralizando as toxinas.

I) Quais são os benefícios?

Eles atuam como:

  • Antioxidantes
  • Anti-inflamatórios
  • Analgésicos
  • Anticancerígenos
  • Auxiliam na absorção da vitamina C pelo nosso corpo.

Existem mais de cinco mil tipos de flavonóides na natureza e o melhor de tudo é que podemos ter acesso a muitos tipos deles em alimentos que vendem em supermercados, hortifrútis, feiras, etc.

Dê preferência a alimentos frescos pois quanto mais fresco maior a concentração de flavonóides. Os alimentos orgânicos são os mais recomendados pois agrotóxicos possuem radicais livres.

II) Segue a lista de alimentos que possuem flavonóides:

1) Legumes

flavonoides legumes

Brócolis, pimentão, aipo, rabanete, pimenta, cebola, quiabo e vagem. Na coloração vermelha e verde possuem grandes quantidades de flavonóides, como a quercetina, miricetina, luteolina e kaempferol.

Dica: Para evitar a perda dos nutrientes com cozimentos, cozinhe no vapor para conservar mais flavonóides. As cores dos legumes ficarão mais intensas e o sabor também.

2) Frutas

flavonóidesTomate, berinjela, romã, abacate, uva, caqui, cranberry, mirtilo, amora, uvas, pêssego, ameixa, damasco, maça e laranja. As cores roxas, vermelhas e azuis concentram mais flavonóides como a quercetina, miricetina, catequina, cianidina, antocianina, naringenina, eriodictiol e delfinidina.

Dica: a laranja produz pectina que reduz o colesterol e estabiliza o açúcar no sangue. A melhor forma de consumi-la é comendo com a polpa que contém 10 vezes mais vitamina C.

3) Bebidas

flavonóides

Vinho tinto, chás de todos os tipos, sucos de fruta natural e suco de uva integral. Todos são ricos em flavonóides, como a catequina, tearubiginas, epigalocatequina, quercetina, antocianina e miricetina.

Dica: a melhor forma de consumir o suco com todas as propriedades é sem coar, muitos nutrientes são perdidos ao passá-lo na peneira.

4) Grãos

flavonoides graos

Feijão preto, soja, vagem, grão-de-bico, lentilha, feijão branco, nozes, castanha de caju e pistache. São ricos em proteínas e flavonóides como a delfinidina, antocianidina, daidzeína e kaempferol.

Dica: o grão-de-bico possui cálcio, ferro, zinco, potássio, magnésio e ômegas 3 e 6 e 30% da sua composição é proteína.  A lentilha ajuda a diminuir o colesterol, é desintoxicante, é rica em ferro sendo uma grande aliada no tratamento da anemia.

Os antioxidantes evitam o envelhecimento em geral e estimulam a renovação da pele. Existe uma pesquisa feita pela UNICAMP ( Universidade Estadual de Campinas) com flavonóides que apresentaram redução de tumores até 50% e até mesmo eliminação completa, os testes ainda estão em estágio inicial, mas apresentam resultados relevantes.

Lembrando que tudo em excesso é ruim, flavonóides em excesso podem ter o efeito contrário fazendo com que apareçam radicais livres. O uso de sucos detox é um exemplo, se for feito de maneira incorreta e excessiva ao invés de fazer bem, fará mal.

Veja este vídeo curtinho sobre flavonóides (1:40):

Fonte:

http://www.harvard.edu/searches?searchtext=flavonoids#gsc.tab=0&gsc.q=flavonoids&gsc.page=1

 

Saiba Tudo Sobre a Disfunção Erétil

A disfunção erétil ou impotência sexual se resume à incapacidade de começar e manter uma ereção em ao menos metade das tentativas na relação sexual. Tal disfunção torna o homem incapaz de ter ou manter ereções de modo suficiente rígidas à penetração da vagina, com satisfação sexual impedida.

A disfunção erétil acontece para quase 50% de brasileiros, nas idades entre 40 e 80 anos. No entanto, a procura por ajuda médica ainda é mínima. Os homens ficam constrangidos e aguardam de 3 a 5 anos para agendamento da consulta com especialista, porém, aguardar é perder tempo.

1) Quais são as Principais Causas da Disfunção Erétil?

A impotência sexual tem relação com muitas doenças e o tratamento da disfunção abrange de forma obrigatória descobrir a própria causa.

  • Distúrbios psicológicos
  • Ingestão excessiva dos medicamentos
  • Alcoolismo
  • Tabagismo
  • Doenças hormonais
  • Queda da testosterona
  • Problemas endócrinos
  • Diabetes são também possíveis causas as doenças vasculares, que geram entupimento de artérias e veias, com chegada do sangue ao pênis prejudicada, aterosclerose e hipertensão arterial.
  • Doenças neurológicas, como mal de Alzheimer e Parkinson.

2) Quais são os primeiros sintomas?

Dentre os sintomas e sinais da condição são destaques a diminuição da dimensão e rigidez peniana, diminuição dos pelos do corpo. Ainda a incapacidade de ter e manter a ereção, deformação do pênis.

Atrofia ou falta testicular, neuropatia que é o distúrbio de funções do sistema nervoso, e doença vascular periférica. É essencial salientar que somente o envelhecimento não constitui uma causa do problema.

3) Quais são os tratamento?

O tratamento da disfunção erétil vai depender da própria causa e do estilo de vida do homem. Depois de detectar a impotência sexual por meio do diagnóstico clínico, haverá muitos recursos para tratar.

Dentre eles, estão a reposição hormonal, recomendado para homens com mais de 45 anos de idade, a psicoterapia, prótese, autoinjeção, cremes e géis e enrijecimento pela sucção.

4) Principais Medicamentos

Os medicamentos de maior uso para tratar disfunção erétil são Cialis e Viagra. Apenas o médico pode afirmar o medicamento mais recomendado para o caso do paciente, assim como a dosagem adequada e a duração para tratar.

É importante seguir sempre de forma rigorosa as orientações médicas e nunca se automedicar. Não interromper a utilização do medicamento sem a consulta prévia ao médico, e se ingeri-lo mais de uma vez ou em quantidades bem maiores do que de prescrição, seguir as instruções pela bula.

5) 10 Remédios Caseiros para Impotência Sexual Masculina

Saiba Tudo Sobre a Disfunção Erétil

Impotência sexual masculina comumente nomeada como disfunção erétil é o estado onde há a presença de alguma anormalidade relacionada ao sexo, o que abrange a falta de desejo sexual, diminuiçãona produção da libido, falta de ereção ou dificuldade para executar o ato.

Homens acima de 50 anos estão em maior grupo de risco, contudo esse mal pode atingir qualquer idade. Outro fator que acarreta o problema são doenças como depressão, pressão arterial alta, defeitos na próstata e aumento de gordura no sangue.

1) Vinagre de maçã

Quando se fala em vinagre de maçã logo se pensa nas suas mil e uma utilidades, pois de fato esse produto é bom pra quase tudo inclusive para impotência. É claro que ele não trata o problema em si, entretanto ele cuida e previne patologias responsáveis por gerar o distúrbio.

Basicamente, ele atua na reparação de vasos sanguíneos e na estrutura nervosa do pênis além de elevar os níveis de produção do hormônio testosterona.

2) Ginseng vermelho

Por ser um potente estimulador sexual, antigamente o ginseng era considerado um tipo de Viagra. Seu efeito anti-inflamatório permite que o sangue circule eficientemente no órgão masculino permitindo maior tempo de ereção e menor ocorrência de inflamações na próstata. Seu consumo deve ser diário.

3) Zinco

Pesquisas apontam que suplementação com zinco tem se mostrado muito eficaz para o metabolismo em geral. No caso do homem esse mineral se tornou essencial já que sua deficiência incorre na queda dos níveis de testosterona.

Ainda podemos dizer que grandes quantidades de zinco estão concentradas na próstata, então qualquer alteração nesse sentido pode afetar essa glândula.

4) Cebola

Parece mentira, mas cebola é um potente afrodisíaco milenar. Acredita-se que seu uso era evidente desde a Roma antiga com o propósito de aumentar a libido de forma natural.

Você pode escolher  comer ou beber um preparo (suco) de cebola. Para isso basta cortar 2 cebolas em  tiras finas e adicionar ½ litro de água morna. Se preferir adicione mel. Tome cerca de meio copo americano antes das refeições, mas não exceda  3 copos diários.

5) Magnésio

Magnésio é um mineral não produzido pelo organismo, entretanto sua importância é crucial para diversos processos metabólicos e para a manutenção de todos os órgãos.

A ideia de suplementação pode ser uma possibilidade diante de um transtorno sexual, principalmente pelo fato dele rejuvenescer as células, tratar a depressão e doenças cardíacas.

6) Alho

O alho tem propriedades incríveis ente elas se encontra uma substância chamada alicina, sua função é expandir os vasos permitindo um melhor fluxo de sangue. Como resultado o pênis estando bem irrigado consegue se manter ereto por mais tempo.

Um estudo solicitou 7 voluntários com impotência dentre os quais 6 consumiam 4 dentes de alho todos os dias em um período de 3 meses, o resultado foi uma melhora significativa dessa condição.

7) Romã

Romã sempre foi considerada uma fruta nobre e seus grandes benefícios faz jus a esse título.

A boa quantidade de óxido nítrico encontrado nela permite que o sangue flua melhor entre o corpo. Isso combinado com seus antioxidantes previnem danos no aparelho sexual masculino.

8) Boro

É de se surpreender, porém o boro é um elemento necessário para saúde do homem.

O principal motivo está no impressionante fato de que ele controla a ação dos esteroides fazendo com que o sistema reprodutor e os hormônios sexuais o aproveitem melhor.

Já um estudo comprovou que a ingestão de 100mg de boro por apenas uma semana em homens com 29 á 50 anos teve uma maior produção de testosterona.

9) Yohimbe

Yohimbe é o nome de um tipo de árvore africana onde a sua casca pode ser consumida no tratamento de disfunções sexuais.

Entre suas propriedades ele ajuda a irrigar melhor os órgãos do corpo humano potencializando seu funcionamento por dilatar os vasos sanguíneos.

Lembrando que o médico deverá ser procurado para auxiliá-lo no melhor uso dessa planta.

10) Raiz da maca peruana

Maca peruana é conhecida como uma das mais potentes ervas para cuidar de transtornos sexuais. Por possuir vários antioxidantes ela retarda a oxidação das células. Ela também fornece energia por ser um poderoso estimulante.

Outra função importante é a capacidade de regular os hormônios necessários para o funcionamento correto dos órgãos sexuais.

Fonte:

http://www.webmd.com/sexual-conditions/understanding-male-sexual-problems-basics

https://www.healthline.com/health/erectile-dysfunction/ed-natural-treatments#modal-close

https://www.life-saving-naturalcures-and-naturalremedies.com/home-remedies-for-erectile-dysfunction

Gordurinha do Braço: Exercícios para Eliminar em um Instante

Braços flácidos e/ou grandes deixam algumas pessoas tristes. Existem casos constrangedores como tirar fotos e o braço aparecer gigante, ou quando ao se despedir, fazemos um tchau e a gordurinha do braço balança tanto que quase faz uma onda. Até mesmo ir à uma festa e usar um vestido sem mangas. Sobre este assunto, homens e mulheres têm objetivos bem diferente. Enquanto as mulheres querem diminuir o braço e deixa-los definidos, os os homens querem ter um braço grande e musculoso.

Não perca tempo, faça bons exercícios e torne os seus braços menos flácidos, definidos ou musculosos! Isso melhora o autoestima e proporciona menos desconforto.

5 Exercícios de braço para reduzir a gordurinha do braço em um instante

  • Levantamento de peso

triceps-levantamento-peso

Esse exercício é eficaz para perder a gordurinha do braço, também pode remover a gordura da barriga. Para começar pegue uma garrafa de 2litros de bebida ou uma garrafa de água. Se você tiver halteres em casa pode ser melhor, procure algo com cerca de 1kg.

Estique ambos braços para cima segurando objeto com as duas mãos. Com os braços paralelos do lado da cabeça e sem se mover, dobre-os formando um ângulo de 90º nos cotovelos. Faça esse mesmo movimento lentamente 3 séries de 20 repetições. (20x-20x-20x)

  • Tríceps na cadeira

triceps na cadeira

Não somente tonifica os braços, mas também atinge músculo das costas. Escolha uma cadeira que seja mais alta que o chão, altura de uma cadeira normal, dê preferência às que não tenham muita almofada. Os seus pés devem ficar a aproximadamente 3 pés de distância do objeto, apoie suas mãos na cadeira e alinhe com seu ombro. O seu joelho deve ficar em forma de 90º e os braços esticados, essa será a posição inicial. O movimento a ser feito, é de descer até que os braços façam um ângulo de 90º e depois subir novamente. Faça esse mesmo movimento lentamente, 3 séries de 20 repetições. (20x-20x-20x)

  • Flexão de braço

flexão de braços

É um dos melhores exercícios para tonificar os braços. Para iniciantes, além de fazer a flexão com as pontas dos pés, pode ser feito com os joelhos no chão. O importante é tentar deixar o corpo reto. Faça o movimento de flexionar e esticar os braços, 3 séries de 10 repetições. (10x-10x-10x)

  • Círculos com o braço

círculos com braços

O exercício mais “famoso” tirar a flacidez do braço. Você pode fazer com ou sem peso, dependendo do seu nível. Esse exercício pode tonificar músculos do braço incluindo o tríceps, bíceps, ombros e costas. Para começar, estique ambos braços para o lado na altura do ombro e faça movimentos de pequenos círculos. Serão 50 giros no sentido horário e 50 no sentido anti-horário.

  • Elevação lateral de único braço

elevação braço lateral

Fique na posição de flexão de braços citada acima, a diferença é que terá que abrir um pouco as pernas para ter um melhor equilíbrio. Eleve seu braço lateralmente e estique-o na mesma altura do ombro. Sempre com a palma da mão virada para baixo, mantenha assim na mesma altura por 10 segundos e troque de braços. Faça o mesmo movimento, 3 séries de 10 segundos de cada lado do braço.

Dicas para acompanhar os exercícios

Fazer só exercícios pode dar um bom resultado, mas acompanhado com outras ações pode ser melhor ainda. Veja umas dicas abaixo:

  • Beba água: mantenha-se sempre hidratado, bebendo água diariamente. Corte o consumo de bebidas com alto teor de açúcar e álcool.
  • Café da manhã: não pule o café da manhã, é uma importante refeição e pode fazer você comer em excesso em outras refeições.
  • Pratos menores: comer em pratos menores pode ajudar a reduzir a porção da refeição e ajuda na sensação de ter comido tudo. Tente regular suas refeições e comer ao menos 5 vezes ao dia em porções reduzidas.
  • Evite besteiras: doces, salgadinhos de pacote, salgados, fast food, etc. Reduza, ou até mesmo, elimine o consumo desses tipos de aperitivos. Substitua-os por versões mais saudáveis e não industrializados.

Fontes:

http://www.thefitindian.com/top-5-exercises-to-lose-arm-fat-at-home/

3 Métodos para Reduzir a Flacidez (Papada) e as Rugas no Pescoço em um Instante

Naturalmente, as pessoas cuidam do rosto mas esquecem de cuidar o pescoço. Já parou para observar que estão aparecendo algumas rugas no pescoço? Pois é! Muitas pessoas se esquecem dele e do quanto merece cuidados e atenção, assim como qualquer outra parte do corpo, principalmente para se prevenir do envelhecimento precoce e evitar notáveis aparecimentos de flacidez (papada) e rugas.  Afinal, as mudanças na pele ao longo do tempo são naturais, mas isso não significa que você não pode se cuidar, para mantê-la o mais saudável possível.

Vale lembrar que o pescoço, assim como outras partes do corpo, também fica exposto aos raios ultravioleta, sendo assim, sofre alguns danos, por exemplo, a diminuição de colágeno, ressecamento, elasticidade, aparecimento de manchas e o aumento de rugas.

Para a prevenção, alguns cuidados básicos diários podem fazer uma grande diferença. A utilização de protetores solares e hidratantes adequados para o seu tipo de pele, pode ajudar a evitar o surgimento dos sinais de envelhecimento precoce, você só não pode esquecer de aplicá-los também no pescoço!

Também não esqueça de fazer exercícios, alongamentos e massagem no pescoço antes de dormir. Isso ajudará a aliviar os músculos e com cremes apropriados você poderá reduzir flacidez (papada) e rugas em algumas semanas.

I) 3 Métodos Eficientes para Reduzir a Flacidez (Papada) em um Instante

1) Exercícios para reduzir gordura do pescoço:

Você deve começar a fazer exercícios cardio. Você pode aumentar a intensidade à medida que sua resistência aumenta. Para obter um melhor resultado, é importante que você faça pelo menos 30 minutos de exercícios como corrida, ciclismo, dança,  pular corda, yoga, kickboxing ou aeróbica, 3 vezes por semana.

Uma coisa que você deve se lembrar são os exercícios de pescoço para queimar as gorduras e tonificar os músculos do pescoço.  Veja abaixo a instrução dos exercícios.

Exercício 1

Deite-se no chão com as pernas esticadas. Sem tirar as costas do chão, encoste o queixo no seu peito, como se estivesse olhando para os seus pés.

Repita este procedimento por 10 vezes. 5 sets.

Exercício 2

Sente-se em uma cadeira em uma posição reta. Vire a sua cabeça para trás como se estivesse olhando para o céu.

Repita este procedimento por 10 vezes. 5 sets.

Exercício 3

Fique de pé e coloque os dois braços cruzados no seu peito. Depois incline o seu pescoço para baixo para o lado esquerdo e direito.

Repita este procedimento por 10 vezes para cada lado. 5 sets.  

2) Exercícios faciais para reduzir gordura do pescoço:

 

Passar a língua de frente para trás acompanhando o formato do palato (céu da boca):  é um exemplo de um exercício que auxilia na diminuição do famoso “papo”, pois ele ajuda a fortalecer o músculo da base da língua. Por fim, não só a ginástica facial, como também novos hábitos, podem se tornar grandes aliados no combate a flacidez e as rugas. Veja a seguir um vídeo com dicas de ginástica facial:

3) Massagens para reduzir gordura do pescoço:

1) Massagem 1

Com a parte de cima da mão, faça o movimento contornando o seu queixo intensamente. Para a esquerda e direita até a orelha.

Duração: 1 minuto

2) Massagem 2

Com a parte de cima da mão, alternando a mão massageie para a frente.

Duração: 1 minuto

3) Massagem 3

Alternando as mãos, massageie contornando o pescoço até aquecer o músculo.

Duração: 1 minuto

II) E as rugas no pescoço já estiverem presentes, o que fazer para eliminá-las?

3 Métodos para Reduzir a Flacidez (Papada) e as Rugas no Pescoço em um Instante

Atualmente, existem diversos tipos de tratamentos realizados por dermatologistas, os dois mais comuns são o laser e o peeling.

  • Peeling: Os peelings químicos, proporcionam uma forma de tratamento não invasiva, que ajuda a renovação da superfície cutânea, de acordo com a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia). É uma técnica muito usada para o clareamento de pele, auxiliando na redução de manchas e também na reversão de quadros de envelhecimento precoce.
  • Laser: Já em relação ao laser, é importante ressaltar que há uma grande variedade de sistemas  disponíveis para tratar termicamente a pele, as sessões variam, tudo depende do seu quadro clínico e dos dispositivos utilizados.  É indiscutível a necessidade de buscar a orientação de um dermatologista, para saber qual tipo de tratamento é mais indicado às suas necessidades, isso serve não só para a diminuição da flacidez ou das rugas, mas também para cuidados com a pele no geral, se informar sempre é benéfico!

Além dos tratamentos realizados em consultórios, existem alguns pontos que podem ser trabalhados em casa. O primeiro, claramente é o cuidado diário com a pele com hidratantes e protetores. Pode não parecer muito a princípio ou só na teoria, mas a falta do uso desses dois itens pode causar grandes danos na pele.

Outra questão interessante é a ginástica facial, que pode contribuir para a diminuição ou prevenção da flacidez da pele, ajudando a  fortalecer os músculos. Ela envolve exercícios focados na mastigação, expressões e respiração.

Bolinhas nos esmaltes: como evitar

Para as amantes de esmaltes e nail art, existe um pequeno probleminha que volta e meia insiste em aparecer após o processo de esmaltação: bolinhas no esmalte. Essas bolinhas tornam o aspecto da pintura feio, áspero, deixando as unhas até com menos brilho. Porém, quais são as causas disso? Por quê acontece? Como podemos evitá-las? Confira as dicas e diga adeus a este problema:

Causas

As bolinhas no esmalte aparecem por conta da alta temperatura do ambiente. Portanto, fica evidente essa questão no verão, com altas temperaturas que danificam a esmaltação. Porém, no inverno isso pode ocorrer em pessoas que geralmente tem as mãos muito quentes, embora o ambiente esteja frio. Dessa forma, é importante estar em um lugar bem ventilado.

Como evitar?

Já sabemos o motivo das bolinhas, porém, como podemos evitar? O ideal seria após alguns minutos da esmaltação, mergulhar as unhas em algum recipiente com água gelada e gelo. Também, quando for inverno, opte por lavar as mãos com água bem gelada antes de iniciar a esmaltação.

Outra dica é apoiar os dedos em uma garrafa com água praticamente congelada, enquanto outra pessoa esmaltar suas unhas.

Viu só, como um problema tão grande pode ser resolvido com uma solução tão rapidinha?

Como Perder Gordura Abdominal Rapidamente? (Exercícios)

Uma coisa é certa uma grande parcela da população deseja muito perder gordura abdominal. Muitos enxergam a beleza como o principal motivo dessa vontade, principalmente entre as mulheres. No entanto, apesar de em alguns casos essa ser a questão, é importante saber que o excesso de gordura abdominal é prejudicial à saúde, então, a prevenção é essencial para se evitar maiores problemas no futuro.

A gordura pode estar associada a diversos problemas e doenças, sendo um notável fator de risco, por exemplo, para as doenças cardiovasculares, como infarto e até mesmo um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Para perder essa gordura, é necessário que o indivíduo se conscientize e entenda que, apesar de ser uma jornada que requer muito esforço, sacrifícios e dedicação, pode trazer muitos benefícios futuramente, afinal, se cuidar é essencial e faz bem para nós de maneira geral.

Algumas questões são muito importantes para que esse objetivo seja alcançado. Vale ressaltar, que são ações que podem ser positivas para sua vida, mas que precisam ser tomadas com cuidado e atenção, obtendo o máximo de orientações e informações possíveis. Antes de você seguir os passos para perder gordura abdominal, é preciso tomar algumas medidas.

Seguem os 3 pontos essenciais para você planejar antes de seguir as instruções:

5 Dicas Eficientes para Perder Gordura Abdominal

A) Orientação e conscientização:

Sem dúvidas, se informar melhor sobre o assunto, buscar auxílio de médicos e entender melhor o seu corpo, pode ser um meio de achar métodos eficientes, entre eles exercícios e mudanças na alimentação que sejam adequados às suas necessidades e que respeite seus limites. Lembre-se que cada pessoa conta com suas necessidades e limitações particulares, por isso, o mais importante é seguir os métodos mais indicados para o seu tipo de corpo e seus objetivos.

B) Fuja de inventar desculpas:

Você já se conscientizou, sabe o que dá para fazer, mas toda hora inventa um motivo para não ir atrás do que realmente quer? Comece a fugir disso! Naturalmente, cada um conta com um número de limitações, algumas diferentes e outras semelhantes aos outros, porém, se você realmente quer, busque meios de fazer do melhor jeito para si mesmo e sua saúde.  Por exemplo, não dá para ir na academia? Existem exercícios que você pode fazer em casa, como abdominais de diversos tipos. Confira no final do artigo um vídeo com três opções de abdominais para você realizar em casa ou na academia.

C) Determinação e paciência:

Como citado anteriormente, é um processo que requer um grande esforço e dedicação, claramente, as mudanças não ocorrerão da noite para o dia, tudo isso requer tempo e principalmente, que você acredite que é possível. Ter foco também é essencial, quer seja com exercícios feitos em casa ou na academia, quer seja com restrições na alimentação e mudanças de hábitos na rotina, pois esses pontos possivelmente serão alterados nessa busca por perder gordura.

Principais malefícios causados pela gordura acumulada na região abdominal

Quem tem gordurinha na barriga não deve se preocupar unicamente com aparência exterior, mas principalmente com o que essa gordurinha pode causar negativamente para a saúde. Para quem não sabe ela pode atingir as regiões do coração, eleva as chances de se desenvolver diabetes e ainda pode levar a interrupção do funcionamento do fígado.

  • A gordura abdominal pode contribuir para o desenvolvimento de diabetes porque as células presentes na gordura acabam gerando substâncias capazes de desequilibrar o nosso organismo e dessa forma produzir glicose excessivamente;
  • A pressão alta pode surgir porque para inibir o aumento de glicose nas células, o pâncreas acaba elevando e produzindo ainda mais insulina. Todo esse processo acaba promovendo nos vasos de sangue uma maior contração, com o intuito de auxiliar uma maior circulação de substâncias por todo o nosso organismo.
  • E o infarto e o derrame também podem aparecer porque o tecido adiposo da região abdominal é contido por substâncias com capacidade inflamatória e isso pode fazer com que a passagem do sangue seja fechada, elevando significativamente as chances de sofrer infarto e derrame.

15 Dicas para perder gordura abdominal

1- Tome chá

O segredo de muitas dietas está justamente no chá. Esse tipo de bebida, ajuda a eliminar as toxinas e as gorduras. Estudos já demonstraram que o chá contém níveis elevados de theaflavins e tearubiginas que são poderosos antioxidantes que absorvem a gordura.

Para quem tem dúvida na escolha de qual chá tomar, o chá verde tem poder o suficiente para eliminar as gorduras, mas cuidado, pois possui muita cafeína. Também existem outras opções, como o chá de gengibre ou hibisco.

2- Corte o açúcar

Açúcar em excesso é extremamente prejudicial para quem está buscando perder a gordura abdominal. Açúcar refinado é composto por glicose e frutose. Frutose por exemplo, pode ser processado pelo fígado por certa quantidade. Quando você ingere açúcar refinado demais, o fígado fica estufado e é forçado a transformar tudo em gordura. Estudos comprovam que excesso de açúcar pode levar a acumulação de gordura na barriga. Então, tire o açúcar da sua rotina, comece pelos refrigerantes e doces, que são grandes inimigos para a saúde.

3- Coma mais proteína

Quando se trata de perder peso, a proteína é um dos maiores aliados. A proteína pode reduzir a ansiedade em 60%, acelerar o metabolismo em 80-100 calorias por dia e podendo ajudar a comer 441 calorias a menos por dia. A proteína, em geral, faz a pessoa demorar mais para ter fome, em comparação com uma refeição de massa. É eficaz para pessoas que estão de dieta, comer salada e carne pode ser um bom começo para perder barriga. Não esqueça de não abusar e comer proteínas em excesso por muito tempo, pois isso, pode trazer problemas de saúde.

4- Reduza carboidrato

Reduzir o carboidrato é uma maneira muito eficaz para perder barriga. A dieta de redução de carboidrato também reduz a retenção da água, muitas pessoas sentem uma diferença rápida. Apenas evitando carboidratos como pão, massas, arroz e outros, é o suficiente. Se quiser perder peso rapidamente, limite-se a 50 gramas de carboidrato por dia. Isso irá fazer seu corpo queimar a gordura para ter energia, mas assim como o tópico sobre proteína aborda, cuidado para não exagerar, o ideal é buscar uma dieta bem equilibrada.

5- Faça exercício

O tópico anterior aponta para a possibilidade de mudanças na alimentação e vale lembrar que é um dos fatores essenciais, afinal, existe um grande número de alimentos que são prejudiciais à saúde e que, além disso, podem dificultar mais ainda esse processo de eliminar as gorduras. Introduzir alguns exercícios no dia a dia pode contribuir bastante nessa jornada, fazer duas ou três vezes por semana abdominais pode ser uma boa opção, só não é indicado realizá-las todos os dias seguidos. Veja a seguir um vídeo com dicas de abdominais:

Seguindo essas cinco dicas, os benefícios podem aparecer a curto, médio ou em longo prazo, tanto interiormente, quanto exteriormente. Por fim, para perder gordura abdominal, um conjunto de mudanças deve chegar a sua rotina e deve ser levado a sério, não como parte de um processo penoso e sofrido, mas como algo benéfico para sua vida.

6- Aumente o consumo de fibras solúveis

A fibra solúvel é muito importante, porque ela possui a capacidade de absorver toda a água que fique ao seu redor e transformá-la em um tipo de gelzinho que auxilia na diminuição do tempo que os alimentos demoram a ser digeridos. Quando isso acontece, o indivíduo começa a se sentir mais saciado por um intervalo de tempo maior, e consequentemente acaba comendo bem menos no decorrer do dia, já que sente menos fome. Além disso, ingerir alimentos desse gênero faz com que a carga de glicemia se altere, e com isso a quantidade de insulina que antes era liberada diminui e ajuda a controlar melhor os índices de glicose sanguínea.

Em suma, toda caloria que você consumir, apresentará menor chance de ser convertida e guardada no corpo na versão de gordura e é por isso que comer fibras nos ajuda a perder muito mais rápido toda aquela gordurinha indesejável que acaba se acumulando na nossa barriguinha. Anote aí quais são os melhores alimentos ricvos em proteína para você:

  • Feijão ( de todo tipo);
  • Lentilha;
  • Amendoim (de preferência natural);
  • Frutas em geral, dando destaque para a laranja e a manga;
  • Vegetais em geral, dando destaque para o brócolis;
  • Batata doce.

7- Corte do seu cardápio a gordura trans

Provavelmente você já ouviu falar que gordura trans faz muito mal não é mesmo? Pois bem, tal gordura tem sua criação baseada na adição de hidrogênio associado a óleos de origem vegetal. É ela que provoca problemas tais como a inflamação no corpo, enfermidades ligadas a região do coração, maior resistência a substância da insulina e consequentemente uma maior concentração de gorduras na região do abdômen.

Para evitar consumi-la fique ligado nos principais alimentos fontes de gordura trans:

  • Bolo, torta e doce no geral;
  • Biscoitos e bolachas industrializados;
  • Frituras e fasfood;
  • Pipoca especial de microondas;
  • Alimentos congelados.

8- Jejum intermitente

Fazer jejum intermitente é positivo para o processo de emagrecimento, uma vez que possibilita uma melhor otimização da própria ação de alguns hormônios, tais como o GH e a insulina e isso possibilita a criação de um local mais favorável para a promoção de uma maior queima de gordura.

Mas não se preocupe que fazer esse jejum é bem fácil e se você desejar pode começar desde já. Basicamente é necessário permanecer em um jejum de no mínimo dezesseis horas seguidas diariamente e devidamente se alimentar em um intervalo de oito horas. Você rapidamente irá notar uma queima maior das gordurinhas abdominais.

9- Diminuir ou cortar o consumo de bebidas alcoólicas

Não é novidade para ninguém que o álcool é um vilão de todas as dietas. Quem exagera no seu consumo acaba tendo menos massa muscular e consegue ganhar muito mais gordura corporal. A cintura é a maior afetada pelas gorduras decorrentes do consumo em excesso de bebidas alcoólicas.

Não é totalmente proibido beber, mas deve ser feito de forma bem controlada, pois de nada adianta fazer exercícios, se alimentar bem, mas escorregar na bebida alcoólica. O abuso é na verdade o maior problema, então quem quer ficar com a barriguinha chapada precisa cortar ou reduzir significativamente o consumo dessas bebidas.

10- Se esquive do estresse

             Se você não sabia, fique ligado que se estressar demais pode fazer com que você ganhe peso e principalmente gordura na parte do abdômen, visto que o estresse produz cortisol. Alguns estudos realizados comprovaram que quem sofre de nível alto de estresse acaba tendo o apetite aumentado consideravelmente, e por comer em excesso acabamos ganhando mais gordura na barriga.

Claro que não é tarefa fácil se esquivar do estresse, e não há formula mágica que nos ajuda a cortar de vez da nossa vida, mas existem alguns métodos que podem nos auxiliar nesse combate ao estresse. Anote-os aí:

  • Assista mais filme e série de comédia;
  • Mantenha sua playlist de músicas favoritas atualizadas e escute sempre que puder;
  • Evite respirar pela boca, pois aumenta a sensação de ansiedade e estresse;
  • Analise as situações e quando observar as que não possuem seu controle evite se preocupar desnecessariamente;
  • Concientize-se de que pensar negativo em frente a uma situação ou positivo geram o mesmo esforço, então o melhor é ser positivo e deixar de lado estresses a toa.

Tais dicas podem até parecer óbvio demais, porém de fato fazem toda a diferença quando colocadas em prática. Não deixe de testá-las.

11- Insira óleo de coco na dieta

O óleo de coco possui uma gordura extremamente saudável para o ser humano e consumi-lo pode ajudar a reduzir consideravelmente os níveis de gorduras acumuladas na região do abdômen. Cozinhar com ele é a melhor opção, contudo o óleo é altamente calórico, então é preciso controlar bastante a sua ingestão para não provocar efeito adverso do esperado.

12- Dormir bem e de forma correta é essencial

Com certeza você já ouviu falar sobre o quão importante é dormir para a boa manutenção da nossa saúde e isso está diretamente ligado a quantidade de gordura corporal que ganhamos e acumulamos indesejadamente.

Quem não dorme pelo menos oito horas diárias acaba acumulando muito mais gordura na região do abdômen do que quem consegue dormir entre quinze e dezesseis horas por dia. É compreensível que nem todo mundo pode dormir esse tempo todo, mas não deixe de priorizar o seu sono tentando dormir o máximo e o melhor que você puder.

13- Evite consumir suco de frutas

Suco natural é saudável por ser rico em vitaminas e mineral, em contrapartida pode proporcionar as mesmas quantidades elevadas de açúcar, assim como é o caso dos refrigerantes em geral. O ideal é consumir a própria fruta, que inclusiva é rica em fibras que promovem o atraso do processo de absorção de açúcar e consequentemente não provoca fatores prejudiciais a saúde.

Mas você pode até questionar: E os sucos feitos com o bagaço da própria fruta não são ricos em fibras também? E a resposta é sim, mas de todas as alternativas disponíveis, comer a fruta sempre será a melhor opção.

Quem é viciado em beber suco, pode substituir a bebida por outra muito mais saudável: a água. As maiorias dos indivíduos deixam de consumir bebidas prejudiciais, como é o caso dos refrigerantes, mas erroneamente dobram o consumo dos sucos naturais, acreditando que estão fazendo a coisa certa. Se você quer perder gordura abdominal precisa rever seus hábitos e modificá-los de forma correta.

14- Inserir termogênicos na dieta

Os termogênicos auxiliam satisfatoriamente na aceleração da velocidade com que o nosso organismo trabalha e ainda eleva os níveis de quebra de gordura do corpo, transformando-a em energia. Com os termogênicos acabamos queimando muito mais calorias.

15- Inclua vinagre de maça na dieta

O vinagre de maçã tem diversos benefícios, assim como o chá verde e um deles é a capacidade de reduzir as quantidades de açúcar que circulam no sangue. Em outras palavras, podemos afirmar que o vinagre faz com que o nosso corpo acumule muito menos gordura no corpo, inclusive a abdominal. E consumir entre uma ou duas colheres diariamente dela, todas as manhãs, já lhe proporcionará todos os benefícios.

Assista o vídeo com exercícios abdominais que você pode fazer em casa (4:22): 

O que o Formato do Nariz Diz Sobre a sua Personalidade

Calma! não precisa levar tão sério que tipo de nariz você tem. Estas descrições foram baseadas nas estatísticas das personagens famosas. Há quatro grandes categorias de formato de nariz e as suas personalidades. Veja a descrição de cada um dos formatos.

A) Nariz grande: nariz grande geralmente tem um canal longo e mais largo. Isso determina o quão grande é a sua paixão, egoísmo e confiança. Esse formato basicamente representa as pessoas que gostam de dar ordens e querem trabalhar de forma independente.

B) Nariz pequeno: nariz pequeno tem um canal com largura e comprimento bem pequeno. As pessoas com narizes pequenos são jogadores que gostam de utilizar a sua criatividade para fazer tarefas totalmente diferentes.

Pessoas com este perfil podem, também, ser frustradas e impacientes. O que pode afetar seu temperamento. Ainda assim, elas gostam de ajudar os outros e são boas em lidar com qualquer tipo de problema.

C) Nariz longo: nariz longo indica que você tem bons instintos, grande senso de negócio e uma boa ambição. Você costuma encontrar forças para lidar com seus maiores problemas.

D) Nariz curto: nariz curto é normalmente muito leal, mas eles podem ter pouca ambição e controle. Eles não são os líderes e são, geralmente, dominados por aqueles que manifestam fortes qualidades de liderança, mas eles são amáveis, emocionais, doces e altamente sensíveis.

Segue a lista com as descrições dos formatos de nariz e as suas personalidades.

O que o seu nariz diz sobre a sua personalidade

1) Nariz côncavo

O que o formato do seu nariz diz sobre a sua personalidade

Uma pessoa com nariz côncavo tem uma formato de tobogã com uma ponta saliente. Um exemplo perfeito desse formato é a Marilyn Monroe. As pessoas com esta forma do nariz são geralmente muito gentis, otimistas e emotivas. Eles estão sempre dispostos a oferecer seu apoio e amor para todos ao seu redor. Essas pessoas são sexualmente aventureiras.

2) Nariz Reto

nariz personalidade

Também conhecido como um nariz grego que tem uma ponta pontiaguda e uma narina estreita. Um grande exemplo de nariz tipo reto é Sean Penn. Geralmente essas pessoas são inteligentes, inspiradores e funcionais. Pensam sempre logicamente e encontram uma maneira de superar problemas em suas vidas. porém, não são bons na hora de demonstrar suas emoções.

3) Nariz Convexo ou Nariz Romano

O que o formato do seu nariz diz sobre a sua personalidade

Também conhecido como nariz romano, um tipo de nariz convexo tem tipo de uma lombada na parte de cima do nariz. Uma das pessoas mais marcantes com um nariz convexo é Abraham Lincoln. Se alguma vez você encontrar uma pessoa com um nariz convexo, esteja pronto para seguir a sua liderança. Eles nascem líderes e você simplesmente não pode dominá-los ao menos que você também tem uma forma do nariz semelhante. A coisa boa é que essas pessoas trabalham impulsivamente, mas nunca se apressam para tomar decisões. Eles são também grandes organizadores e não são agressivos.

4) Nariz achatado

O que o formato do seu nariz diz sobre a sua personalidade

Bastante comum entre os asiáticos e africanos, um nariz achatado tem a narina de cumprimento curto e arredondado na ponta. Se você conhece alguém com um nariz achatado, pense duas vezes antes de dizer qualquer coisa. Estas pessoas, embora sejam eficientes em diversas tarefas, podem ser extremamente temperamentais e propensas a explosões, sem motivo aparente .

5) Nariz núbio

O que o formato do seu nariz diz sobre a sua personalidade

Se você tem um nariz longo e com uma base mais ampla, você cai nesta categoria. Olhe para uma foto de Barack Obama para ter uma ideia de um nariz núbio. Se você encontrar alguém com um nariz núbio pela primeira vez, acostume-se porque ele(a) gosta de encontrar novas maneiras de resolver problemas .

Essas pessoas são extremamente curiosos e querem saber sobre tudo. Isso geralmente influencia a seu favor e os torna bastante carismático. Você vai encontrar essas pessoas socialmente ativas. Algo que expressa as suas verdadeiras expressões e trabalha direcionado a sua ideologia.

6) Nariz Anzol

nariz personalidade

Conhecido também como nariz adunco, geralmente tem contornos nítidos e uma curva acentuada no meio. John Lennon é um grande exemplo de alguém com um nariz adunco. Se você conhecer alguém com um nariz adunco, saiba que você não conseguirá influenciá-lo facilmente com o seu ponto de vista e opiniões.

Eles são seus próprios chefes e geralmente gostam de andar por fora do caminho comum. Você vai encontrá-los fazendo coisas estranhas às vezes, porque eles não precisam de aprovação do povo para tudo o que fazem. Eles só se sentem felizes e satisfeitos seguindo seus próprios objetivos.

7) Nariz pequeno

Nariz personalidade

Se o seu nariz é pequeno com uma ponta que não é nem redondo e nem achatado. As pessoas com este tipo de formato muitas vezes é arrogante. Muhammad Ali e Wayne Rooney são dois exemplos perfeitos.

O momento em que você aperta as mãos de pessoas que têm tal forma do nariz, você saberá que você está encontrando alguém temperamental e agressivo em tudo que faz. Eles agem rápido em aspectos mentais e físicos, e que muitas vezes reagem um pouco rápido demais.

8) Nariz ondulado

nariz personalidade

A vista lateral de alguém com um nariz ondulado irá mostrar-lhe uma estrutura irregular. Uma pessoa pode ter um nariz ondulado devido a lesões ou deformidades, como no caso do ator Owen Wilson .

Se for genética, ele irá se manifestar certos traços de personalidade. Se você está encontrando alguém com um tipo de nariz ondulado, você está lidando com alguém que é divertido, amoroso e entusiasmado. O que significa é que, se você está se divertindo, não esqueça de chamar os amigos com nariz ondulado para animar o ambiente.

Depois de ler este artigo, experimente! Quando você encontrar alguém, preste mais atenção no nariz. Dê uma olhada e compare com as descrições acima. Isso pode ser uma boa maneira de descontrair quando você encontra alguém pela primeira vez. Divirta-se!

Nistagmo – Principais Causas e Tratamentos

O nistagmo, ou “olhos dançantes”, é uma disfunção ocular em que ocorrem movimentos repetitivos e involuntários dos olhos. Os movimentos podem ser tanto no sentido vertical, horizontal ou circular. Eles dificultam a visão, principalmente, o foco de algum objeto ou coisa, além de causar, muitas vezes, desequilíbrio, náuseas e vertigem.

O Nistagmo pode atingir os dois olhos ou apenas um e é quase que incontrolável. São encontradas duas formas do transtorno: a primeira chamada de nistagmo infantil e a segunda de nistagmo adquirido. Essa segunda forma da doença pode ser um sinal de uma doença mais perigosa, como é o caso do traumatismo craniano, AVC, ou de toxidade, que se relaciona ao uso de drogas. É por isso que quando sentimos alguns sintomas dessa disfunção ocular, devemos ir ao oftalmologista e à profissionais especializados.

Como se dá seu funcionamento?

Se deitarmos, ficarmos de pé ou de cabeça para baixo, ainda sim conseguiremos identificar qual é o lado de cima e qual é o lado de baixo não é mesmo? E você sabe porque isso é possível? Porque temos um sistema chamado de vestibular, que consiste num conjunto de órgãos que juntamente com a cóclea forma uma espécie de labirinto, mais conhecido pela gente de ouvido interno. Esse sistema é responsável por identificar os nossos movimentos corporais e dessa forma mantê-los equilibrados.

Além disso, esse sistema se compõe de três canais: anterior, posterior e horizontal, que ao se juntarem formam o que se chama de vestíbulo. Dentro desses canais existe um líquido que os preenchem, mas não por completo. Por isso, o líquido tem a capacidade de se movimentar dentro deles, conforme o movimento que o indivíduo faça com a cabeça. Vale enfatizar que cada posição feita com a cabeça, torna possível para o líquido, atingir partes distintas dos canais.

É por intermédio do sistema vestibular que o nosso cérebro identifica a posição da cabeça, e para que não haja confusão na visão, cada movimento da cabeça é seguido com o movimento do olho. E a fim de que tais movimentos aconteçam, os nervos localizados na região ocular são ativados. Para quem não sabe, esses nervos são parte integrante do nosso sistema nervoso integrador, que possui a responsabilidade de analisar e armazenar todas as nossas informações de caráter sensorial. É por meio desse sistema que o nosso cérebro envia ordens para os músculos dos nossos olhos, a fim de realizarem os movimentos fundamentais.

Além disso, é o reflexo de fixação que tem a capacidade de fazer com que o olho se mantenha na posição efetiva e correta para conseguir capturar a imagem daquilo que de fato ele deseja focalizar e enviar para a região cerebral promover a interpretação. São esses artifícios do nosso cérebro que nos permite focar nas imagens que captamos quando a nossa cabeça está em movimento, impedindo que nossa visão se desregule e enxerguemos pequenos borrões.

Tipos de Nistagmo

No nistagmo, podemos falar em divisão tipológica, pois dependendo do movimento ocular característico do paciente, o problema acaba recebendo uma classificação diferenciada. Além disso, as causas envolvidas com o surgimento do nistagmo também influem diretamente no tipo específico. Vejamos a seguir a cadeia de classificação da doença:

Vestibular: esse tipo de nistagmo se origina em decorrência de lesão ou desordem em quantidade significativa que acaba aparecendo no sistema vestibular, que para quem não sabe trata-se da região do ouvido, mais precisamente em sua parte interna, que é responsável por regular e manter o movimento ocular de forma equilibrada. Essa versão do problema se subdivide em outras classificações. Veja elas a seguir:

Tipo Periférico: é caracterizado por movimentos uniformes, que são voltados horizontalmente para a região que a lesão se encontra. A uni direção dos movimentos quer dizer que se, por exemplo, uma pessoa apresentar lesão na parte esquerda do olho, significa que os movimentos se darão de forma lenta para a direção esquerda e de forma rápida irá tentar corrigi-lo para a direção inversa. Da mesma maneira ocorre se a lesão estiver localizada na parte direita, onde o movimento ocular terá comportamento inverso ao que apresentamos um pouco mais anteriormente. Esse tipo de nistagmo vem frequentemente associado a uma espécie de zumbido no ouvido ou até mesmo o indivíduo pode apresentar algum nível de surdez na região atingida.

Tipo Central: Nesse caso, assim como o periférico, os movimentos oculares podem seguir uma única direção, porém a diferença é que ele também pode apresentar direções variadas. Geralmente são movimentos de caráter vertical e pode ser em algum momento o que chamamos de torsional. Além disso, a lesão nesse tipo de nistagmo costuma se localizar na região do cérebro, mais precisamente em sua parte interna, onde se situa o sistema vestibular de caráter central.

Congênito: A segunda classificação do nistagmo, chamamos de nistagmo congênito e ele ocorre quando sua causa é de origem patológica, ou seja, o indivíduo desenvolve o problema visto que ele herda da mãe no momento em que nasce ou à medida que vai se desenvolvendo ainda na fase bebê. A maior incidência do problema ocorre na criança entre dois e três meses de vida e na maioria dos casos é de caráter genético. Inclusive, os movimentos oculares nessa situação costumam ser comumente na direção horizontal.

Evocação por intermédio dos olhos: Esse é o terceiro e um dos tipos do problema que mais ocorre. Primeiramente, para que compreendamos melhor é bom conhecermos mais sobre a posição ocular excêntrica. Ela ocorre quando os olhos de uma pessoa não estão conseguindo se manter na posição natural voltando para o seu relaxamento. Quando a região ocular tenta de maneira involuntária se encaixar nessa posição ocorre o que chamamos de nistagmo de evocação ocular.  Basicamente isso acontece quando um indivíduo olha em direção de algum lado (direito ou esquerdo) sem necessariamente movimentar a sua cabeça ou quando ele olha o seu nariz e acaba ficando vesgo de maneira involuntária.

Esse tipo de nistagmo costuma ocorrer em decorrência de um indicio de que os olhos podem estar com uma posição desregulada referente ao sistema nervoso que o integra. Para ser mais claro, o nosso cérebro é o responsável por receber a mensagem referente ao fato da posição ocular estar anormal. Quando isso acontece ele automaticamente age visando corrigir esse problema, através de movimentos que o levem para uma posição descentralizada.

Spasmus Nutans: Esse tipo do problema é caracterizado não só pelo nistagmo em si, mas vem junto com quadros de torcicolo e movimentos de balanço de cabeça. Sua incidência costuma ser em crianças que apresentam entre três e quinze meses de vida, contudo ao atingirem três ou quatro anos ela frequentemente desaparece. É importante saber que em alguns quadros a doença pode se prolongar até os seis anos de vida, porém essa é uma ocorrência bastante rara, se tratando dessa versão do problema.

Além disso, se tratando desse tipo de nistagmo, vale enfatizar que por vezes costuma ocorrer uma espécie de oscilação que apresenta uma amplitude de nível baixo, e inclusive é uma ocorrência rápida. Essa oscilação geralmente atinge igualmente os dois olhos do paciente, entretanto pode acontecer de de repente acabar atingindo apenas um deles e ainda se apresentar assimetricamente, variando em ambos os olhos e se caracterizando por distintas posições.

Quais as causas do Nistagmo?

As causas do nistagmo estão diretamente relacionadas aos seus tipos. No tipo infantil, a doença se desenvolve devido a uma má formação da área do cérebro que controla o movimento dos olhos. Esse desenvolvimento falho é também chamado de congênito ou espasmo nutans. A doença, nesses casos, costuma ser mais branda. Quando não se tem o diagnostico desse transtorno nos primeiros meses de vida, a forma da doença é denominada de “nistagmo adquirido”.

O segundo tipo, o nistagmo adquirido, já possui algumas outras causas que dependem muitas vezes do desenvolvimento de outras doenças, de hábitos e de outros fatores externos. Nesse tipo, a pessoa pode desenvolve a doença por conta de:

  • Ingestão de álcool
  • Algumas doenças, como esclerose múltipla e Parkinson
  • Lesões (essas lesões são mais ligadas ao aparelho vestibular desde o labirinto até o córtex cerebral)
  • Labirintite
  • Uso constante de sedativos
  • Falta de vitamina B12 no corpo

Como ocorre o Nistagmo em bebês?

No Tópico acerca dos tipos de nistagmo podemos ver brevemente como ele pode afetar as crianças no geral. Para reforçar esse assunto retomaremos algumas informações a fim de que não haja dúvidas sobre o tema.

Quando um bebê nasce ele pode adquirir nistagmo ou simplesmente desenvolvê-lo com alguns meses de vida. Isso acontece porque o problema também pode ser de origem genética. Dessa forma, se a mãe do bebê ou algum parente muito próximo ter a doença, existem muitas chances de que ele venha adquiri-la também. A maioria das situações de quadro em crianças, acabam melhorando quando elas atingem os seis anos de idade, mas quando isso não acontece é necessário leva-la ao profissional indicado, lembrando que essa situação tem frequência mais rara. O comum mesmo é que o bebê com nistagmo melhore essa condição futuramente.

Principais sinais do problema

Para compreendermos bem tudo que envolve um problema é importante conhecer todos os seus principais sintomas. Claro que quando se trata de nistagmo, é bem nítido que o principal sinal é quando os olhos começam a se movimentar de forma involuntária, mas o que não sabemos é que tais movimentos podem variar bastante dependendo do caso. Pensando nisso, abordaremos a seguir as principais características que podem estar presentes em casos de nistagmo com base nos diversos tipos de movimentos que ele pode apresentar:

Movimento realizado em sentido horizontal: Nesse caso, os movimentos oculares costumam apresentar baixa amplitude e se destacam por ser em sentido horizontal.

Movimento realizado em sentido vertical: Como o sentido nesse caso é vertical, desse modo os movimentos oculares variam de cima para baixo, possuindo também uma amplitude de nível baixo.

Movimento do tipo Downbeat: Para quem não sabe, Downbeat é de origem inglesa e quer dizer batida para baixa. Partindo desse conceito, esse tipo de movimento nos olhos quando há o nistagmo, faz com que o olho se movimente rapidamente para baixo. Geralmente esse problema indica a existência de uma lesão localizada na junção do crânio cervical, como ocorre por exemplo no caso da síndrome de Arnold-Chiari. Essa síndrome se trata de uma doença de caráter congênito e surge em decorrência de uma invasão que ocorre no canal espinhal e essa invasão é feito pelo tecido do cérebro.

Movimento do tipo upbeat: Como vimos anteriormente, o Downbeat é caracterizado por movimentos rápidos em direção para baixo. Ao contrário dele está o movimento upbeat, que o movimento é em direção para cima. Quando isso ocorre pode indicar a existência de alguma lesão localizada na medula.

Movimento Torsional: Nesse tipo de movimento, os olhos costumam rotacionar com sentido ao seu eixo propriamente dito. Se você tentar fazer esse movimento por vontade própria irá notar que não há como fazê-lo. Quando falamos de nistagmo do tipo vestibular, o movimento nas direções horizontal e vertical podem ocorrer em conjunto com esse movimento torsional. Ele geralmente ocorre quando existe alguma lesão no canal vestibular, seja anterior ou posterior, simultaneamente no mesmo lado.

Movimento Pendular: Aqui acontece o que chamamos de junção de movimentos dos olhos, reunindo os de caráter horizontal, vertical, elíptico e rotatório mutuamente. Todo esse somatório de movimentos resulta em um de característica pendular com direção circular na região da órbita ocular, apresentando uma similaridade de velocidade toda vez que muda o seu direcionamento. Quando isso ocorre em um indivíduo, pode ser indício de que existe alguma disfunção na região do tronco encefálico ou também na região do cerebelo.

Movimento Gangorra: Nesse tipo de movimentação ocular, um dos olhos fica oscilando entre movimento para baixo e para fora, enquanto que o outro se movimenta para cima e para fora. Na maioria dos quadros, esse movimento tende a acompanhar o ritmo da frequência cardíaca do paciente. Sua incidência tem frequência rara e geralmente atinge os indivíduos que apresentam algum tipo de lesão na região do quiasma dos olhos, que é onde ocorre o encontro dos nervos localizados na região ocular.

Indo muito mais além dos tipos de movimento, existem outros sintomas do nistagmo que podem aparecer. Veja a seguir os mais comuns:

  • Problemas com surdez e zumbidos: pode ocorrer no problema do tipo periférico e ainda, junto com ele, zumbidos no ouvido também podem surgir. Vele enfatizar que esse zumbido não necessariamente surge por conta de um fator externo, nesse caso o problema em si é o maior responsável por ele.
  • Problemas com tontura: as tonturas podem surgir porque lesão na região do sistema vestibular pode acabar desenvolvendo esse problema.
  • Problemas com vertigem: para quem não sabe, vertigem é aquela sensação desconfortável de que estamos girando mesmo quando estamos parados. Essa sensação pode sim surgir em casos de nistagmo, a depender da espécie de lesão que afetou o indivíduo.
  • Problemas com sensibilidade: Nesse caso, é possível que o paciente fique mais sensível à luz.
  • Problemas de percepção: O indivíduo pode ter também a sua capacidade de percepção ligada a profundidade significativamente modificada. Isso ocorre principalmente no momento em que as imagens que o nosso cérebro recebe dos olhos não recebem interpretação unificada.
  • Problemas para enxergar em ambientes escuros: quem tem nistagmo pode sentir dificuldade para conseguir enxergar em locais de pouca iluminação.
  • Problemas com falsas sensações: muitas vezes os olhos se movimentam muito rapidamente, de forma repetida e involuntária. Esse fato pode fazer com que o indivíduo enxergue as coisas como se elas estivessem tremendo e por isso que falamos sobre a sensação de terremoto que o nistagmo pode causar.
  • Problemas com falta de equilíbrio: O sistema vestibular do ser humano tem a responsabilidade de regular e manter o equilíbrio corporal efetivo. Quando ocorre lesão nesse sistema, podemos acabar sofrendo com desequilíbrios.
  • Problemas com visão dupla: A diplopia pode aparecer em alguns casos peculiares, onde a posição ocular é mais característica. Geralmente atinge os casos onde a lesão no quiasma do olho é existente. Esse quiasma é a região do olho que auxilia o cérebro na interpretação das imagens que o olho envia de forma unificada, ou seja, visualizar duas imagens como se fosse apenas uma. Em vista disso, se ocorre uma lesão nessa área, essas imagens são interpretadas separadamente.

Tratamentos para o Nistagmo

Para o caso de nistagmo congênito (adquirido logo após o nascimento) não há tratamentos específicos conhecidos e, na maioria dos casos, eles são permanentes. Como não há um tratamento específico para a doença, alguns pesquisadores se dedicam a encontrar os genes ligados a ela para o desenvolvimento de testes genéticos e um diagnóstico mais rápido e eficiente.

O que pode ocorrer são algumas soluções para melhorar a focalização dos objetos e a visão em si. Nesses casos, são usados alguns tipos de tratamentos ópticos, como a ortóptica (procura corrigir as anomalias oftalmológicas sem o uso de cirurgias), tratamentos ópticos com prismas, uso de lentes de contato ao invés de óculos (para prevenir eventuais problemas), aumento das letras nos computadores, entre outras medidas.

Já os tratamentos para o nistagmo adquirido depende muito de suas causas. Nistagmos adquiridos podem ser tratados com cirurgias e medicamentos. Alguns medicamentos são usados como estimulantes do sistema neurotransmissor, como é o caso do ácido gamma- amino- butírico / GABA, e outros medicamentos são usados como diminuidoras das atividades do cérebro e do seu sistema neurotransmissor, como é o caso do glutamato. Já as cirurgias realizadas são todas voltadas para os músculos dos olhos e visam à melhora da sutileza da visão.

Como ele é diagnosticado?

Quando você se depara com alguém que esteja sofrendo com nistagmo, é bem perceptível identificar o problema. Mas o diagnóstico deve ser dado por um médico profissional que encaminhe o paciente para o melhor tratamento e dentre os quais o indivíduo pode consultar estão: o profissional de neurologia, clínico geral ou ainda um profissional de oftalmologia.

Embora seja fácil diagnosticar o problema, é extremamente importante descobrir a verdadeira causa associada. Em vista disso, o profissional qualificado acaba solicitando algumas informações peculiares a respeito do indivíduo, para ajudá-lo nesse processo. Dentre as mais requisitadas destacamos:

  • Histórico médico do indivíduo;
  • Momento em que o problema começou a surgir;
  • Constância do problema: intercalado ou prolongado;
  • Prováveis circunstâncias que provocam ou melhoram o problema;
  • Provável existência de problemas adicionais como a tontura, o desequilíbrio ou dificuldade para ouvir, contemplando a surdez.

Agora como vimos, existem diversos tipos do nistagmo, por isso é necessário utilizar alguns mecanismos que ajudem a descobrir exatamente qual a versão do problema que está afetando o paciente. Dentre os métodos mais utilizados estão:

Eletronistagmografia: Através deste exame é possível fazer uma avaliação sobre os movimentos realizados pelos olhos por intermédio de variadas gravações, inclusive este método permite também fazer um teste sobre o sistema vestibular propriamente dito. Com ele é possível não só descobrir se existe um possível nistagmo, como também ajuda a saber se existem outras complicações associadas a problemas de tontura, falta de equilíbrio e até mesmo vertigem.

Videonistagmografia: Esse Exame apresenta funções similares ao do exame anterior. Para realiza-lo é utilizado câmeras de tamanho pequeno, a fim de que se capture um vídeo mais amplo e preciso para se estudar a analisar se existe de fato algum problema com nistagmo.

Tomografia Computadorizada: Esse método é comum para se descobrir as diversas causas decorrentes de problema com nistagmo, que podem estar ligadas à região cerebral, desde a existência de tumor até mesmo de lesão na região em questão. Geralmente solicita-se esse exame, quando os outros mencionados anteriormente por si só não conseguem descobrir os fatores que possam estar ocasionando o problema.

Ressonância Magnética: A ressonância trata-se de um exame que assim como a tomografia visa descobrir os fatores principais ligados a existência do nistagmo. Então, quando os exames já feitos não são suficientes para descobrir a verdadeira causa, a ressonância é mais um novo método utilizado para aprofundar as análises sobre o caso.

Quem tem mais chance de desenvolvê-lo?

Assim como qualquer outra enfermidade, existe um grupo de indivíduos que possuem maior risco de desenvolver o nistagmo, por isso falamos sempre de grupos de risco. Para que você saiba se está ou não nesse grupo, destacamos os casos mais prováveis a seguir:

Pessoas com Síndrome de Down: problemas ligados à visão são mais frequentes do que imaginamos em portadores da Síndrome de Down. Em vista disso esse grupo de pessoas tem mais chance de desenvolver nistagmo.

Pessoas albinas: O indivíduo albino, sofre da escassez de melanina que acaba prejudicando a sua visão. Em vista disso, o albinismo está diretamente associado com casos de nistagmo.

Portadores de Esclerose Múltipla: Para quem não sabe, a esclerose destrói a camada responsável por proteger os nervos do sistema de imunidade um indivíduo. É exatamente esse fator que promove o aumento das chances de aparecer nistagmo no paciente.

Existe cura para o Nistagmo?

Felizmente tem como curar esse problema, mas temos um, porém: isso só é possível se a sua verdadeira causa puder ser curada. Quando o indivíduo desenvolve o problema, acaba tendo mais chances de curá-lo, uma vez que descobrindo a causa é possível tratá-la com maior facilidade. O que não acontece com quem herda geneticamente o problema, que apesar de ter chance de melhorar, é muito mais difícil alcançar esse objetivo. Somente o profissional do paciente pode analisar e verificar se o tipo do nistagmo é curável ou não.

Como conviver com o prognóstico?

As pessoas que são diagnosticadas com nistagmo, sofrem por não conseguir enxergar de forma precisa, porque os movimentos anormais dos olhos acabam prejudicando e atrapalhando o foco. Contudo, se fizerem o tratamento adequado, existe a possibilidade de amenizar esses fatores negativos causados pelo problema, promovendo desse modo melhora significativa na acuidade da visão.

Em quadros de nistagmo com nível mais simples é mais fácil lidar e conviver com os problemas que ele pode promover, mas em decorrência de outros possíveis sintomas da enfermidade que costumam aparecer, como é o caso dos movimentos em círculos dos olhos, é muito importante manter uma rotina diária de cuidado. Anote a seguir algumas recomendações benéficas para esse caso:

Frequentar o neurologista e o oftalmologista: Se você já sabe que sofre com o problema, precisa estar ciente de que é necessário acompanhar seu progresso frequentando seus médicos neurologista e oftalmologista. Desse modo você ainda previne para que o nistagmo não apresente piora.

Seguir à risca todo o tratamento: Quem quer se curar do problema precisa ser focado e seguir todas as recomendações do tratamento orientadas pelo médico. Mesmo se não existir chances de cura, ainda tem como melhorar a acuidade da visão.

Aceitar apoio educacional: No caso de criança com nistagmo, é muito importante que ela receba acompanhamento de profissionais qualificados que a ajudem focar nas imagens, minimizando dessa forma o aparecimento futuro de problemas causados pela enfermidade que inclusive podem afetar os seus estudos e aprendizado.

Tratar o problema é sempre a melhor opção para quem deseja encontrar a cura ou no mínimo evitar que pioras aconteçam no quadro. Claro que nem sempre existe a certeza de que o problema será solucionado, mas na maioria dos casos em que há possibilidade de cura, o mais indicado é lutar por ela e assim melhorar a qualidade de vida.

Quais são as possíveis complicações?

Se o indivíduo diagnosticado com nistagmo não o tratar de maneira adequada, a sua visão sofrerá ainda mais com as consequências. Um dos problemas que podem ocorrer é dificuldade para focar nas imagens que observa, e isso acaba impedindo eu o indivíduo consiga ler ou fazer qualquer outra atividade simples do gênero.

Existe prevenção?

É importante frisar que boa parte das ocorrências de nistagmo não tem como prevenir e isso se justifica pelo fato de que a maioria dos fatores que provocam seu surgimento são incontroláveis e não tem como ser prevenidos. De maneira geral, recomenda-se que haja cuidados eficientes com a questão da higienização dos ouvidos, que irá prevenir a ocorrência de infecção no ouvido inferno. Aliás, vale ressaltar que esse cuidado deve ser cauteloso, para que não aconteça de provocar lesões na região. Destacamos mais adiante outras formas de possível prevenção, anote elas aí:

Evitar usar cotonetes na região interna da orelha: poucos sabem que essas hastes são voltadas para a limpeza externa da região da orelha, e acabam limpando dentro do ouvido. Isso pode provocar lesões nessa região, tanto no ato de empurrar a cera para a parte interna, como também pode machucar o sistema vestibular, ocasionando o nistagmo.

Manter o corpo sempre hidratado: Quem vai se expor a luz solar precisa manter a pele hidratada, pois problemas com insolação podem provocar nistagmo, inclusive nas pessoas que costumam passar muito tempo tomando sol. Sem esquecer é claro do protetor solar que é imprescindível para proteger a pele de outras doenças.

Usar preservativo: Talvez você se pergunte: o que o preservativo tem a ver com o problema? Simples, preservativo previne doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis, que pode promover o surgimento do nistagmo.

Prevenir-se contra Acidente Vascular Cerebral: Nem sempre dá para evitar a ocorrência de um AVC, porém podemos minimizar os riscos de sofrer com um. Para isso você precisa tomar algumas providências das quais enfatizamos:

  • Deixar de fumar;
  • Ter uma alimentação adequada;
  • Consumir bebida alcoólica de forma equilibrada;
  • Diminuir o consumo do sal;
  • Manter o peso saudável;
  • Evitar se estressar;
  • Praticar atividades físicas.

Consumir alimentos que sejam ricos em magnésio e vitamina b12: Quando falamos nesses alimentos damos destaque ao peixe, que é rico em vitamina b12. E para obtermos fontes de magnésio podemos investir na banana que é saudável e muito saborosa.

Se ao ler o artigo você identificou-se com o problema ou conhece alguém que está sofrendo desse mal, ajude-a a buscar imediatamente ajuda profissional a fim de melhorar sua qualidade de vida e quem sabe curar o nistagmo. Não deixe aliás de fazer o possível para manter uma vida saudável e prevenir-se desse mal. Compartilhe esse texto com amigos e os ajude a compreender também tudo que envolve esse tema, afinal a saúde é nosso bem mais valioso!

 

 

 

TDAH: Tratamento, Teste, Sintomas.

TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é um distúrbio que tem como características principais a falta de atenção, a inquietude e a impulsividade. A doença é mais comum em crianças e adolescentes. Cientificamente, trata-se de uma disfunção neurobiológica que atinge diretamente as células do sistema nervoso e dessa forma, a maneira de interpretar as mais variadas informações.

A doença pode acompanhar o indivíduo por toda a vida. Segundo a Associação Brasileira de Déficit de Atenção o número total de casos no mundo varia entre 5 a 8% da população. O DSM-IV (Diagnostic and Statistical Manual of Mental) divide a doença em três níveis: o primeiro, com predomínio da desatenção, é atingido por um número maior de meninas, o segundo com a presença da impulsividade, há uma maior agressividade por parte do portador e o terceiro, chamado de combinado, possui uma perda grande do funcionamento global (maior que os outros dois tipos).

  • O transtorno existe mesmo? Qual a justificativa de existir tantas pessoas que ainda não creem em sua existência?

Antes de aprofundarmos mais sobre o tema, vale falar um pouco sobre o fato de que ainda existem casos de pessoas que não entendem o TDAH e por isso acabam não acreditando que a sua existência é verídica. Para quem ainda não sabe, o TDAH recebeu reconhecimento oficial de inúmeros países espalhados pelo mundo e inclusive da OMS (Organização Mundial de Saúde). Nos EUA, por exemplo, os pacientes que vivem essa condição recebem proteção oficial de lei, que garante inclusive que todos sejam tratados de maneira especial em ambiente escolar, para que possam se desenvolver eficientemente no aspecto cognitivo.

E embora muitos acreditem não há conflitos que cerquem a questão de existir ou não o transtorno em questão. Para que essa dúvida seja aniquilada é importante saber que ocorreu um acordo de nível internacional, que fora divulgado por profissionais de medicina de renome e por profissionais da área de psicologia de enorme credibilidade e reconhecidos pela população mundial. Esse acordo se trata mais precisamente de um artigo científico que foi elaborado depois de constantes e aprofundadas discussões que ocorreram entre diversos estudiosos do tema espalhados no planeta, e inclusive abarcou pessoas de diversas instituições e grupos, para que garantisse a diversidade de opiniões durante os debates realizados. Nem todos os pesquisadores apresentaram ideias similares, mas no fim das discussões todos chegaram a conclusão de que o TDHA existe sim e não há o que questionar sobre isso.

  • Mas e porque essa dúvida ainda existe entre alguns indivíduos?

Há diversos motivos que acabam justificando esse questionamento, dentre os quais destacamos o desconhecimento sobre o assunto, que caracteriza pessoas que ainda são inocentes nesse quesito, abarcando inclusive a falta do saber científico que envolve todo esse assunto e ainda a descrença que pode ser justificada por uma espécie de falta de fé. Para se ter uma ideia, muitos ainda afirmam que a condição fora inventada pela indústria médica em junção com o ramo de farmácias, com o intuito de obter lucratividade em cima da inocência das pessoas, através dos falsos tratamentos indicados.

Mas quem exatamente apresenta essa descrença?  Basicamente incluímos os indivíduos que não conseguiram fazer parte do processo de pesquisa e nem se enquadram em nenhum grupo de caráter científico. Em vista disso eles não conseguiram em nenhum momento se expressar com relação ao tema e na maioria dos casos, quando são indagados sobre, se referem de maneira muito pessoal ao assunto e ainda mencionam quadros clínicos que até então apenas eles apresentam conhecimento comprovado pelo fato de nunca terem sido divulgados em revistas científicas por exemplo.

Além disso, boa parte desses indivíduos alimentam sites ou redigem livros sobre suas experiências, porém em nenhum momento de suas carreiras conseguiram provar seus estudos em conferências, congresso ou publicação em revistas e artigos de caráter científico. Outras pessoas que também discordam da existência do TDAH são aquelas que defendem uma forma parar se tratar que é totalmente distinta daquela que atualmente é orientada. A maioria afirma que somente eles sabem cuidar dos pacientes desse gênero e tentam desmentir os estudos comprovados que já foram realizados.

Inclusive tem aqueles que ficam dizendo que os remédios que são receitados para o tratamento do TDAH são prejudiciais a saúde do paciente e acabam trazendo muitos efeitos colaterais irreversíveis. Contudo, se fizermos uma pesquisa profunda sobre todos os estudos realizados por diversos países, em nenhuma encontraremos base científica que confirme qualquer alegação desses indivíduos mencionados. Um dos seus aspectos principais, inclusive, é o fato de se dizerem profissionais de pesquisa do tema, mas ao mesmo tempo nunca terem sequer publicado nenhum artigo que comprovasse a veracidade de suas opiniões e crenças a respeitos, por justamente não terem nenhum embasamento teórico do gênero.

  • Afinal é comum os casos de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade?

O TDAH existe sim é mais comum do que imaginamos. Sua incidência é mais frequente nas crianças e nos jovens adolescentes, que consequentemente acabam indo atrás de tratamentos especiais com mais constância. Cerca de até cinco por cento dos casos confirmados pelo planeta é de crianças e mais de cinquenta por cento dessas confirmações se prologam até a fase adulta desses pacientes, apesar do fato de que os principais sinais da condição, como o comportamento inquieto, costumam melhorar mais nesse período.

Mais adiante você entenderá todos os aspectos que permeiam o TDAH e conseguirá tirar todas as suas dúvidas. Fique atento e tenha uma boa leitura!

  • Dificuldades para ficar atento e hiperativismo

Apesar de TDAH ser muito mais conhecido agora, os estudos em cima do tema começaram há dois séculos, mais precisamente no ano de 1798. No decorrer dos anos, os sinais e formas de manifesto característicos da condição recebeu gradativamente nomenclaturas distintas. A cada descoberta proveniente de um estudo mais aprofundado provocava essa alteração e isso foi acontecendo até o momento em que de fato a condição foi reconhecida como TDAH propriamente dito.

Inicialmente, o transtorno fora associado a contratempos sobre moralidade, deficiência e dificuldades com distúrbios cerebrais. Atualmente, o Manual de Estatística e Diagnóstico de Transtorno Mental 5, que é sem dúvida o manual mais seguro do planeta, define o TDAH com uma lista básica de dezoito indícios típicos. Nove dos sinais estão diretamente ligados com questões de desatenção, seis no âmbito do comportamento hiperativo e três com questões ligadas com atitudes impulsivas.

Esse Manual foi criado por uma Associação de Psiquiatras americanos e ele é até hoje utilizado como um método para auxiliar nos processos de diagnósticos de enfermidades de caráter neurológico, dentre muitas outras. A população mundial, inclusive o Brasil adota as suas orientações.

Entretanto, veremos sobre a questão do uso isolado do manual, que inclusive não é o bastante para conseguir se diagnosticar com precisão um TDAH, porque alguns sinais individualmente não garantem a confirmação do diagnóstico nesse contexto.  Crianças, por exemplo, precisam apresentar pelo menos seis indícios de problemas com de desatenção e comportamento hiperativo, enquanto que os adultos dever ter no mínimo cinco destes sinais para se desconfiar de uma TDAH. Se nessa etapa esse número mínimo de sinais for confirmado, inicia-se o processo constituído por testes que objetivam confirmar o diagnóstico.

1.Quais são as causas do TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade)?

Há estudos que demonstram que a principal causa do TDHA está na genética. Não está em um gene em si, mas sim ligado a uma questão de hereditariedade e uma tendência a possuir o distúrbio. Comprovada em pesquisas, familiares de pessoas com TDHA possuem cerca de 2 a 10 vezes mais chances de terem a doença do que uma pessoa que não tenha a influência da genética.

Outra causa apontada e comprovada é a de que no TDAH os neurotransmissores (principalmente a dopamina e a noradrenalina) sofrem alterações na hora de passar as informações para os neurônios, prejudicando a concentração e o autocontrole. Isso acontece na região frontal do cérebro responsável, entre outras coisas, pelo estudo da personalidade, pela inteligência e pelos movimentos voluntários.

Substâncias não recomendadas consumidas pela mãe na gravidez, como álcool e o abuso da nicotina, podem afetar a região frontal do cérebro do bebê, ocasionando eventualmente o transtorno.

2. Principais indícios da condição

Alguns dos sinais mais encontrados em indivíduos que apresentam TDAH são a desatenção e o comportamento hiperativo. Os relacionamentos interpessoais da criança ou do adolescente, principalmente na escola se torna, nesses casos, mais difícil já que ele é sempre desatento, não possui muita concentração ou é sempre “ligado no 220” (agitação fora do normal). A imposição de regra ou limites não é bem aceita por tais indivíduos, além de possuírem também tendências a apresentarem quadros com problemas dos quais destacamos ansiedade e depressão.

Veja alguns sintomas das crianças com a chamada desatenção:

  • São facilmente distraídos e esquecidos;
  • Têm dificuldade de concentração;
  • Tornam-se entediados com alguma tarefa em pouco tempo;
  • Parece não escutar quando se fala;
  • Parecem sonhar acordados, constantemente;
  • Têm dificuldade em processar informações.

Já as pessoas com hiperatividade costumam apresentar os seguintes sinais:

  • Falam muito sem parar;
  • Tocam nas coisas a sua vista (qualquer uma);
  • Têm problemas para conseguir permanecer sentado durante jantar, na escola, inclusive em tempo de história;
  • Estão em constante movimento;
  • Têm dificuldade em fazer atividades tranquilas.

As crianças impulsivas apresentam:

  • Muita impaciência;
  • Agem sem pensar nas consequências;
  • Deixam escapar comentários inadequados, mostrando suas emoções sem restrição;
  • Têm dificuldade para esperar;
  • Muitos costumam interromper conversas e atividades alheias.

3. Como a condição tende a se manifestar?

O TDAH se manifesta variadamente, dependendo da fase de vida em que o indivíduo se encontra. No caso de crianças, por exemplo, costumam não ter paciência, gostam de trabalhar em cima de coisas que aconteçam imediatamente e as recompensas menores são as que mais chamam atenção delas, desde que também seja dado rapidamente, isto é, se oferecer outra tarefa mais demorada a ela, porém com uma gratificação ainda melhor ela irá abrir mão.

Cada fase irá ser caracterizada por sinais típicos, o que significa que o bebê com TDAH terá sinais distintos das pessoas que já encontram em fase adulta. A seguir destacamos os indícios evidentes de cada uma das fases de vida para que você possa compreendê-las:

  • Bebê: Os bebezinhos com TDAH sofrem mais com cólica, são mais bravos e é um desafio conseguir acalmar eles. Além disso eles tem problemas na hora de dormir e a alimentação deles também acaba tornando um desafio;
  • Fase inicial da Infância: Na fase que chamamos de primeira infância, as crianças com a condição tendem a não gostar de obedecer ordens, são muito inquietas, não têm paciência e acabam se irritando por qualquer coisa, a agitação é presente em suas vidas e satisfação é algo que passa longe delas;
  • Fase da segunda infância: Nessa fase a criança tem déficit de atenção, por isso a distração está presente em sua vida. Na escola, o seu desempenho costuma variar e ela frequentemente participa de brigas no ambiente em questão;
  • Fase da puberdade: Na adolescência, os jovens com TDAH também costumam ter muita inquietude, apresentam dificuldades para focar-se, esquecem muito fácil as coisas, tendem a fazer coisas por impulso e possuem tendência para o vício em substâncias ilícitas;
  • Fase adulta: Naquelas atividades que precisam ser realizadas de forma concentrada, pessoas na fase adulta tendem a sentir muita dificuldade. A impaciência faz parte de suas características e são bastante desastrados perdendo datas de prazos, de compromisso, além do fato de que possuem déficit de atenção. Inclusive eles conseguem deixar de ficar interessados em algo de maneira muito rápida, pois não mantém o foco e a inquietude os perseguem.

4. Como é o TDAH no ambiente escolar e profissional?

A vida dos jovens em época escolar sofre muitos problemas nessa condição, justamente porque tanto aspectos como déficit de atenção, impaciência e falta de foco dificultam ainda mais o processo de aprendizado, fazendo com que o desempenho do aluno caiai junto com suas notas. Referente a vida social na escola, o jovem também possui dificuldades pois os coleguinhas costumam rejeitá-los em decorrência de muitos aspectos de sua personalidade, como irritabilidade por exemplo.

Em vista disso é fundamental que crianças, incluindo jovens adolescentes, sejam acompanhados profissionalmente por médicos com qualidade, fazendo dessa forma, terapias que os ajudem a melhorar seu comportamento. Esse processo de cuidado os ajudam a lidar melhor com as outras pessoas e a conviver com elas normalmente.

Já no caso dos adultos, problemas em seu ambiente de trabalho também não é diferente. Suas relações interpessoais representam desafio constante, dificilmente eles conseguem se manter estáveis em seus empregos, o desempenho deles nessa esfera é abaixo do normal e eles não conseguem se acostumar com rotina. Além disso, esses adultos costumam deixar tudo para depois, procrastinado e prejudicando ainda mais a sua rentabilidade no ambiente laboral.

No caso dos indivíduos com o TDAH já na fase adulta, é possível seguir algumas orientações que os ajudem a melhorar esses desafios e consequentemente a sua qualidade de vida seja no ambiente de trabalho ou na sua vida pessoal. Anote aí as dicas mais importantes:

  • Fazer atividade física regularmente;
  • Garantir a quantidade necessária de sono todos os dias;
  • Gerir melhor o tempo;
  • Comprar uma agenda para organizar todos os compromissos;
  • Manter uma dieta equilibrada;
  • Sempre que tiver um compromisso, garantir a pontualidade e chegar mais cedo do que o combinado.

Além disso, o recomendado é que o indivíduo crie uma espécie de rotina mais curta, para que ele vá se adaptando a ela e aos poucos vá aumentando até conseguir lidar com esse estilo de vida.

5. Como a condição é diagnosticada?

O processo de diagnosticação do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade se faz com a ajuda primordial dos pais da criança, incluindo os seus professores da escola e dos profissionais qualificados. No caso de pessoas já adultas, esse processo pode ser feito com o auxílio não só dos médicos especializados, mas também de toda a família e do cônjuge. Além disso, vale saber quais são os profissionais mais qualificados para fazer o tratamento eficiente de indivíduos com o Transtorno. São eles: Os especializados em neuropediatria, neurologia, psicologia, oftalmologia, fonoaudiologia, psicomotria, otorrinolaringologia, psicopedagogia, psiquiatria e pedagogia.

Saiba mais sobre alguns dos comportamentos típicos de adultos que se encontram nessa condição:

Procrastinam: Costumam deixar tudo para fazer depois;

Cometem erros simples: E isso acontece porque não conseguem manter a atenção naquilo que realizam;

Desorganização e atrasos: Não conseguem manter a rotina organizada e ainda costumam ser impontuais;

São muito ansiosos: E essa ansiedade deixam eles ainda mais estressados, fora o fato de que conseguem se irritar por qualquer motivo;

Falta de autodomínio: Eles não conseguem ter autocontrole e por isso acabam se comportando de maneira inadequada, enfrentando muitos problemas conflituosos no ambiente em que trabalham;

Humor: Costuma oscilar com frequência.

6. TDAH e outras possíveis enfermidades

Durante o diagnóstico do Transtorno pode ser verificado a coexistência de um outro tipo de transtorno juntamente com o TDHA. Essa situação é o que chamamos de comorbidades e mais adiante mostraremos os casos mais frequentes:

  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): O TOC pode vir acompanhado com o TDHA. Isso ocorre quando o paciente começa a ter obsessão por certos detalhes, ficando muito preocupado com coisas que acabam ficando em um lugar errado, com possíveis erros que podem acontecer devido a sua dificuldade para concentrar-se, e muitas outras coisas. Além disso, pacientes com TOC se caracterizam por pensar e agir de forma repetitiva. De forma geral, muitos sinais podem indicar a existência desse transtorno, desde a obsessão exagera pelo medo de se contaminar, até por religião, simetria e assim por diante.
  • Fobias: Em vista do fato de que os indivíduos que sofrem com TDAH ter muitos problemas decorrentes da sua falta de atenção, eles acabam desenvolvendo medo de críticas e ridicularização, o que contribui para que eles passem a sofrer com fobia social. Claro que a fobia também pode estar envolvida com possíveis situações e até mesmo objetos, por isso, o indivíduo pode também desenvolver medo de andar de avião, de elevador, de ver sangue e muitos outros.
  • Transtorno de Conduta (TC): O TC também pode vir acompanhado do TDAH e crianças que apresentam esse transtorno tendem a falar mentiras, fugir de sua casa ou da escola, são maldosas com animais e até mesmo com outros indivíduos, são capazes de roubar e até mesmo de cometer assassinato. Além disso, crianças com TOC podem acabar desenvolvendo obsessão por sexo e geralmente elas sofrem com esse fato por terem sofrido algum tipo de abuso sexual.
  • Transtorno Desafiador Opositor (TDO): Essa é sem dúvida uma das comorbidades que costuma ocorrer com mais frequência em pacientes com o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Crianças como TODO tem dificuldade para se relacionar com os próprios pais e professores da escola, desobedecem com frequência e quando recebem algum tipo de punição acham que estão sofrendo injustiças o que desencadeia comportamentos agressivos, autoestima baixa de comportamento antissocial.
  • Distúrbios do sono: Os problemas para conseguir dormir geralmente ocorrem porque as pessoas com TDAH apresentam pensamentos excessivos, que por causarem muita ansiedade, deixa o cérebro mais agitado e fica cada vez mais difícil conseguir pegar no sono. Não dormir acaba fazendo com que o dia seguinte se torne ainda mais desafiador, fazendo com que a criança por exemplo, não consiga ter um bom desempenho escolar. Algumas das dicas para se seguir e melhorar essa condição é praticar atividades físicas, dormir na posição de lado, evitar mexer em aparelhos eletrônicos por pelo menos uma hora antes de ir dormir e evitar fumar, beber álcool e derivados de cafeína.
  • Depressão: No caso de crianças mais novinhas a Depressão é mais comum surgir em decorrência do fato de que o processo de crescimento é mais demorado e geralmente o peso aumenta. Os jovens adolescentes, por exemplo, costumam ficar mais deprimidos e em vista disso acabam tendo uma maior tendência para abusar de drogas e bebidas alcoólicas;
  • Transtorno de Ansiedade: Ter Transtorno de Ansiedade é normal nos casos de TDAH por conta que os pacientes dessa condição sofrem muito por se preocuparem excessivamente e ter fobias que acarretam problemas que dificultam as relações pessoais, familiares e acadêmicas. Quem tem a comorbidade nesse caso tem muita preocupação com o seu desempenho nas atividades e se não o tratar pode acabar desenvolvendo também uma futura Depressão.
  • Desordens comunicativas: A desordem na comunicação se divide basicamente em três tipos: Dislexia, que é quando o indivíduo não consegue entender direito a leitura interpretativa de textos, o seu vocabulário acaba sendo por consequência ainda mais limitado e ainda tem dificuldade para aprender a ler e escrever; O segundo tipo é a Disafasia que é quando o indivíduo tem problemas para controlar a função motora da fala, com mudanças anormais de caráter articulatório, fazendo-o falar muito rápido e ter sua voz modulada. E por fim o último tipo de desordem é a Disgrafia que se caracteriza pelo paciente ter uma caligrafia mais ilegível, em vista da sua falta de coordenação motora, problemas para se organizar e para conseguir fazer um traçado.

7. Quais os testes que são realizados?

Quando nós falamos de testes, estamos nos referindo a questionamentos que são feitos para o indivíduo e sua família, que ajudarão a confirmar um diagnóstico mais preciso. Esse período de teste abarca não só questionário, como também determinados tipos de avaliação. Um dos testes com perguntas, por exemplo, é voltado para descobrir possíveis sintomas que possam enquadrar o indivíduo no transtorno, porém ele de forma isolada não é suficiente para dar o diagnóstico. O ideal é um tratar-se por no mínimo seis meses, com conversa, análise periódica, incluindo também testes com profissionais do ramo, a fim de que a confirmação do TDAH seja feita de forma segura e precisa.

Além disso, dependendo da idade do indivíduo, o nível de questões do teste pode sofrer variações, baseando-se nos seus principais aspectos. O relevante mesmo é garantir o acompanhamento desse processo avaliativo feito pelo profissional qualificado, não só para evitar que o paciente e a família percam seu tempo, mas também para agilizar os resultados do diagnóstico e consequentemente o início dos cuidados necessários, para melhorar o quanto antes a qualidade de vida do indivíduo.

8. Quais os tratamentos?

Os tratamentos usados para o Transtorno variam conforme grau da doença e nível de aceitação do paciente. Algumas técnicas usadas para amenizar os sintomas só irão aparecer a longo prazo, dependendo do paciente.  

Alguns dos tratamentos mais usados são a psicoterapia, o acompanhamento pedagógico (no caso de crianças), os trabalhos psicomotores (para controlar o movimento), medicamentos (que podem tratar alguma doença associada como a insônia, a falta de apetite e a depressão), o planejamento das atividades, a organização e o uso de acompanhamento médico individual.

Segundo a ABDA (Associação Brasileira de Déficit de Atenção) aproximadamente 70% dos pacientes com TDAH respondem aos tratamentos e possuem uma redução de 50% dos indícios típicos.

9. Principais remédios usados para o trato do transtorno

Um alerta aqui é: tais remédios que iremos citar é apenas para que seja possível saber um pouco sobre o que se passa durante o processo de cuidado, mas todos eles são controlados (tarja preta), por isso só tem acesso a eles quem possui a receita médica. Em nenhum momento aceite compra-los irregularmente, pois você pode estar prejudicando a sua saúde ou a de quem irá toma-los, o ideal é pedir a ajuda de um profissional qualificado que irá lhe indicar o melhor medicamento para o caso indicado. Veja adiante o nome de alguns dos remédios mais sugeridos pelos médicos no caso do TDAH:

  • Ritalina;
  • Concerta;
  • Efexor XR;
  • Venvanse;
  • Pamelor.

Além disso é muito importante ficar atento pois algumas pessoas acabam tendo que lidar com um ou até mais efeitos colaterais decorrentes do uso dos medicamentos. Dentre eles podemos citar náusea, perda da vontade de comer e dificuldade para mais de uma atividade mutuamente. Pode acontecer também de o indivíduo ficar muito irritado durante o tempo em que o remédio ainda está produzindo efeito no organismo.

10. Quais as complicações mais comuns de quem tem TDAH?

De forma geral, essas possíveis complicações ligadas ao TDAH aparecem nas pessoas cujo nunca foram diagnosticadas com esse transtorno, em vista disso consequentemente nunca receberam as orientações adequadas para se cuidarem. É muito comum que nesses casos o indivíduo sofra com baixa autoestima, uma vez que apresentam dificuldades para conseguir fazer qualquer tipo de tarefa e isso traz uma sensação de fracasso, tanto nas crianças, como também nos jovens adolescentes e adultos.

Outra complicação também comum entre aqueles que já se tratam por meio dos remédios são os possíveis efeitos negativos que eles podem acabar provocando ao longo do tempo. Por isso é sempre fundamental que essas pessoas acompanhem sua saúde com os profissionais indicados. Claro que há casos em que o profissional libera o indivíduo para uma vida normal sem ajuda de medicamento, porém toda essa evolução dependerá muito do seu progresso no processo de cuidado.

11. É possível prevenir?

Muitas pessoas ainda possuem dúvidas com relação ao processo de cura no TDAH, mas isso infelizmente não existe, justamente porque estamos falando de uma condição de origem hereditária. A única coisa que pode realizar-se é tomar devidos cuidados durante o período da gravidez e evitar passar ou frequentar ambientes que possam ter alguma incidência elevada do chumbo.

12. Como saber conviver com indivíduos que apresentam a condição?

A palavra-chave para ter um bom convívio com quem apresenta TDAH é paciência. E essa qualidade é importante porque o paciente esquece muito facilmente as coisas e simplesmente não conseguem permanecer por um longo período de tempo realizando a mesma coisa. Em vista disso, as crianças, por exemplo, na maioria dos casos precisam ter um reforço extraescolar e na escola precisa ser acompanhada de maneira especial.

No ambiente familiar, os pais também precisam estabelecer as regras e impor limites. Além disso, é fundamental sempre fazer elogios a criança, pois elas precisam trabalhar a autoconfiança para conseguir fazer suas tarefas e assim prevenir para que não sofram com problemas de estima. E ainda em decorrência disso é muito importante saber expressar algum tipo de crítica e analisar se de fato essa crítica poderá ser construtiva.

13. Onde a família pode ir em busca de apoio?

Depois do processo demorado que o paciente e a família precisam passar até de fato ter o diagnóstico do TDAH confirmado, é fundamental que busquem ajuda para que consigam manter os sintomas característicos do transtorno controlado, fato este que acaba se tornando um grande desafio. Ir em busca de pessoas que passam pela mesma situação, trocar relatos de experiência e informações sobre a condição, ajuda os pais e o próprio indivíduo com TDAH a lidar melhor com as limitações e a deixarem a vida com muito mais qualidade.

Se por ventura você ainda não tem conhecimento sobre onde pode encontrar grupos e apoio, você pode falar com o médico do paciente que com certeza ele irá orientá-lo melhor para este fim. Além disso, destacamos a seguir as melhores associações pelas quais você pode ir atrás para obter ajuda. São elas:

Associação dos pacientes: Das quais ressaltamos sem dúvida uma Associação do Brasil, que é incrível e foca-se nas dificuldades com Déficit de Atenção;

Associação de Médicos: Que é bem mais ampla e abarca a Associação Brasileira de psiquiatria, de pediatria, de neurologia infantil, neurologia, e assim por diante.