Saiba Tudo Sobre os Principais Tipos e Sabores de Vinho

Vinho: Saiba Sobre os Principais Tipos e Sabores de Vinho!

O vinho é uma bebida que atrai muitos apaixonados e até mesmo os que não entendem muito sobre o assunto. São inúmeros tipos e sabores, são tantas diferenças que encantam e que requerem atenção para você saber qual o vinho ideal para o seu jantar, almoço ou comemoração. Aprenda e entenda mais sobre os vinhos de uma maneira mais simples.

Aos que entendem: compreenda ainda mais sobre essa bebida famosa que os atrai e que combina com momentos importantes e por muitas vezes românticos. Aos que não entendem: aprenda os tipos de uva, cores, sabores e surpreenda amigos, familiares e até o seu par.

1) Tipos de uvas e essências

A) Carbenet Sauvignon – a uva Carbenet Sauvigon é a mais utilizada nos vinhos tintos de todo o mundo. É de origem francesa, cultivada na região de Bordeaux e também em países como Argentina, Chile, Estados Unidos e Brasil. Esse tipo de vinho possui alta longevidade, estrutura, robustez e são vinhos encorpados, possui uma tonalidade violeta. Pode acompanhar queijos, filés, bacalhau e carnes.

B) Merlot – a uva Merlot São criadas em diferentes lugares do mundo, e sua origem é de Bordeaux, na França. Essa uva da origem ao vinho seco, encorpado, com cor intensa e acidez baixa fazendo com que produza bebidas macias com aroma e sabores frutados, ótimo para ser ingerido quando jovem. Com sabor adocidado, o vinho Merlot acompanha pratos leves quando jovem e combina com grelhados, queijos bem temperados, strogonoff de carne quando mais velho.

C) Malbec  originária da França, a uva Malbec foi difundida em outros países, principalmente na Argentina, a maior produtora dessa uva. Com essas uvas o vinho recebe um aroma frutado, encorpado e com uma acidez balanceada, o vinho possui um caráter macio e aromático, com um leve sabor de flores e especiarias. O vinho Malbec é uma ótima opção para acompanhar massas, aves e carnes assadas.

D) Carménère – como a maioria das uvas, a uva Carménère também é de origem francesa, de Bordeaux. Apesar de ser típica na região ela é mais comum em região chilena com a cepa considerados um dos melhores do mundo. Essa uva possui um vinho bem encorpado e, ao contrário dos outros vinhos franceses, ela possui um leve aroma apimentado com sabor frutado.

E) Pinot Noir – a uva Pinot Noir é originária da Borgonha e uma das uvas mais populares da França, mas é cultivada em diversos países. É a uva que faz o vinho Romanée-Conti, um dos mais prestigiados e caros do mundo, a uva é de de difícil e cara produção. Essa uva é responsável por vinhos secos e suaves, discretos, com tom sofisticado e único, possui cor violácea e possui com aroma de ou . O vinho Pinot Noir possui corpo médio e é ideal para acompanhar frutos do mar, massas, fondues e aves.

F) Syrah – francesa e originária do Vale do Rhône, a uva Syrah se adaptou bem em vários países, como a Austrália, Argentina e Uruguai. Essa uva produz um vinho de cor intensa e com um aroma com especiarias e defumados, e caracteriza um sabor frutado. Produz um vinho tinto com forte e longa vida, podem ser guardados por no mínimo três anos e ser desfrutados durante as refeições.

G) Tannat – originário do sul da França, a uva Tannat se adaptou muito bem no Uruguai. O vinho possui sabor frutado, com passagem pelo carvalho o que lhe faz ter equilíbrio e complexidade. É uma uva que caracteriza um vinho encorpado, com características que fazem com que ele seja saboreado após o envelhecimento, sendo mais suaves. É um vinho ideal para acompanhar pratos fortes, como carnes vermelhas e queijos com forte sabor.

H) Tempranillo – de origem espanhola e muito usado em vinhos portugueses e em argentinos, o vinho Tempranillo possui corpo médio e sabor frutado com aroma de ervas e especiarias. Ao ficarem envelhecidos eles podem obter notas de baunilha. Com uma boa acidez e encorpados o vinho se encaixa perfeitamente com carnes defumadas ou grelhadas, queijos, massas e até pratos da cozinha mexicana.

I) Chardonnay – uva francesa, originária da Borgonha, responsável por produzis os mais famosos vinhos brancos e espumantes do mundo. O Chardonnay produz vinhos encorpados, macios e elegantes, ainda mais quando produzidos em terras francesas. Quando fermentado e amadurecido em toneis de carvalho o paladar se torna mais suculento. O vinha harmoniza com queijos de leite de , de búfalo e de cabra, desde os macios até os semiduros.

J) Sauvignon Blanc – os Sauvignon Blans mais conhecidos são originários do Loire, na França – Sancerre e Poully Fumé. A Nova Zelândia também produz ótimos vinhos a partir dessa uva. A maioria dos vinhos feitos a partir desta uva são em grande parte brancos, com uvas novas e secos, feitos para serem bebidos o quanto antes. O vinho possui sabor e aroma intenso, características de capim e , com uma boa acidez.

2) Conheça as classes dos vinhos e seu teor alcoólico

  • A) Vinhos de mesa – possui uma graduação alcoólica de 10° a 13°g/l.
  • B) Vinhos Leves – possuem sua graduação alcoólica ente 7 a 9,9% do total de seu volume.
  • C) Vinhos Finos e nobres – sua graduação que pode variar entre 8,6 a 14,0% do seu volume.
  • D) Vinhos Espumantes Natural – a graduação alcoólica varia de 10 a 13%.
  • E) Vinhos Moscatel Espumantes ou mostro Espumante – seu conteúdo alcoólico varia de 7 a 10%.
  • F) Vinhos Frisantes – contém teor alcoólicos entre 7 a 13%.
  • G) Vinhos Gaseificados ou Filtrado Doce – apresenta um conteúdo alcoólico entre 10 a 13%.
  • H) Vinhos Licorosos – do seu volume total contém conteúdo alcoólica natural ou adquirido em 14 a 18%.
  • I) Vinhos Compostos – seu teor alcoólico é de 15 a 18% em volume.
  • J) Vinhos licorosos – a concentração alcoólica de 14 a 18° GL.
  • K) Vinhos compostos – sua concentração alcoólica varia entre 15° a 20° GL.

3) Confira o teor de açúcar do vinhos

  • A) Doce – o  vinho doce é feito com açúcar natural da uva após fermentação e não se transforma totalmente em álcool. Se você deseja começas a tomar vinhos, o vinho doce é ideal para você se familiarizar com essa bebida. É um bom acompanhamento para sobremesas. Ele é serviço em taças menores devido ao seu alto teor alcoolico.
  • B) Suave – vinho com sabor doce exaltado, tendo concentrações acima de 20,1 gramas de açúcar por litro
  • C) Seco – o vinho seco é vinho no qual não se encontra adição de açúcar. Durante sua fermentação todo o açúcar – ou quase todo-  é transformado em álcool, ou seja, o teor de açúcar é tão baixo que se torna quase imperceptível, possuem até 5 gramas de açúcar por litro. Este é o vinho que mais tomamos no dia a dia.
  • D) Semi-Seco ou Meio Seco – vinhos que começamos perceber o sabor doce, possuindo de 5,1 a 20,0 gramas de açúcar por litro.
  • E) Fortificado – são vinhos que possuem adição de aguardente vínica com função de interromper a fermentação e aumentar o teor alcóolico. Quase não apresentam sabor doce, possuem de 0 a 5 gramas de açúcar por litro.

4) Conheça os tipos de vinhos

A) Vinhos tintos – são vinhos que se caracterizam por sua cor avermelhada em diferentes tons, devido aso fato de serem fermentador com a casca da uva. Quanto mais clara a sua tonalidade mais leves e de mais rápido consumo – como o Beaujolais Nouveau da Bourgogne francesa, já os mais escuros devem ser armazenados e envelhecidos – como o Cabernet Sauvignon da Califórnia.

  • Vermelho-púrpura: são tintos muito jovens e apresentam um equilíbrio acidez-tanicidade-maciez, é mais favorável aos dois primeiros.
  • Vermelho-rubi: são jovens a pronto, possuem acidez-tanicidade-maciez com um discreto equilíbrio.
  • Vermelho-granada: são vinhos que sofreram algum envelhecimento, possuem equilíbrio acidez-tanicidade- maciez, tende mais à maciez.
  • Vermelho alaranjado: são vinhos tintos que sofreram um grande envelhecimento. Possuem um equilíbrio acidez-tanicidade-maciez, mais favorável à maciez. Esse tipo de tonalidade pode ser considerada ruim se encontrada em vinhos mais jovens.

B) Vinhos Brancos – os vinhos brancos são fermentados sem a casca da uva, por isso apresentam uma cor amarelada, muitas vezes com tons esverdeados e dourados. São feitos com uvas não muito maduras e buscam assegurar uma maior carga de acidez, tento um frescor gustativo. Pode ser dividido em Branco Seco e Branco Doce.

  • Amarelo-esverdeado: jovens, ligeiros, frescos e brilhantes. Possui equilíbrio acidez-maciez, sendo mais ácido. Normalmente são obtidos a partir de uvas colhidas antes de sua maturação e que sofreram alguns processos como filtração, clarificação. Os reflexos verdes podem diminuir depois de um ano de sua produção.
  • Amarelo-palha: é a cor dos brancos jovens que possuem um balanceamento entre acidez-maciez bem equilibrado. São obtidos a partir de uvas colhidas durante a maturação, apresentam boa concentração de açúcar.
  • Amarelo-dourado: possuem equilíbrio acidezmaciez, e tendem à maciez. São feitos de uvas bem maduras. A coloração também pode também obtida de maneiras diferentes como a maturação em barris de carvalho.
  • Amarelo-âmbar: possui equilíbrio acidez-maciez, sendo mais favorável à maciez. Normalmente são feitos a partir de técnicas que produzem vinhos licorosos.

C) Brancos Secos – são geralmente feitos com uvas brancas (casca verde). Em sua maioria são jovens e frescos e mais simples – não possuem profundidade de aromas e sabores, como os Bordeaux brancos, Aligoté e Mâcon e dos italianos Frascati e Verdicchio. Podem ser frutados e aromáticos como os melhores alemães do Reno e Mosela e os franceses da Alsace. Também há os encorpados e aromáticos que são maturados em barris de carvalho..

D) Brancos Doces – são chamados de vinhos de sobremesa, o açúcar deste tipo de vinho vem da própria uva. O mais famoso é o Sauternes, da região de Bordeaux.

E) Rosés – produzidos com uvas tintas, cuja casca é retirada no meio do processo, de forma que tinja apenas levemente o vinho. São produzidos na França, no vale do Rhône (Tavel) e no vale do Loire (Rosé d’Anjou)

  • Rosado ou rosa tênue: é o termo usado para descrever vinhos rosados que lembram a cor da flor do . Por ser obtido de uvas tintas ele assume na juventude reflexos violetas. Pode ser obtido de uvas com pouca cor e, dessa maneira, terá cores que remetem à casca da .
  • Cereja: a cor do vinho lembra cerejas e o seu reflexo podem ir do violeta ao alaranjado, assim monstra o grau de maturidade do vinho.
  • Clarete: Possui uma cor entre rosado e tinto, é como um vinho tinto com pouca intensidade de cor. Normalmente possui uma boa vivacidade de cor, com reflexos violeta no primeiro ano, podendo perder o frescor depois de dois anos de produção se tornando mais alaranjado.

F) Espumantes – feitos de uvas brancas ou tintas, resulta muitas vezes em um vinho branco ou rosé, com gás. O melhor exemplo é o feito na região francesa de Champagne.

G) Fortificados – produzidos como vinhos de mesa, possuem adição de álcool e são mais doces com maior durabilidade. É o caso do vinho do Porto e do Madeira, de Portugal e de vinhos degustados em sobremesas, como os franceses Muscat de Beaunes-de-Venise e o português Moscatel de Setúbal.

A aparência de um vinho pode nos dizer muito – sobre idade, sanidade, corpo, viscosidade, acidez, efervescência, adstringência, teor alcoólico, tipo de uva que o compõe. Ele pode nos dizer a respeito da safra, da região de que veio, em que temperatura ele foi elaborado e se teve amadurecimento em barris de madeira. Com um olhar atento você já pode se informar muito a respeito de um vinho.

5) Como saber se o vinho é bom?

Vinho: Saiba Sobre os Principais Tipos e Sabores de Vinho!

O ideal é inclinar a taça contra um fundo branco, em seu centro analisamos a tonalidade e nas bordas, os reflexos. Quando giramos o líquido no copo, podemos avaliar a viscosidade ou fluidez, pode que indicar o corpo, peso e até teor alcoólico. As arquetes, conhecidas como lágrimas que escorrem pelas paredes da taça demonstram a quantidade de álcool: quanto mais lágrimas, ou mais numerosas e finas são suas “pernas”, mais álcool deve haver no vinho e quanto mais lenta elas escorrerem mais densa será a bebida.

“Quanto mais escuro um vinho é, ele é mais encorpado; quanto mais brilhante, mais ácido e jovem; quanto mais esmaecido, mais velho e menos ácido”. Aprenda a analisar as cores dos vinhos.

 

 

 

Agora até você pode dar uma aula sobre vinhos. Aproveite e aprecie um bom vinho que combine com seu gosto. 

Veja esta reportagem do globo repórter sobre o vinho (40:09):

 

Equipe Biosom

contato@biosom.com.br