5 Chás para Descer a Menstruação Atrasada

5 Chás para Descer a Menstruação Atrasada

Se você já passou por essa situação sabe o quanto pode ser desesperador ter uma menstruação atrasada, principalmente quando se é sexualmente ativa.

Mulheres que desejam engravidar veem esse atraso como sinal de esperança, por outro lado quem não quer ter filho, pode ficar tenso e desesperado com a possibilidade de uma gravidez não planejada.

Mas o que é menstruação? Todo mês, no corpo da mulher, ocorre um processo chamado ovulação. Quando a fecundação não acontece, é necessário que esse óvulo seja descartado ou eliminado. Então, as paredes do útero que estavam preparadas pra receber o bebê começam a descamar, e isso resulta no sangramento. De forma simples, menstruação é a mistura de sangue com restos de tecido do interior do útero.

I) Quais são as causas mais comuns para menstruação atrasada?

5 Chás para Descer a Menstruação Atrasada

Existem alguns fatores responsáveis por essa desordem:

1) Estresse

Você já sabe que o estresse pode ter uma série de efeitos desagradáveis, como dores de cabeça, ganho de peso, acne e outros problemas de pele – e isso também pode afetar o seu período menstrual.

Quando você está sob estresse físico ou emocional, seu corpo produz adrenalina, hormônios do estresse e cortisol.

Em níveis elevados, forçam o cérebro a decidir quais as funções corporais que são essenciais e as que não são até que o evento estressante passe. Coisas como o fluxo sanguíneo para os músculos, oxigênio para o aumento pulmões, digestão e sistema reprodutivo podem parar temporariamente em casos extremos.

2) Transtornos Alimentares

Seu peso pode afetar o hipotálamo, uma glândula no cérebro, responsável por vários processos no corpo – incluindo o seu ciclo menstrual. A perda extrema de peso ou a ingestão calórica baixa fará com que seu corpo não libere o estrogênio necessário para construir o revestimento do útero.

O mesmo acontece com transtornos alimentares como bulimia e anorexia, que também causam níveis de estrogênio baixos. Por outro lado, o excesso de peso ou ganhar muito em um curto período de tempo, poderá fazer com que o seu corpo produza excesso de estrogênio.

A sobrecarga poderá fazer com que você passe meses sem ovular ou faça com que o revestimento do endométrio cresça e se torne instável, resultando em períodos irregulares. Normalmente, ao ganhar ou perder peso, seus períodos voltarão ao normal.

3) Gravidez

Às vezes, um período tardio significa exatamente o que você pensa. Porque a gravidez precoce tem sintomas como cólicas abdominais, inchaço e sensibilidade nos seios, que são semelhantes ao que você pode enfrentar nos dias antes da menstruação.

Se a sua menstruação está atrasada e você teve relações sexuais desprotegidas, faça um teste de gravidez em casa. Caso o teste detecte Gonadotrofina Coriônica humana (mais conhecido como hCG, hormônio liberado durante a gravidez), será sinal de que um bebê está a caminho.

4) Excesso de exercícios

É claro que fazer exercícios é bom para você. No entanto, quando você exagera (e possivelmente também restringe as refeições para perder peso), o seu corpo não produz estrogênio suficiente para completar o ciclo menstrual.

Algumas mulheres – tais como bailarinas, ginastas e atletas profissionais – estão em maior risco de amenorreia (falta de menstruação de três ou mais meses em seguida). Mas você não tem que ser uma profissional em exercícios para influenciar os seus períodos.

Trabalhar fora excessivamente sem absorver calorias suficientes pode causar interrupções. Alguns sinais de que você está exagerando incluem perda de peso extremo ou rápido e diminuição do desempenho físico. Abrandar um pouco nos exercícios e, se você precisar, ganhar peso, devem fazer as coisas voltarem ao normal.

O ciclo menstrual ocorre em todas as mulheres a partir da puberdade (idade média de 11 ou 12 anos) e continua até a menopausa na meia-idade. A cada mês, o útero se prepara para receber um bebê. Se a gravidez não ocorrer, ocorre o sangramento vaginal (menstruação).

5) Mudanças no estilo de vida

Acredite ou não, mudar as coisas – por exemplo, trabalhar no turno da noite em vez do dia ou vice-versa – pode mudar seu relógio biológico, que regula os hormônios (incluindo os responsáveis por seu período). Às vezes, isso resulta em um período atrasado, mas ele deve retornar quando seu corpo se acostumar com a mudança ou sua programação voltar ao normal.

6) Amamentação

Se você está amamentando você não terá seu período certinho durante algum tempo, uma vez que a prolactina – hormônio responsável pela produção de leite materno – também suprime a ovulação.

Muitas mães não têm um período de meses (ou em todos) durante a amamentação. Mas a falta de um período não significa que você não pode engravidar. Lembre-se, a ovulação ocorre antes que você comece o seu período.

É possível que você ovule e engravide antes que você tenha seu período. Então, se você não quer um novo bebê, use proteção. O período deve retornar dentro de cerca de seis a oito semanas após o desmame. Se você não tiver sua menstruação dentro de três meses depois de parar de amamentar, fale com o seu médico.

7) Medicação

Provavelmente, o medicamento mais comum para causar alterações menstruais são os contraceptivos hormonais, como a pílula. Porque o corpo “para” de ovular – e sem a ovulação, não tem menstruação.

A “pílula do dia seguinte” também pode influenciar na ovulação, então se você tiver tomado recentemente, pode ocorrer um atraso no período. Alguns outros medicamentos que podem causar um período atrasado são os antidepressivos, alguns antipsicóticos, corticosteroides e as drogas da quimioterapia.

Caso você tenha largado a pílula na esperança de engravidar, poderá notar que pode demorar um mês ou mais para o seu ciclo voltar ao normal.

8) Desequilíbrio Hormonal

Síndrome do Ovário Policístico (SOP) é uma condição onde os hormônios sexuais femininos estão em desequilíbrio. Ela pode causar cistos nos ovários e impedir que ovulação ocorra regularmente.

Além de períodos perdidos ou irregulares, a SOP também pode causar o crescimento excessivo de cabelo, acne, ganho de peso e, possivelmente, a infertilidade. O seu médico poderá fazer um exame de sangue para verificar os níveis de hormônios, se você acha que a SOP pode ser a razão para seus problemas menstruais.

Os períodos menstruais duram de dois a sete dias e ocorrem a cada 28 dias, embora possa variar.

9) Distúrbio da Tiroide

Quando a tireoide – a glândula responsável pelo metabolismo do seu corpo – não funciona adequadamente, poderá causar alterações menstruais anormais. Uma tireoide hiperativa (chamada hipertireoidismo) pode causar períodos menstruais mais leves e menos frequentes; sintomas adicionais incluem perda de peso, taquicardia, aumento da sudorese e problemas para dormir.

Uma disfunção da tiroide (chamado hipotiroidismo) também pode causar períodos menos frequentes, mas, mais pesados; também pode causar ganho de peso, fadiga, pele seca e perda de cabelo. Um exame de sangue pode ajudar o médico a determinar se você tem um distúrbio da tiroide.

10) Perimenopausa

A idade média da menopausa é 51 anos. Uns dois a oito anos antes da menopausa, a mulher sente o que é conhecido como perimenopausa, período em que o corpo gradualmente tem menos estrogênio e se move em direção á menopausa.

Durante este tempo, não é incomum ter mudanças no ciclo menstrual – períodos podem vir em um mês e noutro não, serem mais curtos ou mais longos ou mais leves ou mais pesados. Mas você também pode experimentar ondas de calor e suores noturnos, dificuldade em dormir, secura vaginal e alterações de humor.

Se você está preocupada com os seus sintomas, o seu médico pode verificar seus níveis hormonais com um exame de sangue. Tente não tirar conclusões precipitadas até que você descubra o que está realmente acontecendo.

EXTRA:

11) Começo dos períodos

Se você é uma pré-adolescente que acabou de começar a menstruar, é normal ter períodos em atraso ou até mesmo em intervalos, porque pode levar vários meses para seu corpo “entrar no ritmo”.

Uma visita ao seu médico poderá ajudá-la a identificar a causa da sua menstruação atrasada, e se você não estiver grávida, a fazer as coisas voltarem ao normal.

II) Conheça agora 5 chás mais eficientes para descer a menstruação atrasada

5 Chás para Descer a Menstruação Atrasada

1- Chá de gengibre

O gengibre é uma erva vasodilatadora, capaz de estimular o organismo e sistema nervoso. Algumas mulheres relatam que ele tende a aumentar o fluxo menstrual.

Além disso, sua eficácia também é comprovada pela capacidade de aliviar a dor, sendo comparado a medicamentos como ibuprofeno.

Modo de preparo: Com o gengibre em mãos corte a raiz em pedaços. Deixe ferver na água por 20 mim e desligue o fogo. Espere esfriar, coe e beba até no máximo duas xícaras por dia. Adicione um pouco de mel se preferir.

2- Chá de angélica

A raiz de angélica é uma das plantas mais potentes para estimular a descamação do útero. Ela age como um emenagogo, ou seja, provoca o fluxo de sangue no interior do útero resultando na menstruação.

Modo de preparo: Utilize 10 gramas de raiz de angélica pra meio lito de água fervente. Deixe esfriar e tome o chá três vezes ao dia após as refeições.

3- Chá de Salsa

Salsa é reconhecida como um dos alimentos mais benéficos para saúde. Considerada uma erva suave, ela possui um sabor diferenciado, porém sutil. Como consequência ela é capaz de acabar com a menstruação atrasada e regular esse ciclo.

Modo de preparo: Para o chá você pode usar salsa fresca ou seca. Ferva por aproximadamente 20 mim e deixe esfriar. Você pode consumir 3 ou 4 xícaras por dia. Geralmente, o resultado é imediato.

4- Chá da Flor de Agoniada

Apesar do nome estranho, o chá é extremamente eficaz. A agoniada intensifica a ação dos hormônios ligados à menstruação, sendo capaz de controla-los. Também, ela diminui as cólicas e os sintomas da TPM.

Modo de preparo: Para o chá a proporção é de 5 gramas de flores de agoniada pra 500 ml de água. Faca infusão das flores em água quente por alguns minutos, espere esfriar e depois beba.

5- Chá de canela

A canela é uma iguaria, repleta de benefícios para a saúde em geral. Sua ação é estimulante, elevando a pressão sanguínea o que consequentemente resulta na chegada da menstruação.

Modo de preparo: Você pode usar a canela em pau ou pó e ferver por alguns minutos.

Se desejar poderá consumir também com leite quente. Entretanto, o recomendado é não adicionar açúcar.

Vale ressaltar que os chás descritos acima não podem ser consumidos por mulheres grávidas, pois podem acarretar abortos.

III) Você sabia?

A menstruação pode sofrer vários distúrbios ao longo da vida, são eles:

  • Metrorragia: ciclos mensais irregulares. Podendo ser menores ou maiores.
  • Menorragia: fluxo menstrual exagerado.
  • Oligomenorreia: fluxo menstrual limitado ou escasso.
  • Poligomenorrea: menstruação frequente, mais de uma vez ao mês.

A menstruação é algo natural na vida de uma mulher, mas que muitas vezes é mitificada, sem os conhecimentos necessários acerca do assunto. Por isso é importante entender que certos tabus impostos pela sociedade ao longo dos anos são puramente crendices populares, enquanto outros realmente são verdadeiros, com argumentação científica para justificá-los.

IV) Saiba a seguir os principais mitos e verdades sobre a menstruação:

1) “É indicado não lavar o cabelo menstruada”

Muito pelo contrário, o correto é manter a higienização normal mesmo menstruada, levando uma rotina normal. Este hábito inclusive deixa a mulher mais leve e mais relaxada. Antigamente, não era aconselhável lavar o cabelo durante o período menstrual devido ao receio que se tinha da mulher permanecer com o cabelo úmido por muito tempo e ficar exposta à friagem, o que poderia acarretar mais cólicas.

O ideal é realmente não se expor à friagem de cabeça molhada, para evitar gripes e resfriados, mas isso vale para qualquer dia, independente de estar menstruada ou não.

2) “Pisar ou sentar no chão frio pode piorar a cólica”

Essa afirmação é muito relativa. Alguns especialistas dizem que a baixa temperatura não intensifica qualquer tipo de dor e que a causa da cólica, na verdade, é um hormônio (prostaglandina) que quando está em excesso causa as dores.

Porém, outros profissionais concluem que, durante a menstruação, o sistema imunológico recai, estando mais propenso a gripes e resfriados, além do frio estreitar os vasos sanguíneos e consequentemente intensificar as cólicas.

3) “Mulheres muito próximas menstruam ao mesmo tempo”

Da mesma forma como a questão da friagem, certos profissionais garantem que não há estudos científicos suficientes que concluem isso, além de cada mulher ter seu próprio ciclo menstrual, porém, outros especialistas dizem que fatores externos podem alterar os hormônios, como, por exemplo, mulheres que vivem no mesmo ambiente e passam pelo mesmo estresse, rotina e alimentação.

Mas se você menstruou hoje e sua mãe, por exemplo, vai menstruar daqui duas semanas, não quer dizer que você estará menstruada novamente junto com ela, contudo, segundo estes especialistas que acreditam nesta afirmação, os hormônios de ambas irão se regular igualmente depois e vocês acabarão por menstruar na mesma época.

4) “Durante a menstruação a mulher engorda”

Durante o período menstrual a mulher na verdade não engorda, mas sim incha. Os hormônios nesta época causam edemas em certos locais do organismo, levando à retenção de líquido e, consequentemente, ao inchaço. Por isso há uma sensação de ganho de peso. Assim, é necessário ingerir bastante líquido e fazer exercícios para eliminar o excesso de líquido do corpo.

5) “Deve-se evitar atividades físicas neste período”

De forma alguma os exercícios prejudicam o período menstrual em algo. Na verdade eles até ajudam a controlar a cólica e outros sintomas da TPM (através da liberação de endorfina, que leva à sensação de prazer e bem-estar), além de melhorar a circulação do sangue no organismo.

Porém, alguns especialistas em educação física alertam tomar cuidado para não fazer atividades que sobrecarregam ou que exijam uso de muita força do abdome, já que podem levar ao aumento das contrações. Prefira então realizar outros exercícios.

6) “A TPM é puramente psicológica”

Nem toda mulher apresenta a tensão pré-menstrual, mas esse papo de que TPM é frescura já está no passado. Neste período ocorre uma variação hormonal (estrogênio, progesterona e hormônio luteinizante), que pode levar à instabilidade de humor (ansiedade e irritabilidade), fortes dores de cabeça e inchaço abdominal, por exemplo. Porém, a TPM tem tratamento e pode ser controlada com medicamentos receitados pelo ginecologista.

7) “A mulher não pode engravidar quando estiver menstruada”

Uma gravidez, para ocorrer, precisa que o embrião se implante na camada interna do útero. Se o útero estiver descamando, como acontece quando se está menstruada, o embrião não consegue se implantar.

Além disso, a fertilização do embrião só ocorre quando a mulher ovula, ou seja, em torno de 14 dias após o início da menstruação, ou seja, as chances de se engravidar durante o período menstrual são mínimas. Claro que existem exceções, mas que devem ser avaliadas pelo médico. De qualquer forma, é importante se prevenir para evitar a gravidez indesejada.

8) “Pode ocorrer transmissão de doenças durante a menstruação”

Durante a relação sexual com a mulher menstruada, se não houver prevenção, o sangue pode sim transmitir DSTs e também funcionar como um canal que recebe as bactérias, vírus e fungos, favorecendo sua proliferação e levando-as ao endométrio (útero).

Dessa forma, isso pode causar infecções nesta região, nas tubas uterinas ou até mesmo no abdome. Lembre-se então de sempre utilizar camisinha em qualquer relação sexual, estando menstruada ou não.

9) “A menstruação aumenta a oleosidade da pele”

No período menstrual, como já falamos, ocorrem alterações hormonais, principalmente do hormônio luteinizante (LH) e da progesterona, que ficam em alta nesta fase e levam a um aumento da secreção das glândulas sebáceas, ou seja, uma maior oleosidade da pele.

Isso tudo inclusive favorece o aparecimento ou a piora da acne (espinhas). Além disso, o estresse presenciado na TPM contribui ainda mais para que as espinhas surjam, tudo por conta da variação hormonal.


Equipe Biosom

contato@biosom.com.br