Saiba tudo sobre o buraco negro

Até algumas décadas atrás, o Buraco Negro era tratado como uma possibilidade remota, sem a chance de dados. Hoje, temos não só a certeza de que ele existe, como é um dos efeitos físicos mais perigosos e impressionantes que se tem notícia.

Basicamente, um Buraco Negro é uma região com uma concentração enorme de massa, com uma atração gravitacional tão grande que seria capaz de sugar planetas e até mesmo estrelas como o nosso sol, o que poderia acabar facilmente com todo o sistema solar no qual vivemos hoje. E nada pode ser feito para impedir a ação de um buraco negro.

1) Como surge um Buraco Negro?

Saiba Tudo Sobre o Buraco Negro

As circunstâncias para o surgimento de um buraco negro são específicas, e um tanto raras. A melhor forma de compreender seu funcionamento é através da Teoria da Relatividade de Albert Einstein. Nela, é dito que a gravidade seria uma deformação do espaço-tempo, causada pela massa presente em planetas e estrelas. O tamanho dessas deformações dependeriam da massa e da densidades desses corpos celestes. Em outras palavras, quanto maior um planeta ou estrela, maior sua gravidade.

Mas o que isso teria a ver com o Buraco Negro? Cada estrela presente no universo possui um ciclo de existência, incluindo nosso sol. Esse ciclo dura milhões, até bilhões de anos, e um buraco negro pode surgir justamente no fim dele. A possibilidade vai depender da quantidade de massa que a estrela possui.

Quando uma estrela colapsa, ocorre o efeito que chamamos de Supernova, em que a estrela se espreme devido ao seu campo gravitacional e peso massivo, e se expande em uma explosão enorme. Outros eventos podem ocorrer após uma Supernova, como o Horizonte de Eventos e o Magnetar, mas para que não fique muito complexo, basta entender que, para um buraco negro surgir, a compressão da estrela deve ser grande o bastante para que esse processo continue indefinidamente.

À partir do momento em que a gravidade se comprime e se expande, nem mesmo a luz consegue escapar, daí o nome Buraco Negro. E uma vez que ele começa, dificilmente para, engolindo tudo o que estiver próximo graças a seu forte campo gravitacional.

Acabar com o zumbido no ouvido

2) Por que um Buraco Negro é tão perigoso?

Buracos Negros podem se expandir com facilidade. Uma vez que absorvem de tudo, de gases até mesmo, seu tamanho pode ser grande o bastante para absorver até mesmo outros planetas. Este é um processo recorrente em muitas galáxias distantes da terra, e que pode ser ainda mais perigoso quando dois buracos negros se encontram.

Felizmente, eles não são imparáveis. Uma das teorias que tornou Stephen Hawking famoso nos anos 70 explica que os buracos negros possuem uma tênue camada ao redor de sua superfície que lentamente suga sua massa, fazendo com que o fenômeno evapore. Porém, este é um processo muito lento: estima-se que um buraco negro só desapareça dessa forma dentro de um período de 5 quintilhões de anos. Para se ter uma ideia, nem mesmo o nosso sol viverá todo esse tempo.

3) Quais as chances de surgir em nosso sistema solar?

A princípio nenhuma. E como bem foi apontado por vários estudiosos, existe uma infinidade de galáxias espalhadas pelo universo, algumas a centenas ou mesmo milhares de anos-luz de distância do nosso sistema solar, cada uma com seus buracos negros, que levariam muito tempo até chegar aqui. Tempo suficiente para vivermos tranquilamente.

Além disso, como foi apontado pelo doutor em Astrofísica Rodrigo Nemmen, não existe a possibilidade de um buraco negro engolir não apenas nosso sistema solar, como todo o universo. Isso porque esse fenômeno também respeita um princípio físico, o de conservação de momento.

Essa teoria se resume no seguinte ponto: por mais que um Buraco Negro tenha uma capacidade de atração enorme e suge tudo em seu caminho, todo o restante do universo tem sua própria massa e energia, suficientes para que não tire tudo do lugar. O que quer dizer que poderíamos ter um buraco negro no lugar do sol, se ele fosse de mesma massa e distância.

Agora que você sabe um pouquinho mais sobre buracos negros, já pode observá-los com um pouco menos de medo. E como indicações de materiais para ir mais a fundo no assunto, seja de forma fictícia ou verídica, recomendamos a série Cosmos, apresentada pelo físico Neil Degrasse Tyson; o filme Interstellar, dirigido por Christopher Nolan; e a HQ brasileira Astronauta – Magnetar, que apesar de não lidar diretamente com um buraco negro, relata alguns eventos físicos relacionados com bons detalhes. Até a próxima, pessoal!

Acabar com o zumbido no ouvido

Veja este vídeo da nerdologia que explica sobre o buraco negro (6:57):

Fontes:

https://www.nasa.gov/audience/forstudents/k-4/stories/nasa-knows/what-is-a-black-hole-k4.html

 


Equipe Biosom

contato@biosom.com.br