4 Maneiras de Não Deixar as Emoções Afetarem seu Dinheiro

como não deixar as emoções afetarem o seu dinheiro

Quem nunca levou um susto com a fatura do cartão de crédito no fim do mês? Quem nunca comprou por impulso e ficou arrependido depois? Quem nunca gastou mais que deveria e o salário acabou antes do fim do mês e acabou ficando sem dinheiro algum?

Essas são situações muitas vezes podem ser causadas por um problema: descontrole emocional. Se você deixa suas emoções falarem mais alto, pode ser que elas afetem de forma direta ou indireta o seu bolso. Para te ajudar a manter tudo sob controle, separamos 4 dicas essenciais para você.

1) Não compre nada de primeira

“Leva! O preço está ótimo! Pode ser que amanhã já tenha acabado.” Você já ouviu frases como essas? Que atire a primeira pedra quem nunca acabou seduzido por uma promoção ou pelos argumentos do vendedor e acabou comprando alguma coisa mesmo sem precisar. O problema é quando bate aquele arrependimento ao chegar em casa.

Acabar com o zumbido no ouvido

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Deixar a emoção falar mais alto na hora das compras pode ser um grande perigo para o orçamento. Por isso, a dica para fugir das compras por impulso é não levar nada para casa à primeira vista. Se você viu uma calça e quer muito comprar, respire fundo, e volte mais tarde ou até mesmo em outro dia. Assim, você terá tempo para pensar melhor e tomar decisões com mais razão e menos emoção.
Não deixe que o medo de não ter mais aquela peça quando você voltar te faça comprar na hora. Se ela realmente acabar, encare como uma oportunidade de ter feito uma economia.

2) Não gaste mais do que você pode

Todo mundo está usando aquele celular super moderno e você sequer consegue tirar uma selfie boa com o seu. A vontade de comprar um celular novo é enorme, mas você sabe que no momento não pode.
É então que você pode escolher entre duas opções: se conter e esperar o momento certo para comprar o smartphone que tanto sonha ou comprar o celular e estourar o orçamento.
Mais uma vez, se você deixar suas emoções falarem mais alto, o seu bolso vai sair prejudicado. Depois, é bem provável que você tenha problemas para conseguir pagar as contas e as emoções que vai sentir não serão nada legais. Então, é melhor manter o controle e esperar o momento certo.

3) Não se deixe levar por traumas do passado

É muito comum encontrar pessoas que carregam consigo traumas do passado que envolvam problemas financeiros. Estes tipos de situações acabam moldando o comportamento e podem causar grandes problemas.
Um exemplo é quando alguém vive uma vida de muitas restrições durante a infância e acaba se tornando um adulto totalmente descontrolado com dinheiro. A pessoa acaba sendo dominada pelo desejo de ter tudo o que não teve em momentos de dificuldade, o que pode causar sérios problemas financeiros.
Por isso, os traumas precisam ser tratados. Buscar ajuda profissional também pode ser uma boa saída. O que não pode acontecer é que problemas com o passado afetem a sua saúde financeira.

4) Não se atentar aos riscos

A conta está no vermelho, o cartão de crédito atrasado e as contas não param de chegar. Mas, está tudo bem, até dá para comprar um sapato novo. Será mesmo?

Acabar com o zumbido no ouvido

Ignorar os riscos é muito perigoso. Você precisa encarar a situação como ela é e tomar providências para mudá-la. Não deixe que a sensação de “está tudo bem” te domine e acabe te prejudicando cada vez mais.
O ideal para reverter essa situação é ter um bom controle financeiro. Dessa forma, você saberá em detalhes como está seu orçamento e o que pode ou não fazer. Seu bolso ficará seguro e o seu lado racional vai agradecer.

Não há como negar, seu estado emocional afeta muito a forma com que você lida com seu dinheiro. É preciso encontrar o equilíbrio entre a razão e a emoção. Seu bolso agradece e você se sentirá muito mais feliz.