5 Principais Tipos de Absorvente Íntimo: Qual é o melhor tipo para cada mulher? 

5 Principais Tipos de Absorvente Íntimo: Qual é o melhor tipo para cada mulher?

Absorvente íntimo são materiais que mantém você segura e limpa o dia todo. Como você já sabe, existem vários tipos de absorventes e eles também vêm em vários formatos diferentes. Veja qual tipo você deve usar para cada ocasião!

I) Confira Abaixo os 5 tipos de absorvente íntimo: 

5 Principais Tipos de Absorvente Íntimo

1- Protetor diário

Ideal para se usado no dia em que começa a menstruação e no dia em que ela está terminando, nesse período o fluxo é menos intenso, apesar do nome,  esse absorvente não deve ser usado diariamentepois podem  aumentar a chance de proliferação de micro-organismos, fungos, que podem causar coceira, mau cheiro e infecções.  

2- Absorvente higiênico (externo)

É o mais comum, existem vários tamanhos, coberturas e modelos,

  • Os absorventes mais finos e sem abas servem para o comecinho pois o fluxo é menor,
  • Quando o fluxo aumenta o ideal é os absorventes com abas, troque a cada três horas, para  dormir,  opte pelos modelos noturnos, eles são mais resistentes e podem ficar no corpo por mais tempo. 

3- Absorvente interno

Além de higiênico pois a menstruação não entra em contato com o ar o que não causa nenhum tipo de odor,  é muito confortável, seguro e prático.

Acabar com o zumbido no ouvido

Com ele você pode ir á praia, piscina sem se preocupar. Essa é uma das maiores vantagens destes absorventes internos mas devem ser trocados de quatro em quatro horas pois ficam vulneráveis à doença chamada Síndrome do Choque Tóxico (SCT) que é uma infecção bacteriana.

O uso prolongado causa a  proliferação de um tipo específico de bactéria, a Staphylococcus aureus, que existe naturalmente na pele humana que quando aumenta muito cai na corrente sanguínea causando os sintomas da SCT e se não tratada pode levar a morte. 

4- Coletor menstrual

O coletor ou copinho é feito de plástico, um material bem maleável e hipoalergênico, antes e depois de usá-lo deve-se higienizar bem as mãos, o coletor deve ser introduzido na região genital durante o período menstrual, na embalagem, diz que a troca se dá em  até doze horas, mas o ideal é retirar o coletor a cada quatro horas para ser lavado (com água e sabão neutro) e introduzido novamente, o coletor é lavável e pode ser utilizado várias vezes, reduzindo os custos com o absorvente normal.  

5- Esponja absorvente

Pouco conhecida no Brasil, a esponjinha é muito usada pelas europeias, é igual ao absorvente interno mas feita para mulheres que possuem alergias aos componentes industrializados dos absorventes, é colocada como o  absorvente interno, por isso s higienização das mãos deve ser redobrada, diferente d coletor ela é totalmente descartável, deve ser trocada de quatro em quatro horas, com ela é possível ir a natação, praia, sauna, academia, prática de esportes e diferentemento do absorvente interno, pode ser usada durante as relações sexuais.  

II) Veja a seguir alguns cuidados que devem ser tomados em relação aos absorventes para manter a saúde em dia: 

A) Alergias

Os internos oferecem um risco menor de alergias, não causam abafamento e nem possuem perfume, os externam causam maior risco, falta de higiene também pode ser uma das causas de alergias na área íntima e coceira vaginal, assim como calças apertadas ou uma depilação pouco cuidadosa. 

B) Tempo de troca

Aversão interna deve ser trocada a cada três horas, isso  evita que as bactérias se proliferem no local, já o absorvente externo pode ser trocado com menos frequência dependendo do fluxo, o melhor é a cada quatro horas pois ficar muito tempo com o absorvente externo pode causar odores e vazamentos. 

Acabar com o zumbido no ouvido

C) Uso noturno

O absorvente interno não deve ser usado para dormir, o externo é mais indicado para isso pois o tempo de uso sem troca é maior, as versões noturnas são as ideais, pois foram feitas especialmente para isso. 

D) Odores

Com o absorvente interno o fluxo fica retido logo na saída do útero, com isso  não ocorre produção de odores, os odores são mais intensos com o uso do absorvente externo, pois há o contato do sangue menstrual com a pele e o ar, no entanto, uma boa higienização com água e sabonete íntimo e a troca frequente ajudam a minimizar os odores. 

E) Risco de doenças

Se feita a higiene e as trocas no tempo correto, o absorvente interno não traz grandes riscos para a saúde,  os externos favorecem a concentração de umidade e calor na região íntima e pode favorecer o surgimento de infecções ou doenças como candidíase, alergia e contaminações que podem ocorrer caso bactérias do ar ou mesmo da região anal se proliferem no absorvente.  

F) Doenças pré-existentes

Pessoas que estão com alguma alergia ou infecção na área íntima, como a candidíase, devem procurar um ginecologista para o tratamento da doença e acompanhamento adequado, ele indicará qual o absorvente mais indicado caso a caso, não é possível afirmar qual absorvente é melhor ou pior para situações em que a mulher já apresenta alguma doença vaginal. 


Equipe Biosom

contato@biosom.com.br