O que é Déjà vu?

Você já teve a impressão de viver novamente algum momento especifico de sua vida? Como estar em um restaurante entre amigos discutindo algum assunto especifico e ter a sensação de já ter passado por aquela situação antes? Esse fenômeno é popularmente conhecido como déjà vu, é um termo francês que na tradução literal significa “já vi”.

Existem muitas teorias populares e pontos de vista diferentes acerca da explicação para esse fenômeno, infelizmente ninguém conseguiu oferecer uma teoria que explique o real motivo dessa reação, mas as que existem são bastante convincentes. Nesse artigo você conhecerá os mistérios referentes ao déjà vu, e algumas teorias que explicam o fenômeno.

1) Déjà vu é uma falha cerebral?

O que é déjà vu?

Existem inúmeras teorias sobre o déjà vu, as mais utópicas envolvem explicações espiritas como a vivencia de vidas passadas dentre outros argumentos, e as mais céticas tentam explicar com base em estudos que envolvem nosso cérebro e seu comportamento.

O déjà vu já foi associado por alguns psicólogos que estudam a memória, a uma falha do nosso cérebro, pois ele possui maneiras diferentes de armazenar cada memória. Por exemplo algo que dissemos, lugares que visitamos e acontecimentos que presenciamos, serão “filtrados” e armazenados conforme sua relevância.

Há três tipos diferentes de memórias: a imediata que é capaz de armazenar nomes de ruas e números de telefones e logo após descarta-los, a de curto prazo que durará apenas algumas horas e a de longo prazo que é capaz de durar meses ou anos.

Com base nesse ponto de vista, o que ocasiona o déjà vu é uma falha do cérebro no processo de armazenamento da memória, a informação ou sensação nova adquirida ignora a memória de curto prazo e se associa a memória de longo prazo, o que provoca a sensação de já ter passado por aquela situação exatamente da mesma forma.

2) Estudos de Chris Moulin

E as teorias não param por aí, um psicólogo chamado Chris Moulin também se propôs a analisar o déjà vu e suas causas. Durante seu estudo, Chris visitou diversas clínicas psiquiátricas a procura de pessoas com um gral elevado de déjà vus.

Não demorou muito e Moulin conheceu diversos pacientes com históricos constantes de déjà vus. Nos anos 2000 um paciente lhe chamou bastante atenção, pois tudo de novo que presenciava, afirmava com convicção já ter presenciado antes, o paciente vivia em um eterno déjà vu.

Logo realizou alguns exames nesses pacientes, e por meio de tomografias no cérebro constatou que a massa cinzenta daquelas pessoas tinha atrofiado no lobo temporal (estrutura localizada na parte lateral no cérebro que é responsável pelo gerenciamento da memória).

Ou seja, as mentes dos pacientes estavam acessando as memórias ao mesmo tempo em que elas estavam sendo gravadas, proporcionando um eterno loop de déjà vus, como se vivessem sempre no passado.

Então Moulin deduziu que a explicação para ocorrer déjà vus estava relacionada a esse fato, a diferença é que em pessoas normais ocorria de forma esporádica ao longo da vida.

3) Pode ser confundido com experiências semelhantes?

Experiência semelhantes déjà vu

O déjà vu também pode estar relacionado a uma explicação mais simples envolvendo semelhanças. Por exemplo, em 2009 Anne Cleary, Anthony Ryals e Jason Nomi realizaram um experimento e chegaram a um interessante resultado.

No estudo, foi distribuído para os participantes desenhos de cenas e eles tiveram que analisar cada um durante um curto espaço de tempo. Logo após eles receberam novas cenas e foi perguntado a eles e já as viram em algum lugar.

E incrivelmente a maioria das pessoas disseram já terem visto a nova cena alguma vez na vida. Sem saberem que elas possuíam traços similares aos primeiros desenhos distribuídos, e eles inconscientemente assimilaram a nova cena, disseram conhecer, mas não sabiam em qual momento da vida.

Enfim, além dessas ainda há várias outras teorias que envolvem o déjà vu, porém mesmo com todas as explicações nenhuma comprovou sua origem, o que abre espaço para mais teorias sobre o fenômeno.

Aprenda com Denis Lee sobre o déjà vu no vídeo a seguir (3:30):

Fonte:

https://www.psychologytoday.com/blog/ulterior-motives/201001/what-is-d-j-vu

 

Saiba Tudo Sobre o Edema

Edema é um inchaço causado pela retenção de líquidos nos tecidos. Esse inchaço pode ser causado por uma lesão ou por uma inflamação, que costuma ocorrer nas mãos, braços, tornozelos, pernas e pés.

O edema pode estar ligado aos sistemas venosos ou linfáticos e pode ser ou generalizado ou local, ela se desenvolve lentamente.

Os tipos mais comuns são:

  • Edema periférico – nos pés, tornozelos, pernas, mãos e braços.
  • Edema cerebral
  • Edema dos olhos – em torno dos olhos

1) Quais são as causas do edema?

O edema é comumente causado pelos seguintes fatores:

  • Inatividade física
  • Ficar em pé ou sentado por muito tempo
  • Genes
  • Cirurgia (as cirurgias são grandes causadoras de edemas, já que após algum procedimento cirúrgico acontece o inchaço)
  • Ficar exposto à altas altitudes
  • Queimaduras
  • Gravidez
  • Menstruação e pré-menstruação
  • Pílula anticoncepcional
  • Menopausa
  • Desnutrição

O edema pode ser causado também por algumas doenças como: a doença renal (o edema terá inchaços em torno das pernas e nos olhos), insuficiência cardíaca, doença pulmonar crônica, doença hepática (como a a cirrose, que provoca cicatrizes do fígado), diabetes, alergias, artrite, entre outras doenças. Na perna, os edemas costumam ser causados por:

  • Um coágulo de sangue
  • Varizes
  • Infecção / inflamação
  • Um cisto
  • Tumor
  • linfedema

2) Quais são os sintomas?

edema

Os sinais vão depender da quantidade de edemas que você tem e os locais que eles estão localizados, mas os mais comuns são:

  • Infecção ou inflamação
  • Dificuldade de respiração
  • Peso nas pernas
  • Falta de ar e a tosse .
  • Inchaço na pele
  • Inchaço dos tornozelos, rosto ou nos olhos
  • Dores nos partes do corpo
  • Rigidez articular
  • Ganho de peso
  • Perda de peso
  • Pressão arterial Alta
  • Ascite – aumento do volume abdominal.

3) Existem tratamentos?

Os tratamentos devem ser feitos de acordo com a causa do inchaço. Por exemplo, se você está com edemas por conta de alergias, o tratamento recomendado é o uso de medicamentos para tratar o inchaço.

Os edemas são, muitas vezes, blocos de líquidos que ficam estanques em nosso corpo. Sendo assim, os medicamentos mais usados são os diluentes de sangue, que quebram o coágulo e tentam fazer com que a drenagem volte ao normal.

Quando os edemas são causados por tumores e linfomas, o tratamento usado são as cirurgias, a quimioterapia ou a radiação. Os relacionados a insuficiência cardíaca ou hepática podem ser tratados com um diurético, como a furosemida, que limita a quantidade de sódio que você ingere, ajudando no equilíbrio do corpo.

4) Tratamentos naturais para o edema

Remédios naturais para edema

1- Vinagre de maça

Coloque 1 a 2 colheres de sopa em um copo de água e beba várias vezes diariamente.

2- Sal de epsom

um banho com sal de epsom pode ajudar a desinchar porque ele elimina o fluído e as toxinas do corpo. Misture 2 copos de sal de epsom na banheira e fique na água por 15 minutos. Faça este procedimento 3 vezes por semana.

3- Óleo do árvore do chá

pode ser usado quando a inflamção é causada por picadas de insetos. Coloque em algodão o óleo de árvore do chá na área infectada. Faça 2 vezes ao dia.

4- Massagem

este método ativa o sistema linfático, ajudando a drenar a reteção do fluído. Use azeite de oliva para massagear a área infectada várias vezes ao dia.

5- Salsinha

tem um efeito diurético que bloqueia a absorção de sódio, eliminando o excesso de fluídos no corpo. Ferva por 10 minutos, um colher de salsinha para 2 copos de água e beba 1 vez ao dia.

5) Como diagnosticar?

Para diagnosticar o edema, o médico geralmente realiza:

  • Exames de sangue
  • Radiografias
  • Testes de urina
  • Testes de função hepática e cardíaca.
  • O médico também costuma checar o histórico médico do paciente e seu estado atual, para diagnosticá-lo.

Veja também esta entrevista com Dr. Celso Ricardo Bregalda Neves que explica a causa do edema (4:02):

Fontes:

http://www.medicalnewstoday.com/articles/159111.php

Tudo Sobre o Sonho Lúcido

De forma bem direta, o sonho lúcido é aquele sonho possível de ser controlado. Pode parecer absurdo, mas esta modalidade de sonho é comprovada cientificamente. Estudiosos acreditam que há registros de sonhos lúcidos desde o Egito Antigo.

A principal vantagem deste tipo de sonho está na capacidade de melhora das habilidades na vida real. Quer um exemplo? A pessoa que pratica sonhos lúcidos em que ele está fazendo abdominais costuma apresentar músculos ainda mais fortes, visto que o corpo lembrará os movimentos realizados no sonho.

Abaixo fizemos uma lista com os perigos, dicas e ensinando as técnicas para realizar o sonho lúcido. Confira:

1) Existem algum perigo?

Um dos principais “perigos” da prática do sonho lúcido se encontra no fato de manter a mente ativa durante toda a noite. O que isto significa? A pessoa que pratica sonhos lúcidos, mesmo acabando de acordar, continua a se sentir cansada, visto que sua mente ficou o tempo todo ativa.

Algumas pessoas que realizam o sonho lúcido afirmam ter este tipo de sonho mesmo acordadas e isso significa que você corre perigos reais, como esquecer algo no fogo, atravessar a rua sem olhar para os lados, se distrair no trânsito, dentre outras questões.

De acordo com especialistas da área, em alguns casos, mesmo com a consciência de que se está um sonho, você acaba ficando preso a ele. Por exemplo: você sabe que está na hora de acordar, e mesmo que seu corpo diga isso, você fica preso ao sonho.

2) Como ter sonhos lúcidos?

Atualmente a ciência afirma ter três tipos de técnicas para ter sonhos lúcidos. São elas: Indução Mnemônica de Sonho Lúcido (MILD), Acordar e Voltar para a Cama (WBTB) e Técnica de Ajuste de Ciclo (CAT).

Além das técnicas, estudiosos da área afirmam que a auto-observação e a análise do que está ao seu redor são bons métodos para obter a experiência de um sonho lúcido.

3) Existem técnicas para ter sonhos lúcidos?

Existem diversos métodos mas os mais conhecidos são: MILD, WBTB e CAT:

A) Método MILD

O método da Indução Mnemônica de Sonho Lúcido (MILD) leva em consideração a repetição da ideia de que se terá um sonho nesta modalidade. Veja os passos:

  • Antes de ir dormir, repita diversas vezes para si mesmo que vai ter um sonho lúcido. Este primeiro passo é importante para fixar a ideia do que irá ocorrer.
  • Utilize um despertador para acordar entre quatro e seis horas após dormir. Ao acordar, pense sobre o sonho que você teve. Uma dica é escrever sobre o que sonhou, para memorizar.
  • Após a memorização do que ocorreu no sonho, escolha algo específico para realizar um “teste de realidade” (o teste de realidade inclui um gesto que se torna hábito em seu cotidiano e que, no momento do sonho, deve vir precedido da pergunta: “estou sonhando?”).
  • Volte a dormir, sempre pensando que terá um sonho lúcido. Logo ao cair no sono, você estará em REM, fase em que há um movimento rápido dos olhos, e considerada aquela em que sonhamos. Ao retornar ao mesmo sonho, realize o teste de realidade, e o seu sonho ficará lúcido.

B) Método WBTB

O método de Acordar e Voltar para a Cama (WBTB) é realizado seguindo os dois primeiros passos do MILD. A diferença é dada ao acordar. No WBTB é necessário que você:

  • Levante e realize alguma atividade que prenda sua atuação entre 20 e 30 minutos;
  • Após o período, retorne para dormir.

Depois desses dois passos o método volta a seguir as linhas do MILD.

C) Método CAT

A Técnica de Ajuste de Ciclo (CAT) leva em consideração mudanças no horário de acordar. Veja:

  • O primeiro passo para conseguir um sonho lúcido está em alternar os horários de acordar. Coloque o seu alarme para 1h30 mais cedo do que você costumava acordar durante a semana.
  • Depois da primeira semana fazendo a mudança de horário, faça uma alternância: em um dia você acorda mais cedo e em outro no horário normal.
  • Esta mudança de horário estabelecerá uma nova rotina, condicionando o cérebro para acordar sempre 1h30 antes. Ou seja, ele estará desperto mesmo que o seu corpo se encontre na fase REM. Realize o teste de realidade e desfrute do sonho lúcido.

4) Dicas para controlar melhor um sonho lúcido

Pessoas com experiência em sonhos lúcidos, podem controlar melhor os seus sonhos.

  • Observe bastante o mundo ao seu redor.
  • Escrever todos os sonhos em um diário
  • Tenha um relógio
  • Veja tudo em detalhes.
  • Insira em sua dieta alimentar fontes de vitamina B6 (batata, banana, pães e arroz integral, alho, abacate, gema de ovo, limão, leite, aveia, etc.). Estudos afirmam que pessoas com melhor taxas de vitamina B6 possuem sonhos mais vivo.

Aprenda com Denis Lee sobre o sonho lúcido (4:03)

Saiba Tudo Sobre a Paralisia Cerebral

A Paralisia Cerebral não é apenas um, mas vários tipos de distúrbios que causam disfunções e problemas ao corpo. Elas ocorrem por conta de anomalias presentes no cérebro, que costumam ocorrer ainda nos primeiros meses de vida do bebê, ou ainda durante a gestação.

Existem vários tipos de paralisia cerebral, cada qual com suas consequências para o cérebro. Identificar qual é o tipo quando os sinais são diagnosticados ajuda no tratamento e a melhora na qualidade de vida da criança. Vamos mostrar de forma resumida cada um deles.

1) Quais são os tipos de paralisia cerebral?

Existem três grandes tipos de Paralisia Cerebral. Todas elas se relacionam a algum tipo de dificuldade motora, mas o que diferencia uma da outra é como esses distúrbios afetam cada área. Vejamos com mais detalhes.

A) Paralisia Espástica – consequência de um nascimento prematura, a Paralisia Cerebral espástica ocorre na região do córtex do cérebro, ou no sistema piramidal do mesmo. Nesse tipo, os músculos ficam mais enrijecidos, dificultando tanto a movimentação como um todo, como o desenvolvimento ósseo. É o tipo mais comum de paralisia.

B) Paralisia Discinética – também chamada de Extra-Piramidal, ou Disquimésia. Ocasionada na região Extra-Piramidal, é considerada a menos nociva das paralisias. Nela, a criança realiza movimentos involuntários, por conta da disfunção ocorrida na região cerebral. Esses movimentos podem ser problemáticos em determinadas circunstâncias, portanto deve ser tratada com tanta atenção quanto outros tipos de paralisia.

C) Paralisia Atáxica – é a mais rara das três, e uma das mais complicadas. A lesão ocorre na região do Cerebelo, e causa principalmente a perda de profundidade e equilíbrio, além de ter seus movimentos incoordenados. Além dos movimentos, alguns casos mais raros também apresentam dificuldades na fala.

2) Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico de Paralisia Cerebral pode ser feito ainda nos primeiros meses de infância da criança, caso os pais notem alguns detalhes incomuns para a idade. O médico avalia as informações da família e os fatores que podem levar ao distúrbio. De forma geral, não se leva mais do que 24 meses de vida da criança para descobrir se de fato ela sofre de uma paralisia cerebral ou não.

3) Quais são os fatores de risco? 

Os fatores de risco que podem levar a uma Paralisia Cerebral podem vir tanto do período de gestação, da saúde da mãe ou da saúde da própria criança. Vamos separá-los brevemente, para que considere em caso de suspeitas antes de ir ao médico.

A) Saúde da Mãe  isso inclui doenças e distúrbios anteriores que podem levar a anomalias no cérebro do bebê.

  • Sífilis
  • Rubéola
  • Catapora
  • Convulsões
  • Envenenamento

B) Saúde do Bebê – isso inclui doenças que o bebê pode sofrer nos primeiros meses de vida. Caso as tenha, os exames devem ser feitos com urgência.

  • Meningite
  • Encefalite
  • Quedas

C) Saúde na Gravidez – isso inclui os cuidados durante a gravidez, que envolvem diretamente ou não a gestante.

  • Nascimento Prematuro
  • Gravidez de Gêmeos
  • Hábitos Nocivos (tabagismo, ingerir bebidas alcoólicas)

4) Quais são os sintomas?

Como dito antes, a Paralisia Cerebral é diagnosticada nos primeiros meses de vida do bebê, e pode ser percebida por alguns sinais incomuns nesta idade. Entre os sintomas mais comuns, estão os seguintes.

  • Tremedeira
  • Movimentos Involuntários
  • Problemas para Caminhar
  • Dificuldades em falar as primeiras palavras
  • Coordenação Muscular Prejudicada
  • Reflexos exagerados ou Reflexos nulos

5) Exite algum tratamento?

Não há uma cura para a Paralisia Cerebral mas existem formas de oferecer um melhor qualidade de vida à criança, e maximizar o desenvolvimento de toda a sua capacidade motora. Como os casos podem variar de paciente para paciente, de acordo com o tipo de paralisia desenvolvida, é preciso todo um cuidado específico com médicos especializados. Entre alguns dos profissionais, estão neurologistas, fisiatras, ortopedistas, fisioterapeutas, e outros.

Além disso, o apoio da família, bem como o incentivo do próprio paciente são importantes para garantir uma melhor qualidade de vida. Uma vez identificada a Paralisia Infantil, os familiares devem buscar todas as formas alcançáveis para desenvolver a criança em todo o seu potencial. Se houver essa atenção, grandes conquistas podem ser realizadas em conjunto.

Veja este programa que fala sobre a paralisia cerebral (24:57): 

Fontes:

http://kidshealth.org/en/parents/cerebral-palsy.html

 

15 Curiosidades sobre o Cérebro que Você Não Sabia

Considerado o mais complexo dos órgãos humanos, o cérebro possui características únicas e curiosidades que muita gente desconhece. Você sabia que ele pesa em média 1,36 kg e que está sempre em contínua transformação? Nós preparamos as curiosidades sobre o cérebro.

A seguir vamos conferir 15 curiosidades sobre o cérebro humano que farão você se surpreender!

mulher com duvida

1) O cérebro humano tem 160 mil quilômetros de veias sanguíneas.

Cerca de 160 mil quilômetros de veias irrigam o cérebro. Com essa quilometragem, é capaz de dar a volta no planeta Terra quatro vezes. E se fossem todas enfileiradas, chegariam à metade do caminho entre a Terra e a Lua.

2) Ele possui 100 bilhões de neurônios.

E cada neurônio faz até 10 mil conexões, responsáveis pela transmissão de um impulso nervoso de um neurônio até outro e que continuam por toda nossa vida. É por isso que gravamos tudo o que sabemos fazer, como por exemplo, andar, falar etc.

3) Respiramos por uma narina de cada vez e é o cérebro quem faz a troca a cada 30 minutos.

Quando um lado do cérebro está mais ativo, o lado inverso da narina é quem funcionará na respiração. Assim, ao respirar pelo lado direito, por exemplo, o hemisfério esquerdo do cérebro mostrará uma atividade maior e vice-versa.

4) Vemos nosso próprio nariz o tempo todo, mas o cérebro decide ignorá-lo.

Nosso cérebro usa o nariz para ter um ponto fixo no espaço e como posicionamento. A gente acha que não o vê, mas o cérebro resolve ignorá-lo para não haver sensações estranhas e tonturas, eliminando então sensações de desconforto.

5) Precisamos de 90 segundos de conversa com alguém para o cérebro decidir se gosta ou não da pessoa.

Quando conhecemos alguém que nos parece confiável, o nível de um importante hormônio, a ocitocina, aumenta em nosso cérebro, fazendo com que a gente se sinta mais propenso a criar uma relação com aquela pessoa. Dessa forma, o cérebro aprende a transformar a cooperação em prazer.

6) Metade do cérebro fica acordado quando você dorme em um ambiente diferente.

Em um lugar novo, somente metade do cérebro descansa e se recupera das atividades do dia, enquanto a outra metade fica alerta para reagir mais rápido a possíveis sinais de perigo, fazendo com esta parte do cérebro fique de guarda.

7) O cérebro pode sentir alguém te observando enquanto dorme.

O cérebro não “desliga” quando dormimos, processando e memorizando em conjunto com os neurônios o que aconteceu durante o dia, além de descartar algumas memórias. Durante umas das fases do sono, chamada REM, ocorrem os sonhos mais vívidos; os olhos se movem rapidamente e a atividade cerebral é similar àquela de quando estamos acordados. Quando acordamos subitamente durante o sono, o cérebro não “percebe” e temos a sensação de que há algo nos observando, como num estado de paralisia.

8) Sempre que dormimos o cérebro faz uma limpeza, deletando informações inúteis.

Assim como um computador, nosso cérebro necessita deletar informações e memórias menos relevantes para “liberar mais espaço” e armazenar as de maior utilidade. E dessa forma, mais conexões se formam para receber novas informações.

9) Antes de dormir, 90% da nossa mente imagina coisas que gostaríamos que acontecesse.

Como já falado no tópico 7, nosso cérebro não desliga quando vamos dormir, necessitando processar o que ocorreu durante o dia. Antes de dormir, presenciamos um sono leve, que repassa as memórias recém-formadas, ordenando-as e gravando informações que façam sentido no dia seguinte. Isso dá espaço para nossa imaginação, que cria imagens e faz com que nossos sentidos pareçam reais. O cérebro então age fixando informações em nossa mente.

10) Nõa imortpa a oderm das ltreas da pvarala, bsata que a pmrireia e a úmtila etrla etjasem no lguar crteo praa que vcoê enednta o que etsá erctiso.

“Não importa a ordem das letras da palavra, basta que a primeira e a última letra estejam no lugar certo para que você entenda o que está escrito”. Nosso cérebro faz com que a gente compreenda o contexto; assim, pulamos algumas sentenças e dessa forma entendemos a frase. Não é necessário decodificar palavra por palavra. Lemos de uma vez só, olhando a palavra como um conjunto total.

11) É possível sobreviver mesmo se um dos lados do cérebro parar de funcionar.

Chamados de hemisférios, os dois lados do cérebro não são iguais e funcionam de forma inversa. Por exemplo, se você machucar o braço esquerdo, a dor será processada pelo lado direito do cérebro. Claro que algumas tarefas são realizadas pelos dois hemisférios em conjunto, mas algumas funções específicas são totalmente focadas no direito ou no esquerdo.

12) O cérebro não dói.

Quando temos dores de cabeça, doem os vasos que saem e entram no cérebro, a membrana que envolve os ossos do crânio, músculos, articulações dos ossos e seus ligamentos, e também por conta da liberação de substâncias. Mas o cérebro em si não dói.

13) A velocidade que uma informação passa em nosso cérebro é de 430 quilômetros por hora.

O cérebro funciona como uma compacta e complicada rede de telefone, através de um complexo fluxo de mensagens que chegam, são selecionadas e após isso, dirigidas ao seu local apropriado.

14) Nosso cérebro é capaz de armazenar mais de 4 terabytes.

Muitos estudiosos ainda divergem quando o assunto é a capacidade de armazenamento do cérebro, a maioria indicando mais de 4 terabytes. Mas sabemos que o cérebro é muito mais complexo que um disco rígido e muitos dados armazenados podem ser corrompidos e perdidos.

15) Homens tem o cérebro 10% maior que o das mulheres.

Essa informação não dá mais vantagens para os homens, pois o cérebro das mulheres possui mais células nervosas e por isso funciona mais de forma emocional e subjetiva, enquanto o dos homens é mais racional e objetivo.

17 Alimentos Poderosos e Dicas Caseiras que Aumentam a Imunidade

O verão é a época do ano que mais expõe as pessoas a micoses, alergias de pele, herpes, diarreias e outras infecções bacterianas. A aproximação das estações frias dá um alívio em todos esses problemas, mas ainda assim o sistema imunológico não ganha descanso. Por isso, é preciso fortalecer sua imunidade.

Se instalam junto do frio alguns outros perigos: as infecções virais, como gripes, sinusites, pneumonias e as doenças alérgicas, como rinite e asma. Portanto, quando o assunto é imunidade, não dá para vacilar durante as quatro estações do ano.

O sistema imune – conhecido pelo nome de sistema imunitário ou sistema imunológico – é o conjunto de estruturas e de processos biológicos de um organismo capaz de proteger das doenças, pelo fato de conseguir identificar e eliminar as células patogênicas. Essa imunidade consegue-se graças à ação de linfócitos, leucócitos, anticorpos e outros componentes.

Infelizmente, é impossível ficar totalmente livre de doenças. No entanto, com mudanças de comportamento e alguns cuidados básicos, dá sim para deixar seu sistema imunológico trabalhando com força total.

I) Conheça um pouco mais sobre os 17 alimentos que aumentam a sua imunidade:

Existem vários métodos que ajudam a prevenir gripes e resfriados, mas não há nada melhor para do que uma boa alimentação para aumentar a imunidade.

Pessoas que não sabem exatamente o que estão comendo, tendem a ter um estilo de vida pobre e adoecem mais rapidamente. Por isso nós preparamos quais são estes alimentos ricos em vitaminas, minerais e outras substâncias que podem fortalecer a imunidade só de consumir e não deixar qualquer doença chegar perto de você.

17 Alimentos Poderosos e Dicas Caseiras que Aumentam a Imunidade

1) Alho

Uma das propriedades do alho é a sua alta quantidade de vitaminas A e C, nutrientes que auxiliam no bom funcionamento do sistema imunológico, além dessas vitaminas o alho também possui uma grande quantidade de outros elementos antioxidante como selênio, alicina e quercetina, que ajudam na proteção de danos relacionados a infecções e ao envelhecimento. Uma pesquisa foi feita em países do Sul da Europa e descobriu-se uma ligação entre a quantidade de ingestão de alho e uma redução do risco de desenvolvimento de certos tipos de câncer.

Receita de chá de alho com limão e mel para aumentar o consumo de alho em sua dieta.

A) Ingredientes:

  • 1 limão;
  • 2 dentes de alho;
  • 1 copo de água (cerca de 250 ml);
  • Mel a gosto.

B) Preparo:

Separe o limão em partes e coloque para ferver junto com a água e os dois dentes de alho descascados. Aguarde o chá esfriar e coe, em seguida adoce com mel a gosto.

2) Batata Doce

A batata doce contém uma grande quantidade de beta-careteno, um antioxidante que atua no corpo para evitar diversos problemas inflamatórios, já que ele se transforma em vitamina A e é usado para produzir o tecido conjuntivo. A batata doce possui diversas outras propriedades que auxiliam na saúde geral do corpo, por isso que esse é um dos alimentos preferidos de quem deseja levar uma vida saudável.

Existem várias receitas para introduzir a batata doce do cardápio, desde brigadeiros até sopas e chips. Esse é um alimento que, além de saudável pode ser muito gostoso.

3) Iogurtes

Alguns iogurtes estimulam o sistema imunológico, mas para isso eles precisam possuir a bactéria Lactobacillus reuteri, um pro biótico específico que estimula as células brancas do sangue. Todos possuem esse pro biótico, porém em menores quantidades. Os iogurtes também ajudam a flora intestinal.

Você encontra no mercado uma infinidade de iogurtes, porém tente sempre escolher pelos caseiros.

4) Frutas cítricas

Já é conhecido que as frutas cítricas são fundamentais para melhorar a imunidade do nosso corpo, isso por que elas são ricas em vitaminas que agem diretamente em nosso sistema imunológico, como as vitaminas C e E. As principais frutas cítricas são a laranja, acerola, morango e kiwi.

Uma salada de frutas é uma deliciosa sobremesa para você e para o seu sistema imunológico.

5) Tomate

O tomate possui uma substância chamada licopeno que tem ação antioxidante, ajudando a diminuir a produção dos radicais livres. Por conta dessa substância, muitos nutricionistas recomendam o tomate para prevenir alguns tipos de câncer, como o de próstata.

O tomate deve ser ingerido diariamente, o seu consumo em forma de molhos aumenta a concentração do licopeno, principalmente se for molho caseiro, pois nesse preparo a substância sai do tomate e fica retida no óleo.

6) Gengibre

O gengibre conta com importante ação bactericida, e boa quantidade de vitamina B6 e C, o que faz dele um expectorante natural, auxiliando a reduzir inflamações e a dor.

O melhor do gengibre é ele ser um alimento muito versátil, podendo ser utilizado como tempero, ou ser inserido em chás.

7) Peixes

Alimentos que contém ômega 3, em geral, auxiliam que artérias não fiquem inflamadas ou desenvolvam algum grupo de inflamação, aumentando assim a sua imunidade. Os ácidos graxos também são encontrados em certos peixes, essas substâncias não podem ser produzidas pelo corpo humano, por isso devem ser ingeridas por meio da alimentação, tais substâncias contém grande poder anti-inflamatório, sendo essenciais para a manutenção do nosso sistema imunológico.

Há diversas receitas para se incluir o peixe em nossa alimentação, comidas orientais também são uma ótima escolha, já que são a base de peixes.

8) Vegetais Verdes

Os vegetais de cor verde escura como brócolis, couve, espinafre possuem vários nutrientes que auxiliam na prevenção de algumas doenças, por exemplo, a sua grande quantidade de ácido fólico, principal componente para produção de glóbulos brancos, os quais impedem agentes invasores. Os compostos sulfídricos presente nesses vegetais ajudam da desintoxicação hepática.

9) Cogumelos

Alguns cogumelos contêm uma alta quantidade de ácido fólico, que ajuda na produção dos glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do corpo, melhorando assim a imunidade. Outro nutriente encontrado em vários cogumelos é o selênio, um forte antioxidante que combate os radicais livres.

Cogumelos como o shitake e shimeji são muito utilizados em comidas japoneses, então essa é uma ótima opção para você que quer cuidar da sua imunidade e ainda comer uma comida saborosa.

10) Nozes, castanhas e amêndoas

As oleaginosas são ricas em vitamina E, o que ajuda no combate da baixa imunidade. Também são ricas em fontes de minerais, fibras, gorduras saudáveis e ácidos graxos. Ótima opção para refeições rápidas.

É importante tomar cuidado na quantidade consumida, pois esses alimentos não deixam de ser calóricos, por exemplo, a castanha do Pará tem como recomendação diária apenas duas unidades.

Para possuir um sistema imunológico resistente basta ter uma alimentação diária balanceada e rica em nutrientes. É importante lembrar que quantidade não é importante, escolhe sempre por comidas variadas, assim você ajudará o seu sistema imunológico prevenindo diversas doenças, e ainda se alimentará bem.

11) Cúrcuma

A cúrcuma é uma grande fonte de antioxidantes e contém propriedades anti-inflamatórias. A curcumina que é um dos ingredientes existentes na cúrcuma é antiviral, antifúngico e protege contrar o câncer.

12)  Açaí

É rico em antioxidantes que podem ajudar o organismo a combater o envelhecimento, além de várias doenças.

13) Melancia

Ela possui um potente antioxidante chamado de glutationa, grande aliada no fortalecimento do sistema imunológico combatendo diversas infecções.

14) Pimentão

A pimenta é fonte de betacaroneto, substância que se transforma em vitamina A, nutriente que protege o organismo de infecções.

15) Chá

Podem ser com ou sem cafeína, verde ou preto. Todos estes possuem polifenóis e flavonóides que ajudam a combater diversas doenças.

16) Alimentos ricos em zinco

Carne, cereais integrais, castanhas, sementes e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico), são ricos em zinco, nutriente que combate resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico.

17) Alimentos fonte de ômega-3

O ômega-3 presente, por exemplo, no azeite e no salmão, auxilia as artérias a permanecerem longe de inflamações, ajudando a imunidade do corpo.

II) Veja Abaixo as 10 Dicas Eficientes para Fortalecer a sua Imunidade:

17 Alimentos Poderosos e Dicas Caseiras que Aumentam a Imunidade

1) Alimente-se bem

O sistema imune é composto por células e anticorpos que estão em constante renovação e as proteínas, carboidratos e lipídeos são fundamentais para a formação desses componentes.

Tenha uma dieta balanceada que englobe os diversos nutrientes. Troque o açúcar pelo mel e evite comer muito sal. Tente ingerir uma média de 5 porções de frutas, verduras e legumes por dia.

2) Beba muita água

Além dela ajudar na renovação celular, a água lubrifica as vias aéreas e evita que infecções e alergias atinjam o corpo. Tente consumir pelo menos 2 litros de água por dia.

3) Evite o estresse

Ficar nervoso e ansioso faz com que nosso organismo libere hormônios, os corticosteróides, que são conhecidos por sua atividade imunossupressora. Tente relaxar e encarar as situações difíceis de uma forma menos estressante.

4) Pratique atividades físicas regularmente

A sensação de bem-estar produzida pela atividade física regular pode fortalecer sua imunidade, além de reduzir os níveis de estresse e melhorar a saúde global do organismo.

5) Durma bem

O sono é um dos fatores mais importantes para a saúde do organismo. Noites mal dormidas ou poucas horas de sono normalmente aumentam o nível de estresse do organismo e reduzem a imunidade. Tente dormir de 7 a 8 horas por noite.

6) Evite uso desnecessário de medicamentos

Muitos medicamentos, como os corticosteróides, são imunossupressores e reduzem a produção de células do sistema imune e também de anticorpos. O uso de antibióticos sem necessidade também é prejudicial, pois pode aumentar a resistência de bactérias.

7) Mantenha bons hábitos de higiene

Lave sempre as mãos antes das refeições ou após o uso do banheiro, escove sempre os dentes e tome banhos regularmente. Estar sempre limpo afasta diversas doenças e infecções.

8) Evite exageros de qualquer forma

Isso inclui exageros alimentares (consumo excessivo de gordura, etc), consumo de álcool, drogas, cigarro, exercícios físicos extenuantes ou noites sem dormir. Fortalecer sua imunidade não combina com exageros, que podem fazer com que a imunidade reduza.

9) Tome banho de sol pela manhã

Essa prática fortalece sua imunidade, pois ajuda o organismo a ativar a vitamina D que sinaliza uma resposta antimicrobiana à bactéria responsável pela tuberculose.

10) Faça check up uma vez ao ano

É bom que você esteja ciente do estado corporal. Faça um check up geral do seu corpo uma vez ao ano e você terá mais chance de viver uma vida saudável para o resto da sua vida.

Fontes:

http://www.health.harvard.edu/staying-healthy/how-to-boost-your-immune-system

http://www.healthline.com/health/food-nutrition/foods-that-boost-the-immune-system

10 Super Alimentos que Melhoram a Memória

Uma boa alimentação não melhora apenas a memória, mas a saúde como todo. Muitos doutores admitem que não recomendam os alimentos que comemos em dia porque os pacientes querem os nomes dos remédios. Por isso, nós perguntamos a eles quais são os 10 super alimentos, que melhoram a memória e ajudam a manter o cérebro sempre saudável.

Veja Abaixo a Lista de 10 Super Alimentos que Melhoram a Memória:

1) Abacate

O abacate é rico em vitamina antioxidante, mesmo não tendo uma boa fama por seu teor de gordura, é rico em vitamina C e E, mas vamos deixar claro que a gordura encontrada nele é monoinsaturada, tipo bom, o que mantém bom os níveis de açúcar no sangue e a pele bonita.

Ele possui vitamina K e ácido fólico, os quais ajudam na prevenção de coágulos sanguíneos no cérebro, pode ajudar a manter a memória em excelente estado e ajuda na concentração.

2) Azeite de Oliva

O azeite é um ótimo alimento para o cérebro. Ele possui antioxidantes fortíssimos, conhecidos como polifenóis que são encontrados no óleo. O óleo ajuda a lutar contra as proteínas que são tóxicas para o cérebro e que induzem a doença de Alzheimer.

O azeite ajuda quando é preparado frio, como em uma salada, caso contrário, não fará efeito, pois os hydrogenizes se decompõe.

3) Chocolate preto (amargo)

O chocolate preto é rico em antioxidantes e flavonoides. Além de manter a memória saudável, ele mantém também o coração, a pressão arterial e o fluxo sanguíneo.

Lembrando que não é qualquer chocolate, mas o amargo. ­Ele possui mais cacau, cerca de 70 por cento, o que ajuda a manter o cérebro em excelente estado e ainda vai se saborear com o doce.

4) Carne de Fígado

A principal vitamina para ajudar a manter a memória saudável, prevenção de doenças no cérebro e coração, na formação do sangue é a B12.

5) Grãos integrais

Uma pesquisa feita pelo Columbia University Medical Center, NY, diz que os grãos integrais estão associados a menor risco de cognitivo leve, pode não evoluir a doença de Alzheimer. Além do Alzheimer, pode reduzir o estresse, pressão arterial, entre outras coisas.

Um estudo publicado no American Journal of Epidemiology (Jornal Americano de Epidemiologia) que vitamina E pode retardar o declínio cognitivo na terceira idade. Alimentos com grande fonte de vitamina E com vegetais como asparagus, aceitona, sementes, ovo, arroz integral e grãos melhoram a memória.

6) Morango

Essa fruta possui um nutriente chamado, fisetina. Ela pode ajudar a parar o declínio cognitivo em relação a idade, o mecanismo do cérebro que diminui com a idade. Ela ajuda a se livrar das proteínas tóxicas relacionados a perda de memória.

7) Ovo

Gemas contêm uma grande quantidade de colina, ela ajuda no desenvolvimento do cérebro. Ovos também libera uma substância chamada bethane, ela produz hormônios relacionados à felicidade.

8) Peixe

O peixe possui gordura EPA e DHA, que contém no Omêga 3. Estas gorduras são importantes para a função saudável do cérebro e coração, entre outros.

9) Tomate

Além do morango, o tomate também contém fisetina, o que já sabemos que ajuda na memória. Ele também tem antioxidantes que ajuda a reduzir células causadas pelos radicais livres e ajuda a prevenir doenças.

10) Vegetais Verde Escuro

Brócolis é um dos melhores alimentos para melhorar o performance do cérebro. Ele contém vitamina K e colina, os principais para manter o cérebro ótimo. O brócolis também contém vitamina C, o que pode ajudar na sua ingestão diária. Além dos alimentos, atividade físicas melhoram a memória e mantém o cérebro em forma.

7 Principais Causas da Dor nos Testículos

A dor nos testículos é uma espécie de dor que pode ocorrer tanto em torno de um como em ambos os testículos, essa dor pode ser originada por diversas condições, até mesmo estar relacionada a dores de outras partes do corpo, como na virilha ou no abdômen.

Porém é uma dor comum e até certo ponto normal, a maioria dos homens terão uma ou mais experiências desse tipo em toda a vida.

A dor ironicamente pode ser considerada algo positivo, pois você poderá excluir a possibilidade de que seja câncer de testículo, em que na maioria dos casos não apresentam sintoma algum. Ao sentir a dor seu corpo está denunciando algo de errado, assim você poderá tratar rapidamente.

1) Quais são as principais causas da dor nos testículos? 

Quais são as causas da dor nos testículos?

Existem várias causas que podem originar a dor, até por que é uma área muito sensível que até mesmo uma pequena lesão é capaz de causar desconforto.

A dor pode ser originada de dentro do próprio testículo ou do epidídimo, que é um ducto localizado na parte de trás do testículo, ele é responsável pelo armazenamento dos espermatozoides produzidos.

Como já dito, dores em outras partes do corpo podem provocar dor no testículo, como no caso de pedras nos rins e hérnias. Elas podem variar entre circunstâncias mais comuns e mais graves, abaixo especificamos algumas das principais causas:

A) Lesão direta

Qualquer golpe direto na região poderá causar possíveis lesões em seguida, como inchaço e hematomas, além de sentir uma dor nauseante na hora do impacto que poderá se prolongar.

Por isso todos os esportes com esse risco, devem ser praticados com roupas intimas ou algum tipo de suporte atlético.

B) Infecções no testículo

Infecções por microrganismos figuram entre as principais causas de dor nos testículos, existem dois tipos delas a orquite e a epididimite.

A orquite é uma infecção causada por bactérias ou vírus que afetam o testículo, a inflamação pode afetar tanto um quanto ambos, mas na maioria dos casos apena um lado é afetado. A caxumba também pode provocar a orquite.

Já a epididimite é causada por uma infecção bacteriana ou por alguma doença sexualmente transmissível (DST) capaz de provocar uma inflamação no epidídimo.

Quando inchado o epidídimo causará dor nos testículos. Esse tipo de inflamação geralmente afeta homens entre 19 a 35 anos e é tratada por meio de antibióticos.

D) Hérnia testicular

Os lugares mais afetados pela hérnia são o estômago e o intestino, mas também pode surgir próximo a virilha e causar dor nos testículos. A hérnia surge devido a uma fraqueza na parede muscular de alguma parte do corpo.

Em alguns casos a hérnia não apresenta sintomas, mas geralmente surge na forma de uma protuberância, provocando inchaço e dor, que se agrava pelo movimento.

D) Torção nos testículos

A torção nos testículos ocorre quando o cordão espermático que é responsável por levar o sangue até os testículos se torce, quando isso ocorre ele inchará e provocará uma enorme dor.

A torção afetará o fluxo de sangue, por isso é necessário procurar auxílio médico o quanto antes, caso contrário após seis horas sem o fornecimento de sangue o testículo morrerá.

Caso tenha que ser removido, não prejudicará a vida do homem, ele ainda terá capacidade de realizar o ato sexual e ter filhos normalmente.

E) “Bolas azuis”

Em algumas ocasiões, quando a excitação sexual masculina não resulta em ejaculação, pode ocorrer o que chamam de “bolas azuis”. É dado esse nome pois, a situação é capaz de causar congestionamento nos tubos que são responsáveis por transportarem o esperma, o que pode provocar uma sensação bastante dolorosa.

Embora incômoda essa dor é completamente inofensiva, e pode se desvanecer dentro de algumas horas.

F) Pedra nos rins

A famosa pedra nos rins, também conhecida como cálculo renal, são pequenas massas sólidas que se formam nos rins, geralmente ocorre devido à falta de hidratação ou retenção de urina.

Ela normalmente se origina nos rins, o que provoca dores agudas e incômodas, porém ela também pode se desenvolver em qualquer outro lugar ao longo do trato urinário que inclui além dos rins, a bexiga, uretra e o ureter.

Outras Causas:

  • Neuropatia diabética – é a lesão dos nervos ocasionada pela glicemia elevada.
  • Epididimite – é inflamação dos testículos.
  • Gangrena é especificamente, um tipo de gangrena chamado gangrena de Fournier.
  • Púrpura de Henoch Schonlein é inflamação dos vasos sanguíneos.
  • Hidrocele – é acúmulo de fluido seroso no envoltório dos testículos.
  • Dor testicular idiopática (causa desconhecida)
  • Hérnia inguinal – são hérnias que ocorrem na região da virilha e correspondem a 75% de todas as hérnias abdominais
  • Caxumba 
  • Orquite – trata-se da inflamação do testículo e pode ser motivada pelos mais diversos fatores tais como vírus ou parasitas.
  • Testículo retrátil – é a situação clínica em que o testículo, que está no escroto, migra temporariamente para a região inguinal.
  • Massas escrotais espermatocele – é o acúmulo de fluído no testículo.
  • Lesão no testículo ou golpe nos testículos
  • Câncer de testículo
  • Torção testicular – causa estrangulamento do suprimento sanguíneo testicular.
  • Criptorquidia – falha na descida de testículo para o escroto.
  • Infecção do trato urinário – infecção ou colonização do trato urinário por micro-organismos.
  • Varicocele – é uma dilatação das veias do cordão que sustenta os testículos.
  • Vasectomia – é um método contraceptivo através da ligadura dos canais deferentes no homem. É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto e que não é necessário de internação

2) Quais são os tratamentos disponíveis? 

Os tratamentos para dor nos testículos variam, pois dependem muito da origem da dor. Portanto é necessário procurar ajuda médica para saber exatamente a causa e os respectivos tratamentos que variam entre:

  • Analgésicos
  • Antibióticos
  • Utilizar gelo na área
  • Repouso
  • Suporte escrotal
  • Cirurgia

Porém em casos em que a dor é leve, existem alguns cuidados pessoais que podem ajudar a alivia-la. Medicações como ibuprofeno e paracetamol podem ajudar. Mas lembre-se que não importa a circunstância, consulte um médico.

Saiba mais sobre dores nos testículos nesse explicativo vídeo a seguir (31:35):

Fonte:

http://www.mayoclinic.org/symptoms/testicle-pain/basics/when-to-see-doctor/sym-20050942

http://www.netdoctor.co.uk/healthy-living/a4481/testicular-pain-a-sensitive-issue/

Por Que Nós Sentimos Medo?

O medo é considerado uma reação fisiológica que surge quando o indivíduo sente que algo ameaça seu equilíbrio interno, ou seja, quando a pessoa se confronta com uma situação que, de algum modo, a irrite, amedronte, excite ou confunda, ou até mesmo que a faça imensamente feliz. Características de personalidade também podem ser fonte de medo altamente significativas, determinando como cada pessoa reage a eventos da vida.

Sabemos que há diversas formas de nos sentirmos medo, como, por exemplo, medo de filmes de terror, medo de ficar sozinho, medo de avião, medo de certos tipos de animais, medo de ficar sem dinheiro, medo do sucesso, medo de um novo emprego, e até medo de ter medo. Alguns estudos apontam que o medo do fracasso, ou de falhar, é o mais comum no mundo, e o medo da morte está em segundo lugar.

Mas por que existe o medo e por que ele é tão necessário em nossas vidas?

Vamos conferir então 5 explicações do porquê sentimos medo

Por que sentimos medo?

1) O medo é uma sensação de alerta de extrema importância para a sobrevivência das espécies, principalmente para o ser humano.

Quando sentimos que alguma coisa possa ameaçar nossa segurança ou de alguém, o cérebro ativa involuntariamente uma série de compostos químicos que provocam reações físicas do medo, como o aumento do batimento cardíaco, aceleração da respiração e a contração muscular. Sem essas reações, não estaríamos prontos para confrontos ou fugas e não sobreviveríamos por muito tempo. Dessa forma, é importante passar por situações que saiam do equilíbrio normal do organismo para nossa própria preservação.

2) Sentir medo faz bem para percebê-los e reconhecê-los.

É necessário encarar o fato de que o medo sempre nos espreita em tudo o que fazemos. É só começar a observar mais como você fala, como se movimenta e como se comporta, para que assim você busque novamente um equilíbrio pleno do seu corpo. Isso é mais uma forma normal de sobreviver no seu mundo interior e exterior.

3) Ao sentir medo, tomamos providências de luta ou fuga para evitar situações de risco.

Quando o medo se instala, uma série de compostos químicos é instalada, a fim de nos fortalecer e nos capacitar para uma ação necessária naquele momento. Após isto, vem uma adaptação àquela situação e aprendemos a resistir àquela tensão a qual nos encontramos. Os mecanismos de luta ou fuga contribuem para que haja aumento da motivação, entusiasmo e energia, que podem gerar maior produtividade no ser humano. Assim, conseguimos enfrentar aquele medo que nos desestabiliza e decidimos “deletar” medos e fundamentos que não queremos para nossas vidas.

4) O medo do sucesso e de fracassar cria reflexões sobre o futuro.

Ter medo do fracasso na verdade é ter medo do sofrimento que se projeta para o futuro, caso alguma falha aconteça. É normal imaginar que não conseguimos executar uma certa tarefa, que vamos falhar em um novo emprego, ou até ter medo do sucesso naquilo que poderia acontecer. Refletir sobre o que está por vir no futuro dá medo, mas nos tira da “zona de conforto” que estamos acostumados e nos lança para outra realidade, uma realidade de que pode dar certo e de que realmente estamos trilhando um caminho. Ter medo do “novo” é absolutamente normal e sadio.

5) Sentir medo nos força a buscar superações.

Ao sentirmos medo e ao percebê-lo, condicionamos novos comportamentos a serem criados, que contrariam o comportamento anterior do medo. Criamos uma nova memória que tenta substituir aquela do medo que tomou conta da gente. O medo ainda vai existir, mas criando a ideia de que nada vai acontecer, isso vira prioridade no pensamento antes de aparecer o medo. E assim vamos superando cada etapa.

Concluindo, o medo aumenta a eficiência do organismo, deixando-o atento e em alerta, pronto para o enfrentamento, liberando substâncias químicas pelo cérebro que dão sensação de prazer e calma após a tensão. Logicamente, o medo controlado faz bem à saúde e à preservação da espécie. Porém, quando o medo se transforma em algo exacerbado, é necessário investigar mais a fundo sua causa e buscar por ajuda de profissionais no assunto.

Fontes:

http://www.besthealthmag.ca/best-you/mental-health/5-reasons-why-we-feel-fear/

 

10 Principais Causas da Dor nas Articulações

As articulações unem os ossos, suportam o peso e, acima de tudo, permitem que você se movimente. Porém, às vezes, elas sofrem desgastes, que podem causar dor nas articulações, também conhecida como artralgia, que podem ser extremamente desconfortáveis.

As dores nas articulações (como em seus joelhos e quadris) podem ser causadas por uma série de fatores diferentes, como artrite, gota, fibromialgia ou até gripe. No entanto, há uma série de coisas que você pode fazer para aliviar as dores bem como evitá-las.

I) Veja quais são as 10 principais causada da dor nas articulações:

Dor na articulações

1) Artrite

É uma inflamação das articulações. Existem mais de 100 tipos diferentes de artrite, com diferentes causas e métodos de tratamento. A artrite é mais comum em mulheres do que homens e naqueles que estão com sobrepeso. A artrite pode causar dor nas articulações, rigidez e inchaço.

2) Síndrome da Fadiga Crônica

É uma doença debilitante caracterizada por fadiga extrema que não desaparece com o repouso. A causa é desconhecida, mas entre os sintomas, está a dor muscular, dor de cabeça e dor de garganta.

3) Fibromialgia

A fibromialgia é uma doença crônica marcada por dor generalizada, inexplicável nos músculos e articulações.

4) Gota

É uma inflamação das articulações, causadas por um acúmulo de ácido úrico. Esse acúmulo afeta os pés, especialmente o dedão do pé. As pessoas que têm gota sentem inchaço e dor nas articulações do pé.

5) Luxações

Normalmente resultam quando uma articulação sofre um impacto inesperado. Isso pode acontecer se você cair e atingir a área afetada. Entre os sintomas estão, a dor durante o movimento, dormência ao redor da área e sensação de formigueiro.

6) Tenossinovite

Um tendão é um tipo de tecido fibroso que liga os músculos aos ossos. Este tecido ajuda em ações, como correr, saltar, agarrar, e pular. Sem tendões, você não seria capaz de controlar o movimento de seu corpo. A lesão do tendão pode resultar no mau funcionamento. Se isso ocorrer, o líquido sinovial não será fabricado. Isto poderá causar inflamação ou inchaço causando sintomas como rigidez, inchaço e dor nas articulações.

7) Bursite

Bursas são sacos cheios de líquido que ficam sobre suas articulações. A lubrificação ajuda a reduzir o atrito durante o movimento. Bursite é uma inflamação das bursas, que causam dor e desconforto no local afetado, limitando a maneira que você move suas articulações.

8) Osteomielite

Pode resultar quando as bactérias ou fungos invadem um osso. Em crianças, infecções ósseas ocorrem nos ossos longos dos braços e pernas. Em adultos, geralmente aparecem nos quadris, coluna e pés. Normalmente, o primeiro sintoma a aparecer é a dor no local da infecção. Outros sinais comuns são febre e calafrios, vermelhidão na área infetada, irritabilidade, inchaço e rigidez.

9) Espondilite Anquilosante

A espondilite anquilosante é uma forma de artrite que afeta principalmente as articulações na coluna. Ela provoca inflamação grave das vértebras que podem eventualmente levar à dor crônica nas articulações e até à deficiência.

10) Gripe e Resfriados

São infecções contagiosas que afetam o sistema respiratório. Ambas são doenças transportadas pelo ar, através da tosse e espirros. Entre os sintomas estão febre, dor de cabeça e no corpo, causando uma fadiga leve.

II) Como a dor nas articulações é diagnosticada?

  • O seu médico irá realizar um exame físico.
  • Ele também irá fazer uma série de perguntas sobre a sua dor nas articulações. Isso poderá ajudar a diminuir as possíveis causas.
  • Um raio-X pode ser necessário para identificar possíveis lesões.
  • Um exame de sangue poderá ser feito para identificar certas doenças autoimunes.
  • Eles também podem executar um teste de velocidade de sedimentação para medir o nível de inflamação no corpo.

Dor nas articulações é muitas vezes resultado do dano que ocorre através de desgaste normal ou um sinal de uma infecção.

III) Qual o tratamento para a dor de articulação?

Suas opções de tratamento dependerão da causa da sua dor:

  • Em alguns casos, o seu médico irá tirar o líquido acumulado na área,
  • Eles também podem recomendar uma cirurgia para substituir a articulação,
  • Usar analgésicos ou anti-inflamatórios para reduzir a dor, inchaço e inflamação,
  • Fazer exercícios físicos moderados,
  • Alongamentos antes do exercício,
  • Manter o seu peso corporal sob controle – isto irá diminuir o peso sobre as articulações,
  • Massagem,
  • Banho quente,
  • Descanso suficiente,
  • Mudanças no estilo de vida.
  • Compressa fria e compressa quente.
  • Sempre procure ajuda médica ao sentir dor nas articulações, prevenindo possíveis deficiências causadas pelo diagnóstico tardio.

IV) Aqui estão as 10 Maneiras de Aliviar as Dores nas Articulações em um Instante:

1) Crioterapia

As temperaturas frias reduzem o fluxo sanguíneo e, portanto, reduzem o inchaço dos tecidos. A primeira vez que você sentir dor, aplique uma compressa de gelo sobre a área afetada durante 15 minutos, durante todo o dia. No dia seguinte, aplique o gelo apenas quatro ou cinco vezes, durante 15 minutos.

Este processo é vital para o alívio da dor nas articulações. Lembre-se, para evitar queimaduras de gelo, não coloque o gelo diretamente sobre a pele; envolva-o em uma toalha ou pano.

2) Hidroterapia

A água quente vai aliviar a pressão sobre as articulações e músculos. Portanto, um bom banho quente pode fazer maravilhas para aliviar a dor nas articulações em seus joelhos e quadris. Mergulhe a área afetada na água e faça massagem, a fim de estimular o fluxo sanguíneo.

3) Massagem

A massagem é um excelente meio para aliviar as dores nas articulações em seus joelhos e quadris. Poderá fazer com um profissional ou em casa mesmo, e use um óleo hidratante.

Além disso, lembre-se que quando massagear seu corpo, a direção deve ser sempre voltada ao coração.

4) Medicamentos

Alguns medicamentos, como o ibuprofeno, são muito bons para o alívio das dores nas articulações. Anti-inflamatórios irão ajudar a aliviar o inchaço e a rigidez, e relaxantes musculares prescritos pode ajudar na redução dos espasmos musculares.

5) Ervas Naturais

Misturas de ervas naturais são um excelente meio para aliviar, bem como evitar as dores no joelho e quadril.

Nem todas as dores nas articulações vêm de doenças. Apenas pode ser quando você não consegue dormir o suficiente ou quando não se exercita.

6) Exercícios

Ao escolher um exercício, deve ser um que seja suportável e não cause mais as dores nas articulações. O exercício ajuda a aumentar a densidade óssea, melhora a força muscular e flexibilidade das articulações e melhora o equilíbrio. Participe de caminhadas regulares, natação, danças, alongamentos, ciclismo e atividades de baixo impacto.

7) Fisioterapia

Um fisioterapeuta especializado será capaz de ajudá-lo a aliviar a sua dor nas articulações, fortalecendo os músculos ao redor da articulação e melhorando os movimentos.

8) Tratamentos Alternativos

Práticas de medicina alternativa, como acupuntura, não só podem melhorar o movimento das articulações, como também ajudar a aliviar a dor.

9) Imobilizar a articulação

Se a dor é muito forte, tente imobilizar a área com uma tala ou cinta. Isto não deve ser feito em todos os casos, apenas se você não conseguir suportar.

10) Descanso

Uma das melhores maneiras de aliviar a dor articular é o descanso e o relaxamento. Isto irá restaurar a energia, bem como permitir que o corpo para se recupere naturalmente. Além disso, descansar entre períodos de exercício, vai evitar assim a dor nas articulações.

Se você está sofrendo de dor nas articulações por um longo período, é absolutamente importante que você agende uma consulta com o seu médico o mais rápido possível, a fim de avaliar e aliviar a sua dor. O exercício físico regular, uma dieta equilibrada e um peso saudável podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver dores nas articulações.

Extra – Como aliviar as dores de escritório

Para quem trabalho em escritório, é comum ter dores devido a postura e/ou muito tempo na mesma posição. Siga as dicas no infográfico a seguir para fazer alongamentos rapidamente no escritório.

10 Principais Causas da Dor nas Articulações e Principais Tratamentos

Sempre procure ajuda médica ao sentir dor nas articulações, prevenindo possíveis deficiências causadas pelo diagnóstico tardio.

Fonte:

http://www.healthline.com/symptom/joint-pain

http://life.gaiam.com/article/10-ways-relieve-and-prevent-joint-pain

http://www.webmd.com/pain-management/guide/joint-pain