Saiba Tudo Sobre a Alergia

O que é alergia?

Definida como uma resposta imunológica exagerada, a alergia – ou reação de hipersensibilidade – se desenvolve após a exposição a um determinado antígeno, considerado uma substância estranha ao nosso organismo e que ocorre em indivíduos suscetíveis geneticamente e previamente sensibilizados.

As substâncias que desencadeiam o processo alérgico podem ser inaladas, ingeridas, injetadas ou colocadas em contato com a pele, sendo as reações alérgicas diferenciadas de acordo com o estímulo realizado.

É importante saber que uma substância que causa alergia em um indivíduo não necessariamente causará em outro.

1) Quais são as principais causas de alergia?

A reação do organismo, definida como exagerada, pode ter diferentes causas e, por isso, é importante conhecer o alérgeno causador para evitá-lo.

Algumas causas mais comuns são:

  • Pólen de árvores e gramíneas
  • Ácaros
  • Pelos de animais
  • Mofo (traços, quantidade mínima suficiente)
  • Determinados alimentos, como farinha de trigo, leite, soja, ovo e etc
  • Látex
  • Produtos químicos
  • Medicamentos

A alergia à poeira é a reação alérgica às fezes de ácaros e, por isso, é considerada problemática e de difícil tratamento. Já a alergia a pelos de animais é, na verdade, alergia à saliva, urina ou das células epiteliais do animal.

Acabar com o zumbido no ouvido

2) Quais são os principais tipos de alergia?

As alergias são das mais variadas, mas existem tipos mais comuns, atingindo um número maior de pessoas. São elas:

  • Alergias alimentares: são mais comumente desencadeadas pelo leite de vaca, ovos, amendoim, soja, peixes, frutos do mar e nozes.
  • Alergias da pele: também conhecidas como lesões dermatológicas com prurido (coceira) intenso.
  • Alergias nasais: também denominada de rinite alérgica.
  • Alergias respiratórias: ocorre por meio dos alérgenos e irritantes das vias aéreas, infecções, exercícios físicos inadequados, refluxo gastroesofágico, medicações e alimentos, além das causas emocionais.
  • Alergias oculares: sendo a conjuntivite alérgica a mais comum.

3) Quais são os sintomas?

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

alergia sintomas

Os sintomas da alergia variam de acordo com a reação alérgica e também do agente causador. Os principais sintomas são:

  • Sensação de “aperto”
  • Falta de ar ou cansaço
  • Chiados no peito
  • Tosse (que pode ser acompanhada de secreção ou não).

A rinite alérgica, por exemplo, possui sintomas bastante característicos, sendo eles os espirros, a coriza líquida e abundante, coceira nasal insistente, mucosa nasal congestionada e narinas entupidas, olhos avermelhados, irritados, lacrimejando e coçando.

4) Quais são os tratamentos?

Apenas o médico é o profissional capacitado para informar a medicação necessária para o seu caso alérgico. Além disso, este profissional indicará a dosagem correta e a duração do tratamento. É importante que não haja interrupções no uso do medicamento sem consultar um médico antes e nem que haja medicação por conta própria, visto a gravidade do problema.

Apesar de não ter cura, a alergia pode ser controlada. Deste modo, o tratamento tem o objetivo de aliviar os sintomas, afastar o paciente do alérgeno e, em alguns casos específicos, induzir tolerância a ele.

A alergia é dividida em fases. Na fase aguda, o tratamento é feito com antihistamínicos e corticoides por via intramuscular ou endovenosa. Para as alergias respiratórias a nebulização com substâncias que dilatam os brônquios também pode ser utilizada.

Já na fase crônica, o tratamento consiste na imunoterapia específica ou dessensibilização, que é uma maneira terapêutica em que o paciente de início recebe doses mínimas do alérgeno, buscando dessensibilizar o organismo a ele.

Acabar com o zumbido no ouvido

Atualmente, o único tratamento capaz de modificar o curso natural da alergia é a imunoterapia – tratamento de doenças por meio da modificação do sistema imunitário, como ocorre com transplantes de medula óssea ou a injeção de gamaglobulinas polivalentes.

Veja esta reportagem sobre a alergia (1:30):

Fontes:

http://www.medicinenet.com/allergy/article.htm