Saiba Tudo Sobre a Apendicite

apendicite

O apêndice tem um comprimento médio de cerca de oito centímetros e está localizado na primeira parte do intestino grosso, na região inferior direita do abdômen. O formato do apêndice é como se fosse um dedo de luva, ele possui um fundo cego.

O apêndice é um órgão com funções relacionadas à produção de anticorpos e também serve como reservatório de bactérias intestinais que auxiliam no processo digestivo. Apesar de suas funções ele não apresenta falta quando retirado cirurgicamente.

O que é a apendicite?

A apendicite acontece quando o apêndice inflama, é uma doença inflamatória que pode ser tratada com antibióticos ou, dependendo da gravidade, com cirurgia. Caso não seja tratado, o apêndice pode romper e causar uma infecção severa ou um abcesso.

Algumas das principais causas:

Existem várias causas possíveis para a apendicite e as mais comuns são:

  • O vírus se aloja no intestino e vai para o apêndice
  • Obstrução de fezes e gordura, pois o acumulo destes dentro do apêndice pode acontecer com pessoas de todas as idades
  • A pedra na vesícula, a mais visível das causas, também pode bloquear e dificultar a saída muco
  • A pressão dos gânglios linfáticos também pode gerar a apendicite
  • Pancadas fortes na barriga ou acidentes podem causar o rompimento do órgão
  • O acumulo de gases no órgão devido às bactérias que normalmente já estão ali também pode ser prejudicial
  • Um verme parasita também pode impedir a saída do muco o que causa o aumento do órgão e seu rompimento
  • Algumas colisões, como socos fortes ou acidentes

As dores e causas da apendicite

As dores da apendicite acontecem do lado direito do abdômen. Ela tem início próximo ao umbigo e desse para o lado direito. Muitas vezes a dor pode não ser localizada e se espalhar pela região inferior do abdômen.

A apendicite pode ser causada por vários fatores, mas o principal e mais comum é quando ocorre a entrada de fezes no órgão, gerando a infecção.

Diagnóstico e sintomas

apêndice inflamado

O diagnóstico é feito por um médico especializado e pode ser descoberto por meio da palpação do abdômen e também dos sintomas do paciente.

Para confirmar o diagnóstico o médico também pode pedir mais exames para confirmar as informações, como exame de sangue, teste de urina, raio x, ultrassom ou tomografia.

O primeiro sintoma que pode indicar a apendicite é a dor em volta do umbigo. Ela pode começar de uma maneira tímida, mas cresce gradativamente, direcionando até o ponto acima do apêndice, tornando-se insuportável. Para crianças, idosos e mulheres com gestação, essas dores podem ser em pontos diferentes na barriga, confundindo seu diagnóstico.

Casos em que ocorre o rompimento do apêndice, as dores cessam por um curto período de tempo. Até eventuais tosses, caminhadas mais bruscas, ou mesmo se agachar podem levar a dores agudas. Neste ponto, outros sintomas podem confirmar a apendicite, como:

Acabar com o zumbido no ouvido
  • Diarreia
  • Vômitos
  • Febre constante
  • Náuseas
  • Perda de apetite e calafrios

Para evitar que esses sintomas se agravem, o ideal é ir ao médico antes que as dores no abdômen aumentem, seja ao redor do umbigo ou não.

Portanto, se você possuir a maioria dos sintomas abaixo é possível que esteja com apendicite. Procure um médico especializado.

  • Dor de barriga generalizada
  • Dores intensas ao lado direito do abdômen
  • Náuseas ou vômitos
  • Febre
  • Perda de apetite
  • Mal-estar
  • Calafrios e tremores
  • Abdômen inchados
  • Prisão de ventre ou diarreia

Quando ir ao médico

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Se você verificar os sintomas, sentir desconforto e dores é preciso ir ao médico com urgência. Principalmente se a febre apresentar um aumento expressivo, diarreia e vomito conterem sangue. Isso pode significar que o apêndice se rompeu, o que pode causar uma grave infecção.

Cirurgia de apêndice

A chamada apendicectomia é uma das principais formas de tratamento, na qual o apêndice é retirado através de um pequeno corte, com cerca de cinco centímetros, ou pela videolaparoscopia, três cortes com aproximadamente um centímetro.

Após a cirurgia o paciente fica cerca de dois dias internados até as dores diminuírem. A cirurgia, apesar de ser mais agressiva, apresenta uma menor taxa de complicações.

A laparoscopia é usada em casos nos quais a apendicite não apresenta um alto grau de complicação, ela é menos invasiva e requer um tempo mais curto para a recuperação. Esse tipo de cirurgia pode ser indicada à qualquer paciente, sendo a preferida de pacientes obesos e idosos.

A cirurgia de apendicite é comumente realizada sem anestesia geral e dura em média 30 a 60 minutos. Ela deve ser feita nas primeiras 24 horas a partir do diagnóstico, para que, dessa forma, sejam evitadas maiores complicações e infecções. 

Preço da cirurgia

O valor da cirurgia da apendicite pode varias de acordo com o hospital, as técnicas utilizadas, tempo de internamento, entre outros fatores. O preço pode girar em torno de R$6.000,00 ou pode ser feita de maneira gratuita pelo SUS.

Recuperação

A cirurgia de apendicite pode passar por uma recuperação de uma semana até um mês, dependendo do modo que foi realizada, da idade do paciente, no estado clínico, da disposição de cicatrização do paciente e das complicações operatórias. A recuperação é simples e relativamente rápida, mas para que seja completa e efetiva é preciso tomar certos cuidados.

  1. Repouso nos primeiros sete dias: é importante que o paciente fique em casa, realize apenas pequenas caminhadas e evite ao máximo esforços e pesos.
  2. Tratamento da ferida: é necessário ir até o hospital a cada dois dias para que os médicos acompanhem a cicatrização e removam os pontos entre oito a 10 dias após a cirurgia.
  3. Beber muita água: a água é essencial em nosso dia a dia e torna-se ainda mais importante durante uma recuperação. Beber chá e bebidas quentes também é muito indicado.
  4. Barriga para cima: nos primeiros dias pós cirurgia é importante dormir de barriga para cima para evitar o contato com o local da cirurgia.
  5. Exercícios: é importante evitar os exercícios por pelo menos 15 dias, além disso não carregue objetos pesados e tenha cuidado ao subir e descer escadas, toda atenção é pouca.
  6. Alimentação: para ajudar na recuperação é preciso ficar de olho na alimentação, tenha uma dieta branda e se alimente com comidas leves que não forcem o sistema digestivo, como peixes, frutas, legumes, entre outros.
  7. Dirigir: evite dirigir nas primeiras semanas, tenha cuidado com o cinto de segurança.
  8. Tosse: ao tossir forçamos a barriga e isso pode causar dores. Por isso, a dica é pressionar a ferida durante a tosse para evitar um grande choque e amenizar as dores.

A recuperação depende do organismo de cada um, mas é imprescindível que todos que passam por esse procedimento cuidem-se da melhor maneira. Fique tranquilo, não se esforce. Aproveite esse tempo para descansar e ler algum livro, principalmente nos sete primeiros dias. Após esse período retome suas atividades comuns aos poucos.

Apendicite aguda

Para realizar o tratamento da apendicite aguda é preciso realizar uma cirurgia para a retirada do apêndice, ela é chamada de apendicectomia. A cirurgia deve ser realizada com urgência e o mais rápido possível para evitar que o apêndice s rompa e evitar a inflamação.

Ao se romper pode ocorrer a sepsis, uma infecção muito grave no organismo que pode levar à morte.

Acabar com o zumbido no ouvido

A técnica para a retirada do apêndice é chamada de laparoscopia, na qual são feitos três pequenos furos, o que permite uma recuperação mais simples e menos dolorosa.

Além desse procedimento, é possível optar pela cirurgia comum, a qual realiza um corte na região do abdômen para a retirada do apêndice.

Apendicite crônica

A incidência da apendicite crônica é pouco frequente. Geralmente ela é tratada com o uso de analgésico, antitérmicos, antibióticos e anti-inflamatórios. Apesar disso, os remédios podem não colaborar, sendo necessária a realização de uma cirurgia.

É preciso ficar de olho nos sintomas e tomar os remédios necessários.

Tratar sem operar

A cirurgia de apendicite é indicada em casos urgentes com cerca de menor de três dias de evolução.

Quando o paciente demora para procurar ajuda profissional e não realiza um procedimento no tempo certo, a inflamação pode se complicar e apresentar mais dificuldades durante a realização da cirurgia e após a cirurgia. Nesses casos, muitas vezes, o indicado é iniciar um processo com antibióticos para reduzir as inflamações até a cirurgia.

Outro caso se refere aos casos de dúvida diagnóstica. Quando os médicos não possuem total segurança com o diagnóstico da apendicite, ou quando o paciente ainda aparenta um bom estado, então é iniciado o tratamento com os antibióticos. A cirurgia só será indicada em casos que não apresentarem melhoras.

É importante relembrar que casos de apendicites devem ser acompanhados de perto.

Veja também o vídeo do Dr. Jorge falando sobre o appendicite (6:09):