Câncer de Mama - Causas, Sintomas e Tratamentos
Compartilhe
Share on FacebookPin on PinterestShare on Google+Tweet about this on Twitter

Câncer é uma doença em que as células anormais crescem de uma forma não controlada, no caso, o é um tumor maligno que começa nos tecidos da mama e é o tipo que mais afeta as mulheres.

I) Os tipos mais comuns de câncer de mama

Câncer de Mama - Causas, Sintomas e Tratamentos

Carcinoma ductal in Situ (85 – 90% dos casos): Esta é uma condição em que as células cancerosas ficam contidas em um só lugar. Ou seja, não se espalham para outros tecidos e nem sempre progridem para invasivo, onde as células invadem o tecido da mama fora dos dutos.

Carcinoma lobular (cerca de 8% dos casos): Surge nos lóbulos mamários, onde o leite é produzido. Mas quando é diagnosticado, já terá invadido células adjacentes. Ele pode invadir outros tecidos e se espalhar por vamos linfáticos e veias.

II) Câncer de mama invasivo

O câncer de mama invasivo tem o potencial de se espalhar para fora do local do tumor original e invadir outras partes do peito e do corpo. Existem diversos subtipos de câncer de mama invasivo.

Os menos comuns são: inflamatório (ocorre na pele da mama) e Doença de Paget do mamilo.

III) Os sintomas de câncer de mama

Existem sinais que você pode identificar sozinha. Reconhecer um possível câncer, ainda e fase inicial, é muito importante para potencializar as chances de cura:

  • Caroço ou espessamento na mama ou na axila
  • Mudança de tamanho ou forma da mama
  • Algum tipo de fluido que sai dos mamilos (não leite)
  • Mudança de tamanho ou forma do mamilo
  • Mudança de cor ou textura do mamilo ou da aréola, ou da pele da mama em si (ondulações, pregas, erupção cutânea)

A seguir vamos conferir 15 sinais de câncer de mama que as mulheres ignoram!

1) Assimetria das mamas

Qualquer alteração na mama deve ser levada em consideração. Geralmente, o tumor deforma a aparência das mamas, podendo aparecer como, por exemplo, uma mama maior que a outra, deixando-as assimétricas. Ao perceber que uma delas está inflamada ou com um tamanho diferente, busque um ginecologista imediatamente.

2) Dores e sensibilidade

Sentir dor ou sensibilidade ao tocar os seios, apalpando-os ou apertando-os, pode ser um sinal de que a doença está avançando. Porém, não podemos confundir com as dores comuns sentidas na de todos os meses.

3) Inversão do mamilo (para dentro)

Se a localização do tumor for abaixo da aréola e do mamilo, pode ocorrer a inversão do mamilo, ou seja, uma retração do órgão para dentro da mama, endurecimento e saída de secreção. O mamilo invertido também pode ocorrer devido a outras causas, como uma má formação congênita ou até adquirido devido a processos inflamatórios, não necessariamente indicando um câncer de mama. Por isso é importante consultar um mastologista antes de tirar qualquer conclusão.

4) Caroços nas mamas

O sintoma mais comum é sentir um caroço ou nódulo ao redor dos seios ou nas axilas sempre presente e que não diminui de tamanho, além de não costumar doer. A maioria dos nódulos costuma ser benigna e nem sempre podem indicar um tumor, podendo aparecer devido a uma infecção ou cistos, já que o caroço nem sempre é sólido. Independentemente da idade, ao presenciar um nódulo ou caroço, busque um mastologista para averiguar o seu caso.

5) Coceira freqüente

Sensação de coceira nas mamas pode indicar diversos fatores, como, por exemplo, , doenças benignas da pele, infecção etc. Quando indica um tumor, é considerado um câncer de mama inflamatório, um tipo agressivo da doença, caracterizado por dor intensa, vermelhidão e coceira dos seios. Ou até um tipo muito raro de câncer, a doença de Paget, que envolve secagem e descamação da pele, achatamento do mamilo e um prurido grave.

6) Veia bem visível e crescente

Podem aparecer veias salientes ao redor dos mamilos, deixando as mamas assimétricas ou inchadas. Porém, só uma avaliação médica criteriosa pode descartar ou não a presença de uma doença maligna.

7) Secreção mamilar

A saída de fluídos das mamas nem sempre pode indicar um câncer de mama, mas se a secreção ocorrer sem apertar, ou em uma ou ambas as mamas, pode indicar um tumor. Essa secreção pode aparecer como um sangramento, prurido ou hemorragias anormais.

8) Alteração da pele

É necessário ficar alerta para alterações da pele das mamas, como, por exemplo: sentir a pele mais quente, escamosa, vermelhidão no local, irregularidades no contorno, mudança de cor, , dor, presença de um sulco na mama (pequenos buracos como a celulite e afundamento de uma parte da mama), endurecimento ou enrugamento da pele (semelhante a uma casca de laranja).

9) Perda de peso inexplicável

A perda repentina de peso, em conjunto com outros sinais, pode indicar câncer de mama. A maioria das mulheres sonha em emagrecer rapidamente, mas é sempre importante perder peso com saúde, e não diante de uma doença, seja qual for. Ao perceber que perdeu muito peso de repente, não hesite em procurar um médico.

10) Feridas que não cicatrizam

O câncer de mama pode causar feridas, úlceras, erupções cutâneas e outros problemas de pele que não cicatrizam, e causam mudanças visíveis no corpo, podendo ser agudos ou crônicos. É importante informar isso ao médico a fim de buscar um tratamento imediato.

11) Cansaço

É normal sentirmos cansaço e dores no corpo após um dia estressante de trabalho ou uma situação mais tensa. Mas é bom ficar alerta quando um cansaço extremo aparece, mesmo depois que pessoa dedica um tempo para descansar e esse cansaço não desaparece, tornando-se crônico.

12) Auto-exame

Câncer de Mama - Causas, Sintomas e Tratamentos

O auto-exame é um método ainda ignorado por muitas mulheres. É através dele que as elas detectam alterações e percebem mudanças significativas. Detectar antecipadamente qualquer problema é o principal passo para tratar a doença a tempo, deter o impacto que ela traz e aumentar a expectativa de vida. O auto-exame é essencial, mas para um diagnóstico preciso é necessária a realização de outros exames, como a .

13) Histórico familiar de câncer de mama

Nem sempre mulheres com histórico de câncer de mama na família podem ter a doença. O câncer de mama pode acometer qualquer pessoa, em qualquer idade, independente do , cor ou do histórico familiar. Porém, é importante ficar atenta aos grupos de risco, em famílias que dois ou mais parentes já tiveram o câncer de mama ou de ovário antes da menopausa, por exemplo.

14) Colesterol alto

Os níveis elevados de LDL estão relacionados a um maior risco de câncer de mama. Além de aumentar o risco de desenvolvimento de , também pode ser o combustível que faz com que o câncer de mama cresça e se alastre pelo corpo. O pode modificar a biologia da doença, levando a tumores de crescimento mais rápidos e letais.

15) Excesso de peso

O excesso de peso eleva a produção de hormônios associados ao surgimento de vários tipos de câncer. No câncer de mama, o acúmulo de gordura corporal faz aumentar a produção do hormônio estrógeno, combustível para as células cancerosas. Então, é importante controlar o peso, praticar mais atividade física e ter uma alimentação balanceada.

IV) Se você sentir dor na mama

Estágios iniciais de câncer de mama podem não causar qualquer dor ou desconforto. Realizar uma mamografia regular pode ajudá-la a compreender as mudanças em seus seios. Fazer o seu auto-exame de mama pode ajudá-la a manter o controle de mudanças mensais regulares.

Lembre-se, muitos caroços e erupções cutâneas são benignos (não cancerosos) e podem responder bem ao tratamento adequado.

Se você sentir quaisquer sintomas, consulte o seu médico.

V) Tratamentos para câncer de mama

Para descobrir o tratamento adequado para câncer de mama do paciente é preciso saber especificamente o tipo câncer da mama pelo:

  • Estágio do câncer
  • Saúde geral do paciente
  • Idade do paciente
  • Preferência do paciente

Por causa das diferenças de cada paciente, o plano de tratamento poderá ser diferente, mesmo que ambos tenham o mesmo tipo de câncer de mama.

Os tratamentos podem ser classificados em dois tipos:

  • Terapia Local – A terapia local visa tratar um tumor no local, sem afetar o resto do corpo. A cirurgia e a radioterapia são exemplos de tratamentos locais.
  • Terapia Sistêmica – A terapia sistêmica refere-se a drogas que podem ser administradas por via oral, ou diretamente na corrente sanguínea para atingir as células cancerosas em qualquer parte do corpo. A quimioterapia, a terapia hormonal e a terapia-alvo são exemplos de terapias sistêmicas.

Identificar qualquer indício de câncer e buscar um médico, são atitudes fundamentais para melhorar as chances de um melhor tratamento e recuperação.

Entenda em nosso infográfico quais são os efeitos sobre o corpo com a radioterapia

Câncer de Mama - Causas, Sintomas e Tratamentos

Infelizmente, de acordo com as estatísticas é provável que você conheça alguém que já teve câncer de mama, pois esse é o tumor mais comum entre as mulheres. Por ano, 57 mil novos casos são identificados somente no Brasil. O Outubro Rosa surge então para promover um foco a cerca deste assunto.

Por dia, por exemplo hoje, 156 brasileiras descobriram que têm a doença. Por isso, é importante saber como prevenir, identificar e tratar esse tumor.

Como Outubro é o mês de conscientização do câncer de mama, mundialmente conhecido como Outubro Rosa, resolvemos ajudar. Selecionamos os 10 mitos principais sobre o câncer de mama no teste a seguir. Leve essas informações adiante e compartilhe com os amigos!

VI) Outubro rosa – Teste Seu Conhecimento Sobre o Câncer de Mama

Veja também este vídeo sobre tratamento de câncer de mama (1:02)

Fontes:

http://www.cancer.org/cancer/breastcancer/

http://www.cancer.gov/types/breast


Compartilhe
Share on FacebookPin on PinterestShare on Google+Tweet about this on Twitter
Equipe Biosom

contato@biosom.com.br