Ciúme Patológico: Causas e Como Lidar com o Ciúme de Forma Correta

Ciúme Patológico

Quem nunca ouviu o seguinte ditado “quem ama cuida”? Impossível não é? Em um relacionamento afetivo é comum experimentarmos sentimentos que vão desde uma sensação de felicidade extrema até uma sensação de desconforto, como, por exemplo, o ciúme. O ciúme é um sentimento comum e todos nós já experenciamos na vida essa emoção. Ele ocorre quando queremos zelar por alguém, demonstrar nossa preocupação, respeito, proteção e zelo pela pessoa amada. Porém, quando o grau de ciúme se torna exagerado e irracional, pode trazer sérios problemas para o relacionamento e para o próprio ciumento que sofre com esse sentimento.

Saiba mais a seguir sobre o ciúme patológico, causas, sintomas, tratamento e como lidar com o ciúme de forma correta:

1) Ciúme patológico X normal

O ciúme é caracterizado pelo medo de perder aquela pessoa amada por alguma razão ou para uma outra pessoa, ou seja, é um conjunto de emoções que aparecem diante de alguma ameaça ou instabilidade no relacionamento. O ciúme pode ocorrer também onde se existe uma relação afetiva intensa, como, por exemplo, entre pais e filhos, irmãos, amigos etc, e não somente na relação entre um homem e uma mulher.

No ciúme normal, o que se deseja em uma relação é preservá-la e muitos demonstram ciúme como forma de provar o amor que sentem, além de querer mostrar que valoriza o outro, mas também pode ser visto como baixa auto-estima e insegurança.

Quando o ciúme ultrapassa um grau onde começam a existir prejuízos na vida da pessoa, ele passa a ser considerado patológico, ou seja, é um ciúme doentio, um transtorno afetivo grave, onde a pessoa:

Acabar com o zumbido no ouvido
  • Possui suposições infundáveis, desconfiando de tudo e da pessoa amada;
  • Destrói o relacionamento, corroendo todos os bons sentimentos antes envolvidos, tendo sempre a sensação de estar ameaçada;
  • Passa a ser possessiva, repleta de emoções negativas, pensamentos irracionais, dúvidas, ideias delirantes de infidelidade e ações inaceitáveis, como, por exemplo, seguir o outro; controlar as ações da outra pessoa; revirar roupas, bolsas, carteiras; checar emails, ligações, mensagens e redes sociais do parceiro buscando por indícios de traição; implicar com roupas, penteados, perfumes do parceiro; discutir por horas o amor que pensa não ser correspondido; observar constantemente para onde e para quem o parceiro está olhando, etc.

2) Causas do ciúme patológico

Ciúme Patológico

Os pesquisadores sobre o tema tem dificuldades em encontrar a causa real que leva uma pessoa ao ciúme patológico, porém alguns fatores que pioram o ciúme doentio indicam presença de:

  • Traumas na infância (como, por exemplo, problemas de relacionamento entre os pais, e rejeição dos pais com a criança);
  • Modelo aprendido com os pais (comportamento de pais ciumentos, excesso de zelo e cuidados, preocupação e controle excessivo sobre os filhos, etc);
  • Predisposição emocional a sentimentos de inferioridade e insegurança;
  • Experiências anteriores de traição, separação, divórcio, etc;
  • Estresse excessivo, perdas, frustrações e mudanças ocorridas durante a vida;
  • Parceiro (a) que possui comportamentos provocativos (ou seja, fica provocando a pessoa para “testar” seu grau de ciúme e o quanto ela se importa com o relacionamento);
  • Problemas com álcool e outras drogas;
  • Depressão e Transtorno de Ansiedade;
  • Transtorno Obssessivo-Compulsivo;
  • Psicopatias e personalidades inseguras;
  • Psicoses, como, por exemplo, esquizofrenia.

Muitos ciumentos patológicos não apresentam outros transtornos mentais ou problemas com drogas, mas mesmo assim possuem a doença afetiva. Por isso o ciúme doentio ainda é um foco de estudo importante para os profissionais que investigam os casos.

3) Sintomas do ciúme patológico

As conclusões de pesquisas sobre o ciúme patológico indicam que as pessoas acometidas possuem os seguintes sintomas:

  • Ansiedade e angústia;
  • Sensibilidade extrema;
  • Sentimento de inferioridade, insegurança, baixa auto-estima, humilhação e vergonha;
  • Raiva excessiva;
  • Culpa e remorso;
  • Medo de perder o parceiro;
  • Grande preocupação com os relacionamentos anteriores e amizades do parceiro;
  • Pensamentos repetitivos e imagens infundáveis sobre os relacionamentos passados do parceiro;
  • Busca constante de evidências, desconfiança excessiva, desejo de vingança e rejeição com o parceiro;
  • Sentimento de possessividade e desejo de controle sobre os sentimentos e ações do outro;
  • Abandono de seu próprio desenvolvimento pessoal para viver literalmente a vida do outro.

É comum vermos casos policiais de homicídios seguidos de suicídio causados por pessoas que sofrem de ciúme patológico, uma vez que elas possuem comportamentos criminais, repletos de impulsividade, egoísmo e agressividade. Inclusive uma frase comum desses pacientes é “se não vai ficar comigo, não vai ficar com mais ninguém”.

Acabar com o zumbido no ouvido

4) Existe tratamento para ciúme patológico?

Diante do grande sofrimento causado, o tratamento para ciúme patológico geralmente é:

  • Psiquiátrico: o psiquiatra vai receitar medicamentos (antidepressivos e/ou antipsicóticos caso haja outros transtornos por detrás) para controlar os sintomas da doença.
  • Psicológico: o psicólogo, através da psicoterapia, vai ajudar o paciente a admitir seu problema, ressignificar o ciúme patológico, encontrar suas reais causas e como lidar com ele de maneira saudável, reaprendendo a se relacionar sem o excesso de controle e a angústia da dúvida constante, além de promover o autoconhecimento.

5) Como lidar com o ciúme de forma correta?

Diante de uma situação de ciúme, em que você desconfia de algo ou do amor que seu parceiro sente:

  • Admita o ciúme para si mesmo;
  • Fale abertamente com seu parceiro sobre o que está sentindo, questione o que realmente está te afligindo, revendo suas ações e as palavras ditas;
  • Coloque-se no lugar do outro, imaginando como seria se a situação fosse contrária (se ele estivesse também com ciúme de você e viesse discutir), avaliando se a situação é mesmo real ou não;
  • Lembre-se do que levou seu parceiro a estar com você, suas qualidades, pensamentos etc, e de tudo o que vocês já passaram juntos, para evitar que este ciúme desabe seu relacionamento;
  • Dê mais valor para você e tenha mais segurança em si e em sua relação com ele;
  • Procure ajuda profissional se perceber que o ciúme está evoluindo para um quadro patológico.

Fonte:

http://www.freethoughtlebanon.net/2012/10/pathological-jealousy-its-symptoms-and-definition/


Mariana de Andrade

Psicóloga E-mail: mary.drad@yahoo.com.br