10 Doenças Mais Comuns em Bebês e Crianças

10 Doenças Mais Comuns em Bebês e Crianças

Todas as crianças merecem cuidados médicos e plano de saúde de alta qualidade. Como responsável, é importante estar ciente das diretrizes de tratamento mais atualizadas para que você possa ter certeza de que seu filho está recebendo o melhor cuidado possível.

I) As informações a seguir listam algumas das Doenças Mais Comuns em Bebês e Crianças:

1) Garganta Inflamada

Dor de garganta é comum em crianças e pode ser algo doloroso e incômodo. No entanto, uma dor de garganta causada por um vírus não precisa de antibióticos. Nesses casos, nenhum medicamento específico é necessário e seu filho deve melhorar entre 7 e 10 dias. Em outros casos, uma dor de garganta pode ser causada por uma infecção chamada estreptococo (garganta inflamada).

Bebês e crianças raramente adquirem estreptococo, mas eles são mais propensos a serem infectados por bactérias estreptococos se estiverem em creches ou se um irmão mais velho tiver a doença. Embora a bactéria se espalhe principalmente através da tosse e do espirro, seu filho também pode obtê-la tocando em um brinquedo com o qual uma criança infectada brincou.

Diagnóstico e tratamento:

Para o diagnóstico dessa infecção é necessário examinar a garganta da criança. Um teste de laboratório ou teste de estreptococo em consultório é necessário para confirmar o diagnóstico de estreptococo. Se positivo, seu pediatra prescreverá um antibiótico. É muito importante que seu filho tome o antibiótico conforme prescrito, mesmo que os sintomas melhorem ou desapareçam antes do final do remédio.

2) Dor de Ouvido

A dor de ouvido é comum em crianças e pode ter muitas causas – incluindo infecção no ouvido (otite média), otite externa (infecção da pele no canal auditivo), pressão de um resfriado ou sinusite, dor de dentes irradiando até a mandíbula e até o ouvido, entre outros. Para perceber a diferença, o pediatra precisará examinar o ouvido do seu filho. Na verdade, um exame no consultório ainda é a melhor maneira do seu pediatra fazer um diagnóstico preciso. Se a dor de ouvido do seu filho for acompanhada por febre alta, envolver ambos os ouvidos, ou se o seu filho tiver outros sinais de doença, o pediatra pode decidir que um antibiótico é o melhor tratamento.

Tratamento:

Muitas infecções de ouvido são causadas por vírus e não requerem antibióticos. Se o seu pediatra suspeitar que a infecção no ouvido do seu filho pode ser de um vírus, ele irá conversar com você sobre as melhores maneiras de ajudar a aliviar a dor de ouvido do seu filho até que o vírus se vá.

3) Catapora

A Catapora ou Varicela é uma doença altamente contagiosa, transmitida por um vírus. É fácil de identificar a catapora em bebês, pois sua pele fica com bolinhas avermelhadas que viram bolhas com líquido, eles tem coceira, febre e perdem o apetite.

Estes sintomas são muito desconfortáveis para a criança, o que faz com que ela fique chorosa, desconfortável e agitada.

Prevenção e tratamento:

Catapora, Sarampo, Caxumba e Rubéola são doenças que podem ser prevenidas com a Vacina Tetravalente Viaral.

Para tratar a Catapora, o pediatra pode recomendar a aplicação de pomadas sobre a pele, que aliviam a coceira e ajudam as feridas a sarar mais rapidamente, pois não existe tratamento para eliminar o vírus do corpo.

Além disso, como a Catapora é altamente contagiosa, é recomendado que o bebê não tenha contato com outras crianças, durante 5 a 7 dias, que é o período de contágio da doença.

4) Resfriado Comum

Resfriados são causados ​​por vírus no trato respiratório superior. Muitas crianças pequenas – especialmente aquelas que passam o dia em creches – podem ter de 6 a 8 resfriados por ano. Os sintomas de resfriado (incluindo coriza, congestão e tosse) podem durar até dez dias.

Acabar com o zumbido no ouvido

Muco verde no nariz não significa automaticamente que os antibióticos são necessários; resfriados comuns nunca precisam de antibióticos. No entanto, se houver suspeita de uma infecção sinusal, o seu médico decidirá cuidadosamente se os antibióticos são a melhor escolha com base nos sintomas do seu filho e num exame físico.

Tratamento:

Na maior parte dos casos, o resfriado pode ser tratado sem o auxílio de remédios, apenas com medidas caseiras e muito descanso.

5) Sarampo

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

O Sarampo surge geralmente no bebê depois dos 12 meses de idade. Seus sintomas costumam ser febre alta, vermelhidão, lacrimejamento e coceira nos olhos, manchas branco-azuladas dentro da boca e manchas vermelho-arroxeadas na pele. Isso faz com que o bebê fique agitado, choroso e sem apetite.

Tratamento:

Quando o bebê contrai esta doença, o pediatra recomenda a ingestão de remédios analgésicos e antitérmicos, que aliviam os sintomas de dor, febre e desconforto, pois não existe tratamento para eliminar o vírus do corpo.

Assim como a catapora, o sarampo é altamente contagioso, por isso é recomendado evitar que o bebê entre em contato com outras crianças durante o tempo de recuperação.

6) Caxumba

A Caxumba, também conhecida como papeira, é outra doença viral muito comum em crianças. Esta doença infecciosa pega-se através da tosse, espirro ou da fala de pessoas infectadas, provocando o inchaço das glândulas salivares na região do pescoço, dor, febre e mal-estar em geral. Estes sintomas deixam o bebê com a região do pescoço aumentada, choroso e inquieto.

Tratamento:

Para tratar a Caxumba, geralmente o pediatra recomenda tomar remédios para a dor e inflamação, que aliviam a dor, febre e desconforto, pois não existe tratamento para eliminar o vírus da Caxumba do corpo.

Além disso, durante a recuperação do bebê ou da criança é também recomendado fazer uma alimentação mole e pastosa e aplicar compressas mornas sobre o inchaço.

7) Diarreia e Vômito

A diarreia em um bebê consiste em frequente e repetida passagem de fezes aquosas não formadas.
Normalmente, essas crianças são perfeitamente saudáveis ​​e estão crescendo normalmente. A diarréia pode ser causada pelo consumo excessivo de bebidas açucaradas, mas é recomendado consultar o médico.

Diarréia e vômito podem ser causados ​​por muitas coisas diferentes, incluindo:

  • Vírus;
  • Um problema no estômago;
  • Intoxicação alimentar;
  • Alergia a alimentos.

Tratamento:

A diarréia e o vômito são mais sérios em bebês do que em crianças mais velhas, porque os bebês podem facilmente perder muito líquido de seus corpos e ficarem desidratados.

Se seu bebê ficar desidratado, precisará de líquidos extras. Se você estiver amamentando, continue, mas tente fazer isso com mais frequência. Se você estiver dando mamadeira, ofereça fluidos claros entre os alimentos.

8) Febre e Altas Temperaturas

Febres são bastante comuns em crianças pequenas e geralmente são leves. Às vezes, as causas da febre exigem atenção urgente, mas na maioria dos casos podem ser administradas em casa.
A febre em si é raramente prejudicial. Mas a alta temperatura pode fazer com que seu filho se sinta desconfortável – eles podem ter calafrios ou arrepios quando a temperatura estiver subindo, e podem suar quando ela estiver caindo.

Tratamento:

Acabar com o zumbido no ouvido

A maioria das causas de uma temperatura elevada em uma criança geralmente não são graves e se pode gerenciar em casa. Uma febre irá seguir seu curso independentemente do tratamento. A temperatura do seu filho voltará ao normal quando a infecção ou outra causa da febre desaparecer completamente.

9) Alergias Alimentares

É mais provável que os bebês desenvolvam alergias se houver uma história de eczema, asma ou alergias alimentares (conhecidas como “atopia”) na família.

É recomendado que, quando o bebê estiver pronto, por volta dos 6 meses, mas não antes dos 4 meses, seja introduzida uma variedade de alimentos sólidos, começando com alimentos ricos em ferro, enquanto continua a amamentação.

Quando começar a introduzir sólidos (desmame), introduza os alimentos que comumente causam alergias, um de cada vez, para que você possa identificar qualquer reação. Estes alimentos são: leite, ovos, trigo, nozes, sementes, peixe e marisco. Não introduza nenhum desses alimentos antes dos seis meses. Há evidências de que os bebês devem receber alimentos sólidos alergénicos, incluindo manteiga de amendoim, ovo cozido e laticínios e produtos de trigo no primeiro ano de vida.

Muitas crianças superam suas alergias a leite ou ovos, mas uma alergia ao amendoim é geralmente vitalícia.

Como vou saber se meu filho tem alergia alimentar?

Uma reação alérgica pode consistir em um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Diarréia ou vômito;
  • Tosse;
  • Chiado na respiração e falta de ar;
  • Coceira na garganta e na língua;
  • Comichão na pele ou erupção cutânea;
  • Lábios e garganta inchados;
  • Nariz escorrendo ou entupido;
  • Olhos doloridos, vermelhos e com coceira.

10) Gastroenterite

Esta doença, mais conhecida como um distúrbio estomacal, causa vômitos, diarréia e dor abdominal. Uma variedade de vírus, incluindo o norovírus – que muitas vezes invade centros de cuidados infantis – pode causar gastroenterite.

A maioria dos vírus estomacais desaparece dentro de alguns dias a uma semana e não exige nada além de repouso. Ainda assim, você deve certificar-se de que seu filho esteja ingerindo líquidos suficientes para evitar a desidratação. O maior erro que a maioria dos pais tende a fazer é dar muito líquido de uma só vez, o que uma criança doente pode não ser capaz de segurar.

Tratamento:

Comece com apenas uma colher de sopa de uma solução eletrolítica a cada 15 minutos e aumente lentamente a quantidade. Se o seu filho preferir tomar suco, dilua-o pela metade, já que esse tipo de bebida é rica em açúcar e pode levar à diarréia.

Assim que a criança sentir vontade de comer, ofereça pequenas quantidades de banana, arroz, compota de maçã e torrada. Se ela os mantiver no estômago, volte lentamente com as refeições regulares.

II) Quando chamar o médico?

A maioria das doenças infantis se vão sem grandes preocupações. Mas, para alguns sintomas (e para certas crianças), eles podem justificar uma consulta com seu pediatra.

Preste atenção em:

  • Desidratação – Seu filho pode ter olhos fundos (ou, se ele for um bebê, uma marca em sua cabeça) ou parecer extremamente letárgico, ou sua boca pode estar grudenta e pegajosa ao toque. Também tome cuidado se ele estiver urinando menos de três ou quatro vezes por dia.
  • Febre alta – Nos recém-nascidos, qualquer temperatura elevada pode significar uma ligação ao médico. Para crianças de 3 a 6 meses, telefone se a febre atingir 38 ºC; para bebês e crianças mais velhos, o limite é de 40 ºC.
  • Dificuldade de respiração – Telefone imediatamente se o seu filho estiver ofegante, a respiração dele for rápida ou difícil, ou você perceber longas pausas entre cada respiração.
  • Falta de apetite – É normal que uma criança doente tenha pouco interesse em comida. Mas se seu filho está comendo ou bebendo menos da metade do que ela normalmente faria por dois dias ou mais, consulte o seu médico.
  • Condições pré-existentes – Se seu filho foi diagnosticado com asma, diabetes, um sistema imunológico suprimido ou outra condição médica crônica, converse com seu pediatra sempre que ele apresentar um vírus que possa comprometer sua saúde.