Gota: Saiba Como Tratar e Prevenir Este Tipo de Artrite!

Gota: Saiba Tudo Sobre Este Tipo de Artrite!

A gota é um tipo de causado pelo excesso de na corrente sanguínea, gerando fortes inflamações nas articulações, sobretudo no dedão. É uma das doenças mais antigas de que se tem registros, com casos datados do antigo Império Romano, embora ainda não fosse conhecida pelo nome. Isso, inclusive, justifica o fato dela ser conhecida como Doença dos Reis.

Vejamos como ela funciona em profundidade, e como você pode identificar e tratar adequadamente.

1) Quais são as causas?

Gota: Saiba Tudo Sobre Este Tipo de Artrite!

A gota, como dissemos, é causada pelo excesso de ácido úrico no sangue. Esse excesso gera um pequeno de acúmulo de cristais que se formam nas articulações, sendo o dedão a mais comum delas. Esse ácido é natural ao organismo, adquirido através de uma presente em carnes e alguns legumes, a purina.

Quando o consumo da purina aumenta em níveis excessivos, o ácido úrico acaba se misturando ao líquido presente nas articulações, o líquido sinovial. É essa mistura que causa a cristalização nas articulações, seguidas de uma forte dor.

Embora os casos sejam muitas vezes relacionados a pessoas com históricos de , nem sempre as doenças se relacionam. Fatores que costumam aumentar os casos de gota são o mau funcionamento dos rins, e o pouco consumo de .

Um dos casos mais conhecidos de epidemias ocorreu no século XVII e XIX, na Inglaterra. Pode parecer estranho que ela tenha durado por cerca de 200 anos, mas o que foi comprovado é que a razão para casos tão alarmantes de gota está relacionado ao excesso de chumbo presente nos alimentos e no vinho. O chumbo, entre outros malefícios no organismo, impede que os rins retire o excesso de ácido úrico do organismo.

2) Quais são os tipos de gota?

Apesar da conhecida dor no dedão ser relacionada a gota, ela não é o único tipo existente. Vejamos como cada um dos tipos se comporta no organismo, para que tenha uma noção mais precisa do que pode estar acontecendo ao seu organismo.

  • Gota Crônica: ocorre em mais de uma articulação, em episódios constantes de dor e inflamação. Pode levar a formação de tofos, que são inchaços relacionados ao grande depósito de cristais no organismo.
  • Gota Aguda: é um episódio isolado e único de inflamação, ocorrendo em uma única articulação. Existem ainda subdivisões dentro dos dois tipos de gota, que oferecem um quadro completo da doença para seus enfermos. Elas subdividem-se entre as seguintes.
  • Gota Primária: também chamada de gota idiopática, seu excesso de ácido úrico pode estar relacionado a fatores genéticos quanto ao aumento de ácido úrico.
  • Gota Secundária: é a gota relacionada a outras doenças, bem como uma dieta pobre em líquidos, ou com alimentos ricos em purina. Entre as doenças que podem levar a um quadro de gota, estão casos como e ; , ; insuficiência renal, e arterial.

3) Quais são os sintomas?

A forte dor nas articulações é o principal sintoma de gota. E ao contrário do que possa parecer, ela pode ser em qualquer articulação, não necessariamente no dedão. Pulsos, tornozelos, mãos e pés inteiros podem sofrer altos picos de dor, que duram em maior intensidade nas primeiras 24 horas.

Outros sintomas incluem vermelhidão nas áreas afetadas após o pico de dor, bem como um forte incômodo na região. Queimações nas áreas atingidas são bem comuns, assim como febre e formação de caroços na região.

Os casos de gotas costumam ocorrer em homens e mulheres acima dos 40 anos. Entre as mulheres, um dos fatores que pode aumentar a chance de sofrer de gota é a diminuição na produção de estrogênio pela menopausa, que dentre outras funções, ajuda no controle do fluxo renal.

4) Como diagnosticar e quais são as formas de tratamento?

Um diagnóstico de gota é dado por um clínico geral ou reumatologista, caso já exista algum tipo de histórico anterior. Além de medicamentos anti-inflamatórios para controlar os sintomas mais intensos, o principal tipo de tratamento contra a gota é uma reeducação alimentar completa, visando diminuir a quantidade de purina, sal (que em excesso causa insuficiência renal), e aumento no consumo de água.

Em alguns casos mais extremos de gota, os médicos podem indicar o uso de corticoides para amenizar a dor e controlar os demais sintomas. Contudo, vale lembrar que o uso desses e outros medicamentos só pode ser recomendado por um médico.

5) Quais são melhores alimentos para prevenir?

Como dito anteriormente, o melhor tratamento contra os efeitos da gota é uma reeducação alimentar, para diminuir os níveis de ácido úrico no organismo. Isso inclui não apenas a ingestão de alimentos específicos, como reduzir o consumo de outros. É muito importante que os portadores de gota se disciplinem nesse quesito, pois os efeitos danosos ao corpo são perceptíveis e constantes.

Vejamos quais alimentos devem ser diminuídos na dieta, devido ao seu alto volume de purina:

  • Feijão
  • Carne Vermelha
  • Ervilha
  • Cogumelos
  • Frituras e Gorduras em geral
  • Consumo de bebidas alcóolicas

Enquanto o e a carne podem ter seus usos diminuídos diariamente, os demais alimentos precisam ser reduzidos a no máximo uma vez por semana, e mesmo assim em quantidades mínimas.

Quanto aos alimentos que precisam ser adicionados, o ideal são os seguintes:

  • Alcachofra
  • Laranja
  • Limão
  • Cenoura
  • Café
  • Cebola
  • Alho
  • Abóbora
  • Chá

Alimentos com grandes quantidades de , como laranja e , e os expressivos em cafeína, como e chá, devem ter seus usos moderados, para que o excesso não cause insuficiência renal. Quando utilizados de maneira correta, os benefícios são valiosos para evitar a chance de gota.

No fim, a melhor forma de evitar as consequências da gota é simplesmente buscando uma alimentação mais saudável, e um estilo de vida mais ativo. Ao encontrar o equilíbrio na alimentação, a qualidade de vida se torna evidentemente mais proveitosa. Portanto, não deixe de se cuidar. Até a próxima!

Veja também este vídeo que explica sobre como prevenir contra a gota (10:00):

Equipe Biosom

contato@biosom.com.br