Veja o que Fazer Quando o Tímpano é Perfurado?

Normalmente, as pessoas acreditam que o tímpano é a parte responsável pela audição no ouvido interno, mas essa informação é totalmente incorreta. O tímpano é uma membrana fina na porção terminal do conduto auditivo, que separa o ouvido externo do ouvido médio. Quando o som chega ao tímpano, ele aciona os ossículos (ouvido médio) que transmite o som para a cóclea (ouvido interno).

Aperte o play acima e ouça a narração desse post feita pelos nossos parceiros do Vooozer.

Quais são as principais causas de perfuração de tímpano?

Veja o que Fazer Quando o Tímpano é Perfurado?

Veja a seguir a lista das principais casos:

  • A inserção de um objeto, como um cotonete.
  • Um ruído muito alto.
  • Um traumatismo craniano
  • Um golpe aplicado no região do ouvido
  • Uma lesão no ouvido causada por alterações súbitas na pressão atmosférica (barotraumas). Ex: mergulho no mar ou voo de avião

Quais são os tratamentos?

Quando o tímpano é perfurado, a pessoa sente dor, diminuição da audição, pode haver zumbido e sangramento pelo canal do ouvido. Além disso, o  ouvido interno e o externo ficam sem proteção e, consequentemente, tem grande possibilidade de ter uma infecção.

É importante manter ouvido seco e proteger com algodão embebido numa solução oleosa ou com tampões especiais para evitar a infecção. Nos casos de uma simples infecção, podem ser tratadas com gotas óticas com antibiótico. Normalmente, em perfurações simples, o tímpano pode ser curado sem tratamento e em algumas semanas a pessoa já poderá sentir a melhora, mas se for uma perfuração mais profunda será necessário que a pessoa recorra à um cirurgião (timpanoplastia).

O que é timpanoplastia?

A timpanoplastia é uma cirurgia que trata perfurações do tímpano, que podem ser causadas devido a uma infecção (seqüelas da otite média crônica), inserção de objetos no ouvido ou um trauma de pressão não cicatrizada. Em casos muito graves, se são atingidos os ossinhos da audição (martelo, bigorna e estribo), além de reconstruir o tímpano, é necessário recompor também estas estruturas lesadas.

Na timpanoplastia, o médico otorrinolaringologista utiliza uma técnica que consiste na retirada de uma pequena parte da cartilagem da orelha da pessoa e a usa como enxerto no local da perfuração. Assim, seu objetivo é restaurar e melhorar a audição, além de evitar novas infecções de ouvido.

Como funciona esta cirurgia?

A timpanoplastia dura em média de 1 a 2 horas e basicamente funciona assim:

  • Aplica-se a anestesia geral ou local no paciente;
  • O cirurgião desloca o tímpano, utilizando um microscópio para melhor visualização da cavidade auditiva e analisar se outras estruturas também foram lesadas;
  • É feito um corte atrás da orelha ou do pequeno lóbulo triangular que fica a frente da orelha, retirando-se um pedaço da cartilagem (poderá ser realizado o corte também através do canal auditivo, mas tudo depende do tamanho e da localização da perfuração; além disso, a técnica também depende do médico, do que ele escolherá como melhor opção);
  • Aplica-se este enxerto no tímpano para fechar a perfuração, possibilitando o crescimento de uma nova pele;
  • É feito um curativo na parte externa do ouvido;
  • Coloca-se o paciente em uma sala para se recuperar, e em até 10 horas ele poderá ir para casa. O médico irá indicar antibióticos e analgésicos para aliviar qualquer dor.

Em torno de 10 dias depois, é retirado o curativo e o paciente pode retomar suas atividades em até 5 dias, porém, alguns cuidados serão necessários.

Quais são os cuidados antes e depois da timpanoplastia?

Os preparos e cuidados necessários são:

A) Antes da cirurgia: trate qualquer infecção antes da cirurgia, ou seja, o tímpano não pode ser operado sem antes cuidar de uma infecção; tenha uma alimentação leve e faça jejum absoluto (água e alimentos) de 8 horas antes da cirurgia; leve todos os exames solicitados; compareça no horário marcado; vá à cirurgia com um acompanhante; informe ao médico qualquer sintoma ou problema de saúde que venha a acontecer, ou se tem alergia a algum medicamento; não utilize medicamentos que alterem a coagulação do sangue 15 dias antes da timpanoplastia (como, por exemplo, aspirina, cataflan, nisulid, etc); evite exposição ao sol; mantenha normalmente os medicamentos de uso contínuo; não ingira bebidas alcoólicas.

[wd_hustle id="drconsulta" type="embedded"]

B) No dia da cirurgia: tome um banho normalmente; não faça uso de pomadas, cremes ou talco após o banho, nem maquiagens, esmaltes ou lentes de contato; escove os dentes (sem tomar água); retire suas bijuterias e relógios de pulso.

C) Após a cirurgia: repouse por 5 a 7 dias; não realize atividades que necessitam de uso da força ou agilidade (como assoar o nariz com força, carregar peso ou fazer exercícios físicos, por exemplo); não faça viagens onde há pressão no ouvido; não faça uso de tabaco (pois pode levar a infecções e dificulta a cicatrização); não retire a faixa colocada em volta da cabeça, somente após 1 ou 2 dias e conforme instrução médica; não retire o tampão colocado pelo médico, uma vez que ele é quem fará isso após 5 dias; utilize corretamente os medicamentos prescritos; não molhe a região da orelha operada, nem mergulhe na piscina ou praia (a água pode causar infecções).

Quando é indicada a timpanoplastia?

A timpanoplastia é indicada em casos graves quando há perfuração do tímpano causada por alguma infecção crônica, trauma ou inserção de objetos no ouvido, que levem a uma perda da audição. Pode ser realizada em crianças com mais de 7 anos de idade, onde se faz uso de anestesia geral, e nos adultos a anestesia pode ser local.

Quais os benefícios da timpanoplastia?

A realização de uma timpanoplastia faz com que os pacientes tenham um tímpano completo, inteiro, não se preocupando mais com a entrada de água e infecções crônicas de ouvido. Assim, eles podem voltar a molhar o ouvido, freqüentar piscinas e praias após 3 ou 4 meses. Além disso, a audição fica muito melhor. A cirurgia é bem sucedida em mais de 90% dos casos.

Há riscos em realizar esta cirurgia?

Qualquer cirurgia pode levar a complicações. Na timpanoplastia são raros os casos, mas podem ocorrer:

  • Tontura, mas que geralmente passam após 1 ou 2 semanas com uso de medicamentos;
  • Rejeição do enxerto, que não fecha a pele do tímpano corretamente;
  • Nova perfuração, sendo necessária nova cirurgia;
  • Retração do tímpano;
  • Penetração de água no ouvido que dificulta a cicatrização e leva a infecções;
  • Não melhoria da audição, podendo até piorar (principalmente quando se opera os ossinhos da audição);
  • Nova infecção e sangramento;
  • Zumbidos no ouvido, mas que podem passar posteriormente à cirurgia;
  • Distúrbios do paladar (perda do gosto em um lado da língua e boca seca, já que se manipula durante a cirurgia um nervo que ajuda no paladar);
  • Fraqueza dos músculos da face (caso haja lesão no nervo facial que fica próximo ao local da cirurgia).

Qualquer dúvida que surja diante dessas complicações, comunique imediatamente seu médico, que saberá como proceder e explicará tudo o que for necessário.

Como diagnosticar?

Normalmente, o médico faz um exame no interior do seu ouvido com um aparelho chamado otoscópio para verificar a perfuração do tímpano. Se não conseguir certificar com o otoscópio o médico confirmará o diagnóstico injetando uma pequena quantidade de ar comprimido utilizando um aparelho designado para isso.

A tecnologia que está disponível, atualmente, pode cuidar do caso em questão de semanas, mas a recomendação é que se previnam com as dicas mencionadas acima porque o ouvido é uma das parte mais sensíveis do nosso corpo humano.

Veja também este vídeo sobre a perfuração de tímpano (7:28). 

Fontes:

Perfuração do Tímpano

http://pt.wikipedia.org/wiki/Membrana_timp%C3%A2nica

http://emedicine.medscape.com/article/2051819-overview


Equipe Biosom

contato@biosom.com.br