Gastroscopia: O que é? Como é Realizado? Quanto Tempo Demora?

Saiba Tudo Sobre a Gastroscopia

Quando falamos de saúde, existem muitos mitos e receios que acabam levando muitas pessoas a desistirem de tratamentos ou possíveis a prevenções de problemas mais graves no futuro. Eisso ocorre devido a existência de muitos exames aparentemente assustadores que acabam fazendo com que o paciente ande um passo atrás.

É certo que algumas preparações podem ser um tanto perturbadoras, como é o caso da colonoscopia que exige do paciente uma preparação antecedente nada agradável, porque existe a utilização de um medicamento chamado manitol, que com o intuito de fazer a lavagem intestinal, provoca sensações de náuseas e vômitos constantes. Em contrapartida o exame em si é bem rápido e o paciente sabe no mesmo dia do resultado.

Outro exame muito realizado e que também assusta muitas pessoas é a gastroscopia, mais comumente chamada de endoscopia do trato intestinal. A seguir nós esclareceremos muitos pontos que geram dúvidas e que com certeza lhe darão mais segurança na hora de realizar o exame.

Afinal, o que é gastroscopia?

Saiba Tudo Sobre a Gastroscopia

O exame é nada mais nada menos do que uma endoscopia. ele é feito para avaliar as partes superiores do estômago, do esôfago e do duodeno, utilizando um tubinho chamado de endoscópio. é aquele famoso exame que conhecemos como terrível porque é introduzido no paciente um tubo pela boca e que desce até as regiões citadas anteriormente. mas não se assuste, pois você saberá cada detalhe do exame e porque ele é tão importante.

Como o exame é realizado?

Chegamos na parte em que você entenderá detalhadamente como é o procedimento do exame. Primeiramente, o médico profissional irá introduzir no paciente, através da boca (que irá descer pela garganta), um tubo fino e com flexibilidade. Esse tubo, como já sabemos é o endoscópio, que possui na sua pontinha uma câmera que irá capturar todas as imagens necessárias das regiões altas do esôfago, do estômago e do duodeno.

As imagens são automaticamente passadas em um visor durante o exame, onde o profissional conseguirá avaliar a sua saúde naquelas regiões. Claro que a forma realizada através da boca é a mais tradicional, mas existe a versão do exame utilizando o nariz como local onde o endoscópio é inserido.

Em quais situações ela pode ser indicada?

Geralmente, o profissional recomenda a realização do exame, quando existe alguma alteração irregular ou anormal na região do estômago. Quando uma pessoa sofre com esse problema, ela pode ter muitas dificuldades na hora de engolir os alimentos e pode até mesmo sofrer com fortes dores abdominais, que persistem em permanecer.

Fazer a gastroscopia ajuda a entender e descobrir quais são os verdadeiros motivos que estão gerando tais sintomas, e consequentemente o paciente consegue encontrar os melhores tratamentos. Além disso, quem tem possíveis problemas na região intestinal pode descobri-los através desse exame. E quem achou que a endoscopia só servia para diagnosticar problemas se enganou, pois, com o próprio endoscópio, os profissionais podem inserir algumas ferramentas importantes nele, para que possam concertar alguns casos como:

  • Reparar úlceras e veias quando necessário;
  • Promover a dilatação do esôfago, caso exista alguma obstrução;
  • Auxiliar o paciente na hora de se alimentar, caso o mesmo não consiga fazer de forma normal;
  • Auxiliar na remoção de pólipos (tumores benignos) ou tumores benignos, quando na fase inicial.

Para que serve este exame?

Se mesmo conhecendo as verdadeiras finalidades da gastroscopia você ainda não ter se convencido de sua importância, iremos lhe mostrar porque é tão necessário realiza-lo.  Para quem não sabe, esse exame pode ser feito tanto com o intuito de se diagnosticar algum possível problema, como também para tratar um possível problema e é um procedimento pouquíssimo invasivo. Então, quando você é recomendado para fazer uma endoscopia gástrica, é porque é importante estudar a saúde do seu trato digestivo e quando você é recomendado para realizar uma endoscopia terapêutica, significa que você já tem algum problema (que já conhece) e irá trata-lo através dessa técnica.

Quais os sintomas que indicam a necessidade da realização do exame?

Previamente você pode já se certificar se poderá haver a necessidade de fazer ou não o exame. E para ajudá-lo a se nortear melhor, destacaremos os principais:

Acabar com o zumbido no ouvido
  • Se o indivíduo engole os alimentos com dificuldade ou sente dor nesse processo é preciso fazer o exame;
  • Se o indivíduo sente dores na região do abdômen com muita frequência também precisa realizá-lo;
  • Sentir náuseas ou vomitar com frequência também é um alerta;
  • Perder peso facilmente sem nem mesmo ter um motivo condizente também entra como um sintoma muito importante;

outra situação que pede imediatamente uma investigação mais completa através da endoscopia, é quando existe um possível sangramento na região do estômago ou do intestino, mas como essa situação não é visível a olho nu, existe outras formas de identificar uma possível ocorrência desse problema. Quando esse sangramento existe ele consequentemente acaba reduzindo a quantidade de glóbulos vermelhos no nosso corpo e dessa forma surge a anemia. Fator esse que torna importante conhecer quais os sintomas que caracterizam ela:  ficar com cansaço toda hora, mesmo sem ter feito esforço; sensações de falta de ar; aspecto pálido na pele e frequência de batimentos cardíacos alterada. Se você possui a maioria desses sintomas é vital que se procure um profissional. Nem sempre existirá a presença do sangramento nas regiões indicadas, mas de todo o jeito a anemia é grave e precisa ser tratada o mais rápido possível.

Existe outros exames alternativos?

No momento em que você for avaliado por um profissional da área, pode ser possível que ele recomende a realização de exames alternativos e um deles pode ser a radiografia feita no sistema digestivo em sua parte alta em conjunto com o bário.

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Claro que com a radiografia o grau de precisão na hora de se identificar um possível problema é bem menor, mas ainda assim é válida. Em vista disso é ideal que você não abra mão da realização da gastroscopia, pois o exame analise todos os detalhes e dá um resultado mais seguro e confiável do que uma simples radiografia.

Como o paciente deve se preparar para a gastroscopia?

Devido ao fato do exame se tratar de uma câmera que analisa a situação da região do trato digestivo, é necessário que haja alguns cuidados antes de realizá-lo.

Primeiramente existe a necessidade do jejum de no mínimo seis horas antecedentes ao exame e quando falamos de jejum estamos nos referindo não só a comer, como beber também.

Para o caso dos indivíduos que tomam algum tipo de remédio, é preciso certificar-se com o médico se é necessário deixar de tomá-lo a partir de alguns dias antes da realização da gastroscopia, pois alguns deles podem elevar a chance de promover alguns tipos de sangramento após o exame. mas não se preocupe, pois todo paciente recebe um papelzinho onde estão todas as instruções de como proceder antes da efetiva realização do exame.

É necessário algum remédio para fazer o exame?

Como exemplificamos inicialmente no artigo, em alguns exames é necessário a utilização de alguns medicamentos na sua fase preparatória, como no caso da colonoscopia. Entretanto, a gastroscopia não exige muita coisa. O cuidado que o paciente deverá ter é apenas referente aos medicamentos que ele pode já estar tomando com frequência. Ou seja, quando a pessoa toma algum tipo de remédio, deve falar com o médico para que ele analise se este medicamento pode aumentar as chances do sangramento após a realização do exame. Se isso existir, o paciente precisará suspender momentaneamente o uso do remédio por no mínimo duas semanas antecedentes ao dia do exame.

Aliás, existe alguns tipos de medicamentos que precisam ser analisados sem exceção, como o caso de remédios que um paciente toma por sofrer com diabetes e alguns tipos de anticoagulante. Talvez você se pergunte porque tudo isso, mas é bem simples entender. Existem muitos remédios que podem acabar camuflando alguns problemas que você possa ter e que no dia da endoscopia não seria descoberto. Além disso, no dia do exame propriamente dito, no caso das mulheres mais vaidosas, não se pode estar com esmalte pois o mesmo consegue interferir negativamente na observação nítida dos órgãos sendo analisados.

Como se alimentar antes da gastroscopia?

Nesse aspecto não existe segredo: o jejum precisa ocorrer seis horas antes do exame. Antes disso, o paciente pode se alimentar e beber normalmente que não irá influenciar nos resultados posteriores.

O paciente é sedado?

Outra razão que deve ser levada em conta no caso das pessoas que precisam fazer a endoscopia, mas que tem muito medo, é que no dia do exame todo paciente é sedado e existem duas modalidades para se proceder nesse aspecto. A primeira é referente a sedar o paciente apenas na região local da garganta, que é por onde o endoscópio precisa passar até chegar à região que irá ser avaliada. Nesse caso, o paciente fica acordado durante o exame, mas não sente desconforto, pois, a região sedada fica extremamente relaxada. Já a segunda modalidade trata-se da sedação endovenosa, que acaba deixando o paciente bem sonolento, a ponto de não lembrar de nada do que se foi conversado ou como foi o procedimento do exame em si.

Assim como todo procedimento médico existem riscos para o paciente, uma vez que o sedativo pode ser colocado de forma exagerada e comprometer a respiração do mesmo, por exemplo. E o exame pode sim ser feito sem a necessidade de se estar sedação, contudo o paciente irá sentir aquele desconforto do início ao fim do exame. Salientando que os riscos devem ser considerados como exceção à regra.

Quanto tempo demora o exame?

Aqui está mais um motivo que pode motivá-lo a fazer mais rápido o exame e deixar de postergar. Embora precise de uma preparação antecedente e o exame se tratar de uma câmera que observas algumas regiões específicas, todo esse processo é extremamente rápido. Coloque aí no mínimo cinco e no máximo dez minutos de exame, que apesar de ser ágil, consegue precisamente lhe mostrar no mesmo dia se existe algum problema e como você deve proceder para tratá-lo.

Como o médico procede para fazer a gastroscopia?

Chegando no dia do exame, o paciente será atendido por um profissional da medicina e uma enfermeira já especializados na área de realização de endoscopias. O paciente não pode estar usando lente de contato, dentadura ou óculos. A enfermeira, que irá prepara-lo para fazer o exame, pode em alguns casos colocar uma espécie de dentadura feita de plástico para proteger a região dentário do indivíduo e também, soltar um spray (sedativo) na região da garganta.

Acabar com o zumbido no ouvido

Muitas pessoas que não conhecem o exame podem achar que o paciente fica sentado, mas a verdade é que o mesmo deve ficar deitado por cima do seu lado esquerdo. É nesse momento que a enfermeira coloca no dedo do paciente uma sonda, que irá medir o tempo todo a frequência cardíaca e os níveis de saturação de oxigênio. O indivíduo que passa pelo exame não fica totalmente adormecido com o sedativo, o que acontece é que existe uma sonolência capaz de fazer com que o paciente não lembre de nada do procedimento, mas suficiente para que ele ainda consiga seguir todas as instruções do médico durante a gastroscopia.

E a gastroscopia feita através do nariz?

Esclarecemos bem como é realizada a gastroscopia tradicional, mas agora iremos lhe mostrar como é feita a modalidade através do nariz e quais as principais vantagens de se optar por ela. O procedimento feito pelos profissionais é bem simples. Na hora do exame, a enfermeira coloca um tipo de sedativo em spray na região das narinas do paciente e o médico faz a avaliação de ambas, para determinar por qual narina o endoscópio deverá passar.

Muitos sãos os pontos positivos dessa modalidade, se equiparada à tradicional. Primeiramente, a endoscopia feita pelo nariz é bem menos invasiva, pois o endoscópio é bem mais fino e o paciente se sente menos invadido do que o feito tradicionalmente pela boca. E a grande parte negativa da modalidade tradicional, é o fato de que o objeto que deve perpassar a região da garganta pode provocar no paciente algumas sensações de náuseas e nó na garganta, vômitos, vontade de arrotar e ainda certa dificuldade para poder respirar. A modalidade realizada por intermédio do nariz reúne diversas outras vantagens, pelas quais destacamos:

  • É dispensável o uso de anestesia, visto que não traz incômodos e é uma opção muito vantajosa para quem ainda pretende voltar a fazer suas atividades comuns diárias logo depois do exame;
  • Não há efeitos negativos nessa modalidade, como é o caso da gastroscopia tradicional que pode provocar náuseas e vômitos;
  • Enquanto o exame é realizado, o paciente pode conversar com o seu médico;
  • Não se sente dor ao ter o endoscópio passando pelo nariz até a região do esôfago;
  • E o desconforto é quase imperceptível, porque o endoscópio nesse caso é menor.

Como se realiza o diagnóstico de doenças?

É bem simples os procedimentos para o caso de diagnóstico de doenças através da endoscopia. O profissional só faz soprar ar no estômago justamente para conseguir visualizar a existências de possíveis manchas, buraco ou qualquer tipo de alteração prejudicial na região. Em alguns casos é necessário fazer a biópsia, que também é indolor.

O exame causa dor?

Como já vimos, a endoscopia feita pelo nariz não é dolosa e a tradicional também não é. A grande reclamação das pessoas que precisam fazer esse tipo de exame é justamente com relação ao desconforto que se sente durante o procedimento.

O que acontece depois do exame?

Após ser realizada a gastroscopia, o processo de recuperação é bem rápido. Depois da enfermeira tirar o endoscópio do paciente, o mesmo é levado para um quarto onde irá se recuperar dos efeitos causados pelo sedativo. em alguns casos, o médico pode pedir que o paciente faça alguns outros exames para melhor avaliar sua condição e ver quais as melhores formas de tratamento no caso de problemas detectados. dentre os exames destacamos:

  • A radiografia torácica;
  • Medir a frequência cardíaca;
  • Medir a pressão das artérias;

Não é necessário, em todos os casos, esperar os efeitos do sedativo passar para poder retornar para casa. O que se recomenda é que o indivíduo evite dirigir ou fazer qualquer outra atividade que ponha em risco à sua vida, até que o efeito do sedativo passe totalmente, fato este que pode levar até vinte quatro horas.

Preciso repetir o exame?

Cada caso é um caso. Dependendo do que foi diagnosticado no seu exame, você pode ou não ter a necessidade de fazer outras endoscopias posteriormente. Como exemplo, citamos um paciente que fez a endoscopia para descobrir se existia algum problema e que em seguida, ao detectá-lo precisou fazer outra endoscopia, mas que dessa vez serviu para concertar o problema.

Efeitos colateirais

o exame possui alguns efeitos que o indivíduo pode sentir após a sua realização e tais efeitos vão variar de pessoa para pessoa. dentre eles podemos destacar:

  • Dor na garganta;
  • Sonolência e cansaço extremo durante algumas horas posteriores ao exame;
  • Maior chance de ter algum tipo de infecção no peito ou pneumonia;
  • Dores abdominais;
  • Febre;
  • Alguma dificuldade na hora de respirar;
  • Vômitos com presença de sangue;

Alguns idosos com problemas na sua saúde, podem também sofrer ataque cardíaca ou ter um acidente vascular cerebral (avc). Lembrando que os efeitos colaterais não são de regra, você pode sim fazer a gastroscopia e não sentir nada posteriormente além da simples sonolência decorrente do sedativo.