Saiba Tudo Sobre o Transtorno de Personalidade Múltipla

Transtorno de Personalidade Múltipla

O Transtorno de Personalidade Múltipla, também conhecido como Transtorno da Identidade Dissociativa, e antigamente chamado de Dupla Personalidade, é um distúrbio mental e caracteriza-se pela existência de duas ou mais personalidades ou identidades em um único indivíduo que se alternam no controle do comportamento.

Geralmente, cada personalidade tem seu próprio nome e idade e um conjunto específico de lembranças e comportamentos característicos. Na maioria dos casos há uma identidade principal que leva o nome real da pessoa e é passiva, dependente e deprimida. As outras identidades criadas têm características que contrastam com a identidade principal, como, por exemplo, sendo hostis, controladoras e autodestrutivas.

Em alguns casos, as personalidades podem até se diferenciar em características como caligrafia, habilidades artísticas ou esportistas e conhecimento de língua estrangeira. A identidade principal muitas vezes desconhece as experiências das outras identidades.

1) O desenvolvimento do Transtorno de Personalidade Múltipla

Muitos são os fatores que podem desencadear o Transtorno de Personalidade Múltipla. Pessoas com este transtorno relatam ter sofrido abuso físico e sexual; porém, às vezes esse relato se mostrou controverso, uma vez que as memórias da infância podem estar sujeitas à distorção e essas pessoas tentem a ser muito vulneráveis à sugestão. Por outro lado, isso pode ser uma hipótese sobre como se desenvolve este transtorno, já que existe uma defesa contra experiências traumáticas da infância.

A criança aprende a se defender do sofrimento dissociando a memória da consciência. Se ela sofre abuso severo e repetido, este método de defesa com o tempo leva a identidade dissociativa nas quais somente uma ou duas subpersonalidades estão conscientes do abuso e as outras não se lembram do sofrimento. A grande maioria das pessoas com personalidades múltiplas são mulheres, provavelmente porque são mais sujeitas a abuso sexual na infância.

Quando submetidos ao tratamento pela hipnose, os pacientes com este transtorno muitas vezes são ótimos para serem hipnotizados, e relatam que suas experiências de transe são idênticas às experiências que tiveram na infância. Quando as pessoas descobrem que criar uma outra identidade alivia seu sofrimento emocional, elas tendem a criar outras personalidades quando se confrontam com problemas emocionais.

Acabar com o zumbido no ouvido

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Isso pode continuar até a idade adulta, criando novas personalidades em resposta a novos problemas, acabando com uma dezena ou mais de personalidades diferentes.

2) Quais são os sintomas?

O Transtorno de Personalidade Múltipla reflete um fracasso em integrar vários aspectos da identidade, da memória e da consciência. A dissociação é tão completa que várias personalidades distintas parecem viver no mesmo corpo.

Os sinais que indicam a presença de um Transtorno de Personalidade Múltipla são:

  • Períodos inexplicáveis de amnésia (perda de memória por horas ou dias, ou toda semana).
  • Mudanças sutis na postura e no tom da voz, que indicam a mudança de uma personalidade para outra.
  • Piscadas rápidas e mudanças faciais.
  • Falar, caminhar e gesticular de maneira diferente.
  • Dificuldade em constituir família e se manter no emprego.
  • Mudanças em processos fisiológicos, como pressão arterial e atividade cerebral.
  • Tendência suicida, comportamento autodestrutivo, automutilação e impulsividade.
  • Ansiedade, mudanças de humor ou sentir-se separado de si mesmo.
  • Depressão e consciência alterada.
  • Dores fortes de cabeça.
  • Insônia, terrores noturnos e sonambulismo.
  • Abuso de álcool e outras drogas.
  • Compulsões e rituais.
  • Alucinações visuais e auditivas.
  • Perda ou distorção do sentido de tempo e da realidade.
  • Paranóia e fobias inexplicáveis.

3) Quais os tratamentos para o Transtorno de Personalidade Múltipla?

Para o Transtorno de Personalidade Múltipla é necessário um tratamento de longo prazo, junto a psiquiatras, psicólogos clínicos e psicanalistas. Algumas pesquisas indicam que pessoas acometidas com esse distúrbio ficam em média 7 anos em sistemas de saúde mental para se ter um diagnóstico preciso.

Como os sintomas deste transtorno ocorrem junto com outros distúrbios, como a ansiedade e a depressão, há medicamentos que são usados para tratar esses problemas ao mesmo tempo, a fim de controlar ataques de pânico e o estresse.

O tratamento medicamentoso deve ser associado com:

Acabar com o zumbido no ouvido
  • Psicoterapia
  • Terapia Cognitivo-Comportamental
  • Terapia Familiar
  • Hipnoterapia
  • Terapias adjuntas, como a Arteterapia.

O tratamento psicoterápico é um processo longo e intenso, já que envolve a lembrança e confronto das experiências traumáticas dissociadas. Consiste também em dissipar a existência de identidades distintas, combinando-as e tentando reconectá-las a uma personalidade única; ajudar a pessoa a lidar com os efeitos do abuso de um trauma; explorar as emoções que causaram o transtorno para condicionar o comportamento e controlar este problema da melhor forma possível para que a pessoa possa viver uma vida normal.

Veja o psquiatra falando sobre o Transtorno de Personalidade Múltipla (7:40):

Fonte:

http://www.webmd.com/mental-health/dissociative-identity-disorder-multiple-personality-disorder