Saiba Tudo Sobre o Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT)

Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT): Saiba Tudo!

Quase todos nós sentimos ansiedade e tensão diante de situações ameaçadoras ou estressantes. Estes sentimentos são reações normais ao estresse. As pessoas que passam por experiências que estão além da faixa normal do sofrimento humano, como desastres naturais, estupro, seqüestro etc, às vezes desenvolvem um quadro severo de sintomas relacionados com a ansiedade, chamado de Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT).

A seguir vamos conferir o que é o TEPT, suas causas, sintomas e formas de enfrentamento para este problema.

1) O que é o Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT)?

O Transtorno do Estresse Pós-Traumático é um tipo de transtorno de ansiedade que acontece quando uma pessoa vivencia um trauma que representa ameaça à sua vida ou à vida de outras pessoas, caracterizando-se por um conjunto de sinais físicos e emocionais.

Esses traumas podem ser, por exemplo, guerra, sérios acidentes, agressão física, estupro, desastres naturais (desabamento, furacão, incêndio, terremotos, enchentes, etc).

Com isso, a pessoa revive o trauma através de sonhos e pensamentos; evita fatos, objetos ou qualquer coisa que relembre o trauma; tem medo extremo que a situação volte a se repetir; há sensações físicas e ansiedade que aparecem mesmo ao se recordar do trauma.

2) O que desencadeia esse transtorno?

O Transtorno do Estresse Pós-Traumático pode se desenvolver imediatamente após um evento traumático, ou pode ser ocasionado por uma pequena experiência estressante após semanas, meses ou mesmo anos depois, e pode durar muito tempo.

Acabar com o zumbido no ouvido

A percepção de uma pessoa do estresse é determinada pelas características dos eventos no ambiente, por sua história pessoal, avaliações dos eventos e formas de enfrentamento. Assim, o grau em que uma pessoa experimenta sofrimento psicológico após situações potencialmente estressantes é determinado pelas vulnerabilidades que ela traz para estas situações.

Notícia Diárias Para Quem Não Tem Tempo

Os traumas causados pelo homem, como ataques sexuais ou físicos, atentados terroristas e guerras, podem ter probabilidade ainda maior de causarem TEPT do que os desastres naturais (como enchente, terremotos, etc), já que os primeiros traumas citados questionam nossas crenças básicas sobre a bondade da vida e das outras pessoas. Quando estas crenças são desfeitas, o TEPT tem mais chance de ocorrer. Além disso, os desastres causados pelo homem com freqüência atingem indivíduos e não comunidades inteiras, e sofrer um trauma sozinho parece aumentar o risco de sofrer de TEPT.

3) Sintomas

Os principais sintomas do Transtorno do Estresse Pós-Traumático incluem reações psicológicas e fisiológicas, como:

  • Sentimentos de insensibilidade ao mundo
  • Afastamento dos outros
  • Falta de interesse pelas atividades anteriores
  • Tendência de reviver o trauma muitas vezes em sonhos e lembranças
  • Perturbações do sono
  • Dificuldade de concentração
  • Excesso de vigilância
  • Culpa por ter sobrevivido a um acontecimento ao qual outras pessoas não puderam sobreviver
  • Ansiedade
  • Agressividade
  • Apatia e depressão
  • Aumento da freqüência cardíaca
  • Dilatação das pupilas
  • Pressão alta
  • Respiração ofegante
  • Tensão dos músculos

Algumas pessoas relatam conseqüências ao evento traumático, como consumo excessivo de álcool e outras drogas, problemas na escola ou no trabalho e desmaios.

Assim, o estresse afeta a saúde em geral, uma vez que as tentativas de se adaptar à presença de um estressor podem esgotar os recursos do corpo e torná-lo vulnerável a doenças, como úlcera, hipertensão, doença cardiovascular, incapacidade do corpo e combater bactérias e vírus, etc.

4) Estratégias de enfrentamento

Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT): Saiba Tudo! Tratamento

As emoções e a excitação fisiológica criadas por situações de estresse são altamente desconfortáveis, e este desconforto por vezes motiva o indivíduo a fazer alguma coisa para aliviá-lo.

Acabar com o zumbido no ouvido

Em primeiro lugar, ao presenciar os sintomas e achar que está sofrendo de Transtorno do Estresse Pós-Traumático, procure um médico ou psicólogo que possa diagnosticar e cuidar do seu caso. Em segundo, algumas técnicas comportamentais podem ajudar as pessoas a controlar suas respostas fisiológicas a situações estressantes.

Algumas dicas para enfrentar o Transtorno do Estresse Pós-Traumático podem ser:

  • Pratique Exercícios Físicos: praticar exercícios físicos regularmente, como, por exemplo, correr, nadar ou andar de bicicleta, faz com que você apresente freqüência cardíaca e pressão arterial mais baixas em resposta a situações estressantes do que aquelas que não se exercitem regularmente.
  • Procure Apoio Social: dê vazão à raiva e procure apoio emocional de amigos e familiares para melhorar sua saúde física a longo prazo, além de melhor se adaptar emocionalmente ao estresse, tornando-o mais suportável.
  • Treino em Biofeedback: neste tipo de treinamento as pessoas recebem informações (feedback) sobre um aspecto de seu estado fisiológico e depois procura alterar aquele estado anterior, fazendo com que elas aprendam a reconhecer quando uma tensão vai ocorrer e a reduzi-la.
  • Utilize Técnicas de Relaxamento: aprenda formas de relaxamento de diferentes grupos de músculos, para diminuir a pressão arterial, controlar dores de cabeça, etc.
  • Faça Meditação: a meditação é uma técnica eficaz para induzir o relaxamento e reduzir a excitação fisiológica, como a taxa respiratória, o consumo de oxigênio e menor eliminação de gás carbônico; assim, a freqüência cardíaca diminui, a circulação se estabiliza, a ansiedade ameniza e a auto-estima melhora.

Além dessas dicas, tem a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), que se torna também eficaz no tratamento do Transtorno do Estresse Pós-Traumático, a fim de manejar o estresse ao mudar as respostas cognitivas do indivíduo, procurando ajudar a pessoa a identificar os tipos de situações estressantes que produzem seus sintomas físicos e emocionais e a alterar o modo como lidam com estas situações.

Fonte:

http://www.nhs.uk/conditions/post-traumatic-stress-disorder/pages/introduction.aspx